Pablo foi destaque atuando pelo Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians).

Atualmente, ao observarmos a dificuldade do Corinthians em encontrar um setor defensivo consistente como em 2017, é inevitável relembrar as atuações do zagueiro Pablo. Assim, além da torcida sentir saudades do jogador ao lado de Fabián Balbuena, o próprio atleta reforçou seu desejo de retornar. Dessa forma, em entrevista ao Fox Sports, o defensor confessou que o melhor para sua carreira era ter permanecido no Timão.

“Na minha visão, o melhor a ser feito naquela época era permanecer no Corinthians, pois eu ainda estava construindo uma carreira no futebol brasileiro, me consolidando. Acredito que essa sequência seria muito importante para mim, até em termos de Seleção. Sendo campeão brasileiro, paulista, já sendo comentado como um dos melhores zagueiros do Brasil, isso poderia dar uma alavancada ainda mais na minha carreira, mas como eu falei, não foi possível naquela época. Depois disso, no ano seguinte, fui convocado para a Seleção Brasileira, devido à minha passagem no Corinthians. Naquela época, a melhor opção era ter permanecido no Corinthians, mas não foi por falta de vontade, foi por outras coisas que aconteceram que ficam nos bastidores.” – explicou.

NEGOCIAÇÃO ENTRE CORINTHIANS E BORDEAUX

Apesar de noticiado pelos veículos de comunicação que a contratação não foi concretizada devido ao aspecto financeiro, o zagueiro fez questão de contrariar a informação. Além disso, demonstrou gratidão a equipe paulista por ter lhe dado oportunidade em um momento complicado de sua carreira.

“Naquela época não foi problema sobre dinheiro, foi mais na parte de negociação, juntamente com o Bordeaux, pois tinha uma negociação de pagamento. Eu acho que não tem nem como ter mágoa do Corinthians, ele abriu as portas para mim, para eu mostrar todo o meu potencial a nível de ser pensar naquela época  em Seleção Brasileira, onde até pouco tempo atrás, jogando no Bordeaux, não tinha nada disso. Só tenho coisas boas para pensar, para falar do Corinthians e até a vontade de um dia voltar. Mágoa é uma coisa que nunca terá de mim, só tenho a agradecer e estou aí. Sei que as condições financeiras do Corinthians hoje não são das melhores, mas pode ser que aconteça, mas também pode ser quer que não.” – disse.

SONHO EUROPEU

Posteriormente, mesmo com o desejo de retornar ao Corinthians, Pablo confessou que tem a intenção de atuar por um grande clube da Europa. Nesse sentido, uma das suas metas é disputar uma UEFA Champions League antes de voltar ao Brasil. No entanto, caso não aconteça, sua prioridade é a equipe do Parque São Jorge.

“São sonhos que eu tenho ainda dentro de mim, jogar a Champions, jogar num grande clube da Europa, mas nem sempre aquilo que nós almejamos, nós conseguimos. É nesse sentido de, caso isso não venha acontecer, o Corinthians, como eu já falei, é a minha primeira opção. Minha passagem pelo Corinthians foi muito curta, um ano só de clube. Com muito trabalho e esforço, consegui me destacar, ser campeão brasileiro e paulista, então consegui construir uma pequena história ali, que acredito que foi só o começo. Ainda tem outras etapas a concluir. É nesse termo que eu penso. Sonho de realmente voltar ao Brasil e defender as cores do Corinthians de novo e também, quem sabe, jogar a Champions e num grande clube da Europa, mas isso só a Deus pertence. Vou estar aqui trabalhando e me esforçando para que no futuro possam vir coisas boas também.” – completou.

PABLO PELO CORINTHIANS

Apesar da curta passagem pela equipe, o jogador fez sucesso durante a temporada de 2017. O setor defensivo composto por Cássio, Pablo, Balbuena, Guilherme Arana e Fagner foi primordial para a conquista do Campeonato Paulista e Brasileiro daquele ano. Na competição nacional, o Timão sofreu 30 gols no torneio, uma média inferior a um gol por partida.

Nesse sentido, vale ressaltar que anteriormente o xerife já havia demonstrado o desejo de voltar ao Corinthians. Entretanto, o valor avaliado em euro dificulta a repatriação do atleta, fator que pode adiar por mais um tempo seu retorno.

Foto destaque: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Caio César Esplugues de Oliveira
Desde minha infância já tinha escolhido o jornalismo como profissão, sentia que poderia ter conhecimento necessário e flexibilidade na comunicação com o público, além de não "passar pano" para erro de pessoas que conheço. Comecei esse ano o curso de Jornalismo, logo após que acabei a escola e pretendo seguir firme e forte nessa carreira ao qual sou apaixonado.

Artigos Relacionados