A rotina dos jogadores brasileiros foram alteradas com a decretação por parte das autoridades públicas do isolamento social a fim de evitar a disseminação do COVID-19, e com o elenco do Bahia não é diferente.

Em entrevista concedida ao podcast do clube, o preparador físico, Luiz Andrade, explicou um pouco sobre como vem sendo realizado os treinamentos à distância, além de citar o suporte dado aos atletas via aplicativo de mensagem instantânea.

A melhor forma que a gente encontrou para prescrever foi através da descrição desses treinos. Os atletas recebem nos grupos de WhatsApp a descrição e, com a experiência que eles têm, por conhecer a nossa equipe de preparação física e por já terem realizado os treinos, fazem as atividades nas suas casas”.

https://twitter.com/ECBahia/status/1257749247476273152?s=19

Os jogadores do Esquadrão de Aço foram divididos em três grupos, cada um deles é formado por um número diferente de atletas. Aliás, o último grupo é composto por jogadores oriundos do time de aspirantes. Cada qual com um preparador físico responsável.

Ficamos sempre à disposição, toda a equipe da preparação física, comandada pelo Paulo Paixão. Estamos em contato todos os dias para falar sobre a preparação dos atletas e deixando os jogadores bem à vontade para falar com a gente, para tirar dúvidas, sugestões. Muitos ligam para a gente adaptar o treino ao espaço físico que eles possuem”.

Foco maior

As atividades foram intensificadas, pois trata-se da primeira fase voltada para o retorno gradual. No entanto, durante as férias os atletas não pararam com os treinos e agora passam a comunicar com maior frequência o que estão fazendo.

Durante as férias, eles não pararam de treinar em nenhum momento, mas nesse retorno estão sendo obrigados a enviar para a gente, a nos informar o treino que realizaram, as dificuldades. Basicamente a mudança é essa, estamos mais focados para que eles comuniquem o que estão fazendo”.

Foto Destaque: Felipe Oliveira/ EC Bahia

 

 

Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

Artigos Relacionados