Palmeiras quita dívida e chega em acordo por Matías Viña

Em janeiro deste ano, o Palmeiras realizou a contratação do lateral esquerdo Matías Viña, ex Nacional-URU. O Verdão superou a concorrência de alguns clubes europeus, como o Milan, e fechou o acordo por cerca de 3,5 milhões de Euros(16,5 milhões de reais). No entanto, ficou combinado de que esse valor fosse pago em três parcelas, além de adquirir 50% do passe do atleta.

A princípio, a negociação ocorreu de uma forma tranquila e tudo estava certo. Contudo, os Albos cobraram à diretoria do Palmeiras pelo pagamento da primeira parcela, estabelecendo prazo até domingo(31). Desse modo, como ambas diretorias possuem uma boa relação, o acordo foi selado. A primeira parcela deveria ter sido efetuada no mês de abril, todavia,  não foi cumprida integralmente, restando 30% a pedido do Alviverde.

 

No inicio, o Nacional aceitou. Porém, com toda essa crise que vem solando o mundo e atingindo os clubes, o clube acabou tendo que requisitar o valor no fim de maio. Em conclusão, com as outras duas parcelas de 1 milhão de euros são previstas apenas para o mês de setembro, e com a diminuição das receitas, foi estabelecido que 500 mil euros serão divididos até lá. Assim, não haverá cogitação do caso ser levado até a FIFA.

CARREIRA MATÍAS VIÑA

O atleta, de 22 anos, é formado nas próprias categorias de base da equipe do Uruguai. Viña chegou ao clube do Uruguai em 2015, com somente 17 anos. Rapidamente, ganhou a titularidade e virou um dos principais jogadores, chegando em decorrência disto à seleção do país.

No Palestra, fez sua estréia em fevereiro, e já acumula seis partidas com a camisa do clube de Palestra Itália, sendo todas como titular. Durante esta paralisação, o esportista retornou ao Uruguai, mas já está com todos documentos regulares para retornar ao Brasil, podendo chegar neste final de semana. Para a posição, o clube ainda conta com Diogo Barbosa e Victor Luís.

Foto destaque: Reprodução/VerdãoWeb

Lucas de Lima Barão
Atualmente, estou no 6º semestre de jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Tenho vontade de trabalhar com jornalismo esportivo, entretanto, não descarto abrir portas para outros caminhos. Ganhei um prêmio de melhor trabalho jornalístico no 5 semestre, onde meu grupo e eu produzimos um site. Estou em busca de encontrar oportunidades no mercado de trabalho.

Artigos Relacionados