A princípio, próximo sábado (12), haverá as eleições do Esporte Clube Bahia. Desse modo, é o momento da torcida escolher o melhor para o clube. Sendo assim, o Futebol na Veia bateu um papo com o candidato Lúcio Rios, do grupo mais Bahia. Assim, ele falou um pouco dos seus projetos caso eleito, como vê a base, time feminino e diversos outros assuntos. Confira:

PING – PONG COM LÚCIO RIOS

Recentemente você disse que pretende fazer mudanças no departamento do futebol. Como pretende estruturar esse setor na sua gestão?

A princípio, acompanhamos a incompetência da atual diretoria na gestão do Futebol. Primeiramente, a mudança tem que ser de foco, o departamento de Futebol terá 100% da minha atenção. Dessa forma, nossa gestão no futebol começa com uma definição de  filosofia de jogo, alinhada com a cultura e história do Bahia. Logo, não inventaremos a roda, adaptaremos para nossa realidade, modelos de sucesso como do Sevilha e do Atalanta. Baseado em bom trabalho de base, eficiência nas contratações e modelo de jogo bem definido. Unindo tudo isso tecnologia e estatística”.

RESULTADOS RECENTES DO BAHIA

Apesar do Bahia ter se estruturado nos últimos anos, a gente ainda ver muitas reclamações pelos resultados não ter refletido no campo. Como você pretende reverter esse quadro?

“A organização Administrativa e Financeira de um clube de Futebol, não é atividade fim, é atividade meio, o Futebol é atividade fim. Veja o exemplo da desclassificação na Copa do Brasil deste ano, para o River do Piau, na 1ª fase. Significou uma grande frustração de receita em premiação para o clube. Prejuízo que é potencializado em um ano atípico por conta da pandemia. Essa desclassificação gera impacto negativo em todo o clube, inclusive na gestão administrativa e financeira”.

“Portanto, o Bahia precisa ter foco e ser muito eficiente em sua atividade fim. A locomotiva que vai carregar e impulsionar o todos os departamentos do clube será a boa Gestão no Futebol. Bons resultados e títulos, proporcionam melhores contratos de patrocínio. Mais sócios, maior público em estádio, maior receita de TV, premiações, vendas de atletas e principalmente o aumento no número de torcedores. Veja que só a boa gestão administrativa e financeira não é suficiente para levar o time a títulos.

Assim,  boa gestão administrativa e financeira é apenas base, para dar o salto o Bahia precisa de eficiência e competência no Futebol. Coisa que a diretoria atual já mostrou que não tem. Me chateia muito ter que ouvir que somos o 14º, orçamento da Série A e por isso estamos fadados a ficarmos disputando a parte de baixo da tabela. Em suma, um pensamento fatalista, que tenta acobertar a incompetência e ineficiência do atual departamento de futebol do clube”.

https://twitter.com/mais_bahia/status/1336273156101844992?s=19

 

PROCESSO DE CONTRATAÇÃO

Logo, o Bahia vem em uma crescente economicamente. Assim, tem conseguindo ir no mercado e muitas vezes competir com outras equipes. Porém, alguns jogadores não tem conseguindo desempenhar o melhor futebol. Dessa maneira, como você analisa, esse cenário e se pretende ser mais assertivo nas negociações?

“O Bahia nos últimos 3 anos contratou 114 atletas profissionais, para o time principal e para o sub-23. São mais de 10 times completos em 3 anos. O aproveitamento e o nível de acertos são pífios e os custos elevados. Veja que o Bahia apesar do crescimento do orçamento em 2018 e 2019, não vou analisar 2020 por conta da pandemia, ainda tem muita limitação financeira, como a atual Diretoria gosta de lembrar, somos o 14º orçamento, ainda estamos na segunda página da tabela no ranking dos orçamentos dos times da Série A”.

“Entretanto, o Bahia não pode ter seu departamento do futebol com Base na tentativa e erro, o hábito gera prejuízo técnico e financeiro. Na nossa gestão faremos uma reformulação no DADE, que parece não funcionar, ou não é utilizado. Como disse anteriormente, adaptaremos modelos de sucesso como o Sevilha e o Atalanta, buscando jogador com potencial de crescimento técnico, jovem, que tenham características aderentes a filosofia e modelo de jogo do Bahia. Sendo assim, nosso objetivo será “contratar poucos, mas contratar bem”.

“Contudo, além de contratar bem, nosso departamento de futebol será estruturado para desenvolver esses jogadores contratados dentro do clube, será definido para cada atleta uma curva de crescimento técnico. Logo, o elenco será todo monitorado relacionando a curva de crescimento técnico do atleta e o valor de venda do mesmo. Assim, será possível criar uma reciclagem de ativo eficiente no elenco”.

USO DA BASE DO ESQUADRÃO

O Bahia é um dos clubes que menos usa a base. Como modificar essa situação e passar a ter uma base mais atuante e assim voltar a revelar grandes jogadores?

“O Departamento de Futebol de Base do Clube com certeza é o mais ineficiente. É inadmissível que só no ano de 2019 o Bahia tenha dispensado 70 jogadores da base, só da categoria sub-17 foram dispensados 27 jogadores, isso representa dois times completos e mais cinco jogadores. Por isso, analisando estas dispensas junto com o custo de R$14 milhões do departamento no ano de 2019, podemos perceber os prejuízos gerados ao clube pelo departamento ano passado. Dessa maneira, na nossa gestão o departamento de futebol de base terá como objetivo preparar jogadores para o time principal. Logo, Implementaremos o Núcleo da Base do Bahia – NUCBA, que além de ter a unidade na Cidade Tricolor, terá mais duas unidades, através de parcerias, no interior do estado”.

“O objetivo das unidades do interior é identificar talentos locais e desenvolve-los próximos de sua residência e família, até os 17 anos. Toda o departamento de Futebol de base estará alinhado a Filosofia e Modelo de jogo da equipe principal.

FUTEBOL FEMININO COM LÚCIO RIOS

Com relação ao Futebol Feminino, quais são as suas propostas?

“Trabalharemos junto a CBF para uma maior valorização o crescimento da categoria nacionalmente e regionalmente. Visto que, uma de minhas ideias é a criação da Copa Nordeste de Futebol Feminino, neste aspecto o intuito é envolver a Liga do Nordeste. Ampliando assim o calendário do Futebol feminino”.

“Além disso, trabalharemos também no crescimento do departamento de futebol feminino do clube. Logo, uma proposta é criação de uma categoria de Base, utilizando inclusive as duas unidades do Núcleo da Base do Bahia – NUCBA no interior”.

O QUE ESPERA DE LÚCIO RIOS, PRESIDENTE?

Deixe uma mensagem para o torcedor do que esperar de Lúcio Rios presidente.

“Antes de mais nada, fui atleta amador, fui campeão Bahia duas vezes de Corrida de aventura, sempre gostei de desafios e nunca gostei de perder. Contanto, o torcedor pode ter certeza que estou preparado para assumir e transformar nosso clube a partir do dia primeiro de janeiro, voltaremos a ser vencedor dentro das quatro linhas.

Todavia, minha gestão será focada no Futebol, no respeito e aproximação com o torcedor, com os pilares consolidados em uma gestão administrativa e financeira responsável e eficiente, como diz o slogan de nossa chapa “Futebol, Arquibancada e Gestão”.  Em princípio, convido a todos para ver com mais detalhes quem é Lúcio, o +Bahia e nossas proposta no site www.agoraelucio88.com.br . O Bahia precisa mudar, essa é a hora torcedor, precisamos de uma gestão que tenha competência e Foco no Futebol, para isso você tem que votar para Diretoria executiva no número 88 e para o Conselho Deliberativo no número 888. É a hora de mudança!”.

 

Foto destaque: Divulgação/ arquivo pessoal

Avatar
Gilvan Rodrigues
Gilvan Junior, 20 anos, natural de Feira de Santana, estudante de jornalismo pela FAT. Desde pequeno, meu principal assunto era o esporte. Sempre acompanhado programas, sites, etc. Decidir, partir pra área que me dará a oportunidade de viver daquilo que mais amo. O futebol.

Artigos Relacionados