Icasa vai receber R$ 21 milhões por não acesso a série A em 2014

- Clube foi impedido de subir para Série A em 2014
Icasa vai receber dinheiro por briga judicial

O Icasa é um time de Juazeiro do Norte, interior do Ceará. Assim, é uma equipe com apenas 18 anos de fundação e conseguiu alguns feitos históricos para pouco tempo. No entanto, atualmente disputa a 2ª divisão do futebol Cearense desde 2016 e não joga o Brasileirão. Contudo, a equipe jogou a Série B, em 2013 e quase subiu para a elite do futebol brasileiro. Todavia, uma briga na justiça com a CBF por conta de uma escalação errada do jogador do Figueirense que acabou subindo no lugar do clube do Cariri, se arrasta por anos e ganhou um novo capitulo.

ENTENDA TODA A HISTÓRIA

O Icasa ganhou uma ação diante da Confederação Brasileira de Futebol, pela 2ª instância da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Assim, na quarta-feira (30) deve receber R$ 21 milhões. No entanto, a CBF ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). O time do Cariri entrou com uma liminar para entrar no Brasileirão, em 2014, por conta de um erro. Assim, devido à escalação irregular do atleta Luan Niedzielski, então do Figueirense.

Desse modo, o Figueira terminou em 4º lugar e o Verdão do Cariri, com um ponto a menos, na 5ª posição. Posteriormente, a CBF reconheceu o erro. Seguindo, no ano de 2018 o clube venceu na 1ª instância quando o juiz Maurílio Teixeira de Mello Júnior, da 4ª Vara Cível do TJ-RJ, condenou a CBF a pagar R$ 18 milhões. Contudo, foi acrescentado mais R$ 3 milhões por juros.

No entanto, o presidente do Icasa, França Bezerra afirmou que o dinheiro não devem chegar ao clube tão cedo caso a CBF recorra à 3ª instância.

Foto Destaque: Reprodução/ Thaís Jorge/SVM

Nicollas Almeida

Sobre Nicollas Almeida

Nicollas Almeida já escreveu 137 posts nesse site..

Escolhi o jornalismo porque queria contar histórias, participará dela também. Já estagiei na assessoria de imprensa de um órgão do governo do Rio de Janeiro. Fiz trabalhos voluntários no meio religioso e político, participei de um programa de debate na rádio na faculdade.

BetWarrior


Poliesportiva


Nicollas Almeida
Nicollas Almeida
Escolhi o jornalismo porque queria contar histórias, participará dela também. Já estagiei na assessoria de imprensa de um órgão do governo do Rio de Janeiro. Fiz trabalhos voluntários no meio religioso e político, participei de um programa de debate na rádio na faculdade.

    Artigos Relacionados

    Topo