EDUARDO/AMÉRICA-MG

Antes de mais nada, o lateral-direito Eduardo, do América-MG, se mostrou otimista com o desempenho do clube no Campeonato Brasileiro. Entretanto, o Coelho ocupa a 16ª colocação na tabela, com apenas nove pontos.

Segundo Eduardo, o time está evoluindo, e os adversários têm receio do ataque americano, que já marcou nove gols na competição. Em contrapartida, a defesa sofreu 16. Contudo, o atleta aproveitou para comentar sobre a disputa de posição com Diego Ferreira, além de falar sobre o estilo de jogo dos dois.

“A lateral (direita) não vinha sendo um problema, já que o Diego (Ferreira) estava jogando muito bem. Até então, com muito trabalho, estou conseguindo ter um bom desempenho. São características e estilos de jogo diferentes, sou um pouco mais agressivo no ataque, enquanto ele é um cara que constrói mais com a bola nos pés. Com certeza, se o Diego voltar a jogar também vai conseguir, porque ele é um jogador que tem história no clube e já provou que é capaz. O América tem muito a ganhar com essa briga”.

Além disso, o jogador pontuou sobre o esquema que o time atuou na última partida, visto que Mancini implantou uma formação com três zagueiros.

“Esse esquema me dá mais tranquilidade para atacar. Fazia muito tempo que não jogava nesse esquema, com três zagueiros. Dá muita liberdade para o meu estilo de jogo, mas não ligo muito para isso”.

Próxima partida do América-MG

Coelho volta a campo na próxima segunda-feira (19), frente ao Sport, às 20h (horário de Brasília), na Arena Independência, em duelo válido pela 12ª rodada do Brasileirão. O Alviverde ocupa a 16ª colocação na tabela, com nove pontos. Por outro lado, o time pernambucano é o primeiro na zona de rebaixamento com sete pontos. O duelo promete ser disputado, visto que ambas as equipes necessitam vencer para fugir do Z4.

Foto destaque: Divulgação/Estevão Germano/América

Alex Ferreira
Sou o Alex, graduando em Jornalismo pela Uninove. Escolhi o jornalismo para ficar mais perto da minha maior paixão: o futebol. E nada melhor que juntar as duas coisas que mais amo. Acredito que a comunicação pode mudar e melhorar o mundo. Meu objetivo é dar voz para quem não tem, ouvir e contar histórias.