Flu tenta acordo por atletas do Grêmio e Internacional

Com a disputa pelo Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores, o Fluminense busca mais reforços para a equipe. Dessa forma, a diretoria do Flu anda sondando alguns nomes e pode trazer novos atletas para compor o time.

A saber, o Tricolor negocia com o volante Nonato, do Internacional. Desse modo a tentativa de contratação do jogador é um pedido de Roger Machado. Visto que, atualmente, o treinador não vê um substituto específico para Yago no time.

Além disso, de acordo com o “NetFlu”, o clube mira em outros atletas do Rio Grande do Sul. Sendo assim, o Time de Guerreiros tenta fechar acordo com o atacante Léo Chú e o meio-campista Darlan, do Grêmio. A saber, Roger também gostaria de ter os dois jogadores no elenco nessa temporada.

A busca do Flu por reforços

Dessa forma, os dirigentes do Fluminense procuraram informações para tentar avançar nas conversas. Haja vista que a dupla do Tricolor Gaúcho tem o mesmo agente e isso pode facilitar o acordo entre as partes. Por outro lado, o Grêmio não demostrou interesse em negociar Darlan. Com isso, a negociação pelo meio-campista é tida como improvável nesse momento.

Desse modo, Léo Chú marcou três gols em 21 jogos na temporada e vem tendo poucas chances no Tricolor Gaúcho. Ademais, em caso de contratação, o atual jogador do Grêmio pode chegar sem custos aos Clube das Laranjeiras. Contudo, as conversas estão em estágio inicial.

Nonato jogou 91 partidas pelo Inter e marcou sete gols. Contudo, o Colorado também pede um atleta do Flu. Assim, o atacante Miguel, que entrou em litígio com o Fluzão e tenta sua liberação na justiça, surge como opção.

Haja vista que a negociação entre Miguel e o Tricolor estão paralisadas desde que o pai do jogador sofreu um acidente de carro. Entretanto, nas negociações por Nonato, o Internacional não deve se opor a um acordo para liberar o atleta, com opção de compra ao fim do contato de empréstimo.

Foto Destaque: Divulgação / Fluminense

Juliana Veiga
Estudante de Jornalismo, carioca, 22 anos. Escolhi o jornalismo, pois é uma profissão admirável, que apresenta uma amplitude de áreas para atuação e possui a missão de informar e formar opiniões. Desde a minha infância sonhava em ser comunicadora, e a paixão pelo futebol sempre esteve presente em minha vida. Assim, tornando o jornalismo esportivo a primeira certeza que tive na profissão. Redatora em sites jornalísticos e apaixonada por esportes, escrita e fotografia.

Deixe uma resposta