MANCINI NO AMÉRICA-MG

A saber, o treinador Vagner Mancini vem perdendo muitos jogadores por conta de lesões recentemente. Nas últimas semanas, Ribamar, Ademir, Kawê e Marlon já estavam no departamento médico. Na última partida pelo Brasileirão, contra o Sport, Yan Sasse e Eduardo saíram do campo com dores e serão reavaliados no decorrer da semana.

Fala, Mancini

Assim, segundo Mancini, o número de lesões já era esperado por conta da mudança no comando técnico da equipe, e com isso, ocorrem mudanças na carga dos trabalhos, o que aumenta o desgaste.

“O número de lesões fatalmente iria acontecer, porque quando você muda uma mentalidade, muda a metodologia de trabalho e coloca intensidade, é normal que isso aconteça. É óbvio que ninguém quer que os atletas machuquem, mas a gente tem que entender que isso pode acontecer. A partir do momento que você aumenta algum tipo de estímulo, você acaba fazendo uma seleção natural de quem suporta mais”.

O treinador espera que, a partir de agora, o número de lesões causadas por esforço caiam. Nesta segunda-feira (19), Mancini completou um mês no clube mineiro.

”Eu espero que a gente já tenha passado por isso, que a curva desça, a gente pare com as lesões e possa continuar tendo boas opções para escalar a equipe”.

Ademais, a expectativa da comissão técnica é de poder contar com Ademir no duelo contra o Grêmio, no sábado (24). O último jogo foi antes da estreia de Mancini, contra o Palmeiras. Por outro lado, Marlon foi a novidade no treino desta terça-feira (20) e apareceu no gramado. O lateral está próximo do retorno.

Busca por reforços

A princípio, o Coelho segue de olho e ativo no mercado. Até aqui, o clube já anunciou 16 atletas e não pretende parar por aí. Para Vagner Mancini, apesar das dificuldades apresentadas pelo mercado, o clube tem buscado nomes, dentro da realidade financeira americana.

 ”A gente tem tentado, e isso estou aqui falando abertamente. A diretoria tem se esforçado, diariamente a gente conversa sobre isso. O mercado não oferece muitas coisas, mas diante do poderio financeiro que temos, a gente tem tentado, e a diretoria tem se esforçado muito para que esses atletas cheguem”.

Por fim, o técnico citou a adaptação dos atletas. Assim, os reforços precisam ser integrados aos jogos de forma natural, sem pressa em função dos resultados negativos.

”Alguns já chegaram, outros vão chegar, mas é necessário que a gente tenha tempo para que a integração aconteça. Sempre que você perde uma, duas, três partidas seguidas, a gente acaba acelerando alguns processos, mas é necessário que a gente tenha calma para pensar, para raciocinar. Esses jogadores importantes, porque chegam para somar em um grupo que vinha formado desde o ano passado, mas que há necessidade de chegadas.”

Foto destaque: Divulgação/Kely Pereira/AGIF

Alex Ferreira
Sou o Alex, graduando em Jornalismo pela Uninove. Escolhi o jornalismo para ficar mais perto da minha maior paixão: o futebol. E nada melhor que juntar as duas coisas que mais amo. Acredito que a comunicação pode mudar e melhorar o mundo. Meu objetivo é dar voz para quem não tem, ouvir e contar histórias.