Presidente do Patronato

O presidente do Patronato, Miguel Ángel Hollmann, morreu nesta terça-feira (23), aos 71 anos de idade. A princípio, o anúncio foi feito no início da tarde, pelas redes sociais do clube. Em suma, a Covid-19 foi o motivo que causou a perda de uma personalidade tão marcante na história da equipe de Paraná, cidade da Argentina. Apesar de lutar contra o novo coronavírus, o ex-jogador do clube também não resistiu a doenças pré-existentes.

LUTO NO FUTEBOL ARGENTINO

Antes de tudo, Tito, com era conhecido, estava internado desde 25 de janeiro de 2021. Além disso, ficou sob cuidados no Sanatório Entrerriana, na cidade de Paraná, lutando contra o vírus. Dessa forma, o Patronato publicou uma nota oficial sobre o caso. Em síntese, o clube se despediu e falou sobre a importância de Miguel Ángel Hollmann para a história da instituição:

“Foi ele a alma mater do crescimento da entidade nos últimos 15 anos, obtendo o respeito dos seus principais pares (…) E o Tito também. Até ao último suspiro acompanhou o clube, a sua humildade e paixão por eles o caracterizou. Cores, sua vida era o Conselho de Curadores. Hoje o clube está de luto por ele e o despede. Adeus, Tito!”, declarou em nota.

Em seguida, após o anúncio da morte do presidente do Patronato, os principais clubes de futebol na Argentina publicaram mensagens de apoio ao Rojinegro. Nesse ínterim, os grandes rivais de Avellaneda, além de Boca Juniors, River Plate, San Lorenzo, dentre outros se solidarizaram com a perda.

Em conclusão, o Patronato decretou três dias de luto oficial. Aliás, as instalações da Sede, como a propriedade do Túnel e La Capillita, ficarão fechadas até quinta-feira (25), de manhã. Por fim, o treino do time profissional, previsto para esta tarde, também foi suspenso.

Foto destaque: Divulgação/Patronato

Carlos Soares
Carlos Soares
Além da enorme paixão pelo esporte, eu sempre tive facilidade com a comunicação no geral. É uma habilidade que me destaca em qualquer ambiente que esteja. O desejo de fazer jornalismo surgiu devido a vontade de fazer com que essa aptidão possa me proporcionar grandes desafios em minha carreira profissional, principalmente na área esportiva. Ao ingressar na faculdade e estagiar na área, descobri diversas abordagens diferentes que o jornalismo pode ter e a quantidade de histórias que estão esperando para serem contatadas. O que fez eu me interessar ainda mais pela profissão e querer desempenhar um fazer jornalístico objetivo e de qualidade.