Rodrigo Caio

Rodrigo Caio chegou ao Flamengo sob olhares de desconfiança por parte dos torcedores, mas em pouco tempo de clube conseguiu conquistar os Rubro-Negros. Nesse sentido, as ótimas atuações do zagueiro colaboraram para tantas conquistas do Mais Querido. Em suma, ultrapassando barreiras fora e dentro de campo, o jogador completa mais um ano de vida nesta segunda-feira (17), e a Coluna Parabéns ao Craque vem homenagear esse grande vencedor.

INÍCIO

Rodrigo Caio Coquette Russo nasceu em Dracena, no noroeste paulista, em 17 de agosto de 1993. Como todo bom brasileiro, desenvolveu a paixão pelo mundo futebolístico desde criança. Dessa forma, começou sua carreira no futebol em 2005, aos 12 anos, nas categorias de base do São Paulo e, mesmo tão jovem, já fazia parte de um time vencedor.

Globo Esporte (Foto: Reprodução/Marcelo Prado)

Nesse sentido, desde as categorias de base do Tricolor, já mostrava ambição por títulos e muita dedicação em campo. Rodrigo sempre foi muito regrado e desenvolveu muita disciplina desde sua chegada no clube. Em seu período nas divisões de base, Rodrigo Caio conquistou o Bicampeonato Paulista de 2007/2008 e Copa Nike em 2007, todos na categoria Sub-15. Além disso, conquistou uma Copa São Paulo de Juniores em 2010, na equipe formada por Lucas, Casemiro e Bruno Uvini.

ESTREIA PROFISSIONAL DE RODRIGO CAIO

Rodrigo Caio fez a sua estreia profissionalmente, ainda com 17 anos, na derrota por 5 x 0 para o arquirrival Corinthians. O confronto foi no Pacaembu, dia 26 de junho de 2011, pelo Brasileirão daquele ano, sob o comando do técnico Paulo César Carpegiani.

Ainda no mesmo ano ele chegou a atuar em outras partidas entre os profissionais, incluindo a vitória do São Paulo sobre o Atlético-MG, por 2 x 1, dia 7 de setembro de 2011, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro. Jogo no qual ficou marcado por ser a milésima vez que o goleiro Rogério Ceni atuou com a camisa tricolor, além de ser o ídolo do jogador.

Rodrigo Caio e Ceni
Foto: Divulgação/Instagram/Rodrigo Caio

Entretanto, apesar da derrota imensurável, o atleta participou de outras partidas naquele mesmo ano entre os profissionais. Nesse sentido, seu bom desempenho garantiu a permanência do jogador no elenco, na temporada de 2012 – no qual começou o ano atuando improvisado como lateral-direito em algumas oportunidades, devido a uma contusão do então camisa 2, o paraguaio Iván Piris.

Todavia, mesmo atuando improvisado em 2012, Rodrigo Caio colecionava convocações pela seleção de base do Brasil e seguia trabalhando em busca de espaço no Tricolor Paulista. Dessa forma, junto de seus companheiros da categoria de base, Rodrigo foi campeão do time profissional da Sul-Americana de 2012.

https://www.instagram.com/p/R0Kg37jAkI/?utm_source=ig_web_copy_link

O PRIMEIRO GOL

Em 20 de março de 2013, Rodrigo Caio marcou seu primeiro gol entre os profissionais, diante do São Bernardo, em partida válida pelo Paulistão. O jovem, depois do jogo, acabou elogiado pelo treinador Ney Franco, que ao se referir à sua “sequência muito boa”, valorizou sua boa fase.

Sua moral não foi abalada nem com a troca de treinadores. Mesmo com a chegada de Muricy Ramalho, em substituição a Autuori, Rodrigo Caio continuou sendo elogiado pela maturidade em campo, apesar da pouca idade. Na época, tinha 20 anos.

Em 9 de outubro, após a vitória são-paulina sobre o Cruzeiro por 2 x 0, jogo válido pelo Brasileirão, o jovem atleta teve sua inteligência destacada por Muricy, que completou dizendo que ela foi fundamental para que Rodrigo conseguisse se adaptar às diversas trocas de posições às quais era submetido.

NAS DIFICULDADES, SURGE UM VENCEDOR

O ano é 2014, e Rodrigo continua como homem de confiança do São Paulo, se firmando como zagueiro titular e, apesar da má fase do clube, o jogador mantinha sua regularidade. Entretanto, o inesperado aconteceu: RODRIGO CAIO SE LESIONOU.

O acontecimento se deu na partida diante do Criciúma, no qual rompeu o ligamento do joelho. Dessa forma, voltou a campo apenas no final de 2015 e ainda faltava a confiança no joelho para jogar da maneira em que sempre atuou. Sendo assim, 2015 foi um ano em que o jogador precisava driblar as barreiras fora de campo.

https://www.instagram.com/p/sDrKawjAsx/?utm_source=ig_web_copy_link

Depois de um mau início de temporada em 2016, que culminou com a derrota tricolor diante dos bolivianos do The Strongest por 1 x 0, em pleno Pacaembu, Rodrigo Caio foi chamado por Rodrigo Gaspar, via Twitter, assessor da presidência são-paulina, de “jogador de condomínio”. Todavia, o assessor apagou o post logo após a partida.

No entanto, em 21 de fevereiro, quatro dias depois do resultado negativo na Copa Libertadores, Rodrigo Caio foi o autor do gol que garantiu o triunfo tricolor diante do Rio Claro. Em nenhum momento, o jogador quis responder as ofensas de Rodrigo Gaspar. Dessa forma, sua resposta chegou com a bola no pé.

Folha Uol (Foto: Divulgação/Twitter)

GESTO FAIR PLAY

Durante a partida de ida da semifinal do Campeonato Paulista de Futebol de 2017 – Série A1 contra o rival Corinthians, Rodrigo acidentalmente feriu o colega Renan Ribeiro ao tentar impedir a chegada do atacante Jô. O árbitro da partida entendeu que o jogador alvinegro havia cometido a falta e puniu-o com um cartão amarelo, que tiraria o jogador corinthiano do jogo de volta na Arena Corinthians. No entanto, Rodrigo assumiu a culpa pelo lance ao juiz, e o cartão foi cancelado.

O gesto de fair play gerou muitos elogios por parte de torcedores e jogadores rivais, além de comentaristas. Mas também repercutiu negativamente, principalmente entre os torcedores, dirigentes, jogadores e o então técnico do São Paulo, Rogério Ceni, que o criticaram publicamente. Isto acabou desgastando sua imagem no clube, que culminaria, após o final de 2018, em sua saída para outra agremiação.

“Eu não sou um bonzinho, eu sou um cara justo e tento ser justo em todas as minhas atitudes. Na forma como eu penso, na forma como eu ajo, isso é uma criação minha. Dentro de campo eu procuro jogar duro, mas leal sempre”, disse o jogador sobre o gesto

O FIM DE RODRIGO CAIO NO SÃO PAULO

Apesar de tudo, Rodrigo Caio superou calado toda a polêmica e seguiu trabalhando. Nesse sentido, iniciou a temporada de 2018 como titular absoluto com o então técnico Dorival Junior, onde também foi cotado para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo, mas acabou ficando de fora da lista final.

Com a demissão de Dorival Junior e a chegada de Diego Aguirre, somado a uma lesão em partida contra o Ceará que o deixou cinco meses afastado dos gramados, acabou perdendo espaço e se tornou a última opção para a zaga, chegando a jogar algumas partidas como lateral-direito.

Após a demissão de Aguirre, deu uma entrevista polêmica criticando o treinador uruguaio, além de dizer que se tornou menos são-paulino – fato que deixou o clima insustentável para permanecer no clube. Após ser liberado pelo São Paulo para procurar um novo clube, chegou a fazer exames médicos para assinar com o Barcelona, que acabou preferindo contratar o colombiano Jeison Murillo.

https://www.instagram.com/p/Br_dQTRhrJ-/?utm_source=ig_web_copy_link

RODRIGO CAIO: O BRILHANTE “JOGADOR DE CONDOMÍNIO”

Em 29 de dezembro de 2018, assinou por cinco temporadas com o Flamengo, que pagou cerca de 5 milhões de euros por 45% dos direitos econômicos do jogador, equivalentes a cerca de 22 milhões de reais. Tornando-se, assim, a oportunidade da sua vida, com uma coleção de títulos.

https://www.instagram.com/p/BsA_oPLBC1j/?utm_source=ig_web_copy_link

Rodrigo Caio chegou para arrumar a zaga do clube carioca e em poucas partidas mostrou ser muito eficiente ao time. Mesmo com a má fase do time comandada por Abel Braga, o jogador era um dos poupados à crítica. E, após a chegada do técnico Jorge Jesus, o atleta jogou o seu melhor futebol.

Dessa forma, ao lado de seu companheiro de equipe Pablo Marí, juntamente com Rafinha e Filipe Luís, fez uma zaga consolidada, com atuações admiráveis no Campeonato Brasileiro e na Libertadores. Após a grande fase no Flamengo, o jogador voltou à Seleção Brasileira, e o técnico Tite disse ter interesse em continuar convocando Rodrigo Caio, que desde a seleção de base já era monitorado.

No entanto, no Mais Querido, coleciona títulos como Copa Libertadores, Recopa Sul-Americana, Brasileirão, Supercopa do Brasil, Campeonato Carioca, Taça Guanabara, Taça Rio e Flórida Cup.

Rodrigo Caio
Foto: Divulgação/Instagram/Rodrigo Caio

Em suma, Rodrigo Caio é a prova viva de que críticas servem como motivação. E que, muitas das vezes, o problema não se encontra em você, mas na falta de confiança naquilo que você pratica. Rodrigo entrega o máximo de si e sempre honra aquilo que é designado a fazer.

Foto Destaque: Reprodução/Marcello Zabrana/Coluna do Fla

Thamirys Abreu Vieira
Sou carioca, graduada em Jornalismo pela Universidade Salgado de Oliveira (Universo). Pretendo me especializar na área esportiva e vivenciar a cada dia a magia do futebol. Exigente e de temperamento forte, mas sempre disposta a aprender. Apaixonada pela leitura e o mundo futebolístico.

Artigos Relacionados