Pintado no Goiás

Nos últimos dias, ao ser questionado sobre um possível acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, o presidente do Goiás Esporte Clube, Paulo Rogério Pinheiro, afirmou que a equipe conseguirá subir para a primeira divisão nesta temporada. Em contrapartida, o atual treinador, Pintado, elogiou Rogério Pinheiro. Todavia, preferiu manter cautela em relação ao discurso.

A entrevista ocorreu durante o programa Feras do Esporte, da Bandeirantes 820.

“O presidente (Paulo Rogério Pinheiro) é a autoridade máxima, quem tem a última palavra do clube, a gente respeita. O que o presidente, a família, essas pessoas que sempre fizeram parte da diretoria do Goiás, sonham, desejam, mais do que desejar e sonhar, eles trabalham e investem, eles estão no dia a dia e isso é muito importante. Trabalhando no futebol, ter essas pessoas no dia a dia, para a gente discutir, para a gente conversar”, afirmou Pintado.

O OBJETIVO DE PINTADO

Em seguida, elogiou a equipe e disse quais são suas metas:

“Não sou o melhor, eu sei disso, sou um cara profissional que aprendi o sabor e valor da vitória e isso eu vou fazer aqui ou em qualquer lugar que esteja. Vou lutar muito por essa vitória porque é assim que a gente consegue o que deseja, uma vida feliz para nossa família e deixa uma história no clube. Eu gostaria muito de fazer parte dessa história vitoriosa do Goiás”.

O ESTILO À BEIRA DO CAMPO

Por fim, destacou sua vontade de vencer e ainda falou sobre sua personalidade:

“Eu sou um cara muito sanguíneo, eu não tenho muitas caras, se eu perder você não vai me encontrar com a cara bonita. Enquanto eu não conseguir, você não vai me ver feliz, de boa, não vai me ver na rua. Quando ganho estou muito feliz, quando não tem resultado, estou muito incomodado”, revelou o treinador.

Foto destaque: Reprodução/Rosiron Rodrigues/Goiás
André Merice
André Merice
A paixão pelo esporte me fez escolher a profissão. A experiência como atleta não foi como o esperado. Então, procurei algo que me encaixasse. E o Jornalismo foi a primeira opção! A facilidade de escrever e apresentar foi outro fator determinante também.

Deixe uma resposta