Vice presidente do Flamengo sobe o tom e detona Lucas Pratto

O vice-presidente de relações externas do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, o BAP, subiu o tom para rebater o atacante Lucas Pratto, do River Plate. Em entrevista ao canal de youtube Paparazzo Rubro-Negro, o dirigente relembrou de uma declaração do argentino, provocando os cariocas, em 2018. Agora, meses depois de conquistar a Libertadores da América sobre o próprio River, veio a resposta.

Naquela ocasião, as equipes se enfrentaram pela fase de grupos do mesmo torneio. A partida, que foi disputada no estádio Nilton Santos pois o Rubro-negro cumpria punição da Conmebol, terminou empatada em 2 x 2. Posteriormente, na saída do campo, Lucas Pratto afirmou que o time carioca era muito gentil dentro das quatro linha e, por isso, não tinha pegada de Libertadores. Revoltado, BAP não mediu as palavras para rebater o centroavante.

“Me lembro da declaração do Pratto: ‘Eles não têm pegada, são gentis, eu caí e o Diego me levantou. Não têm pegada de Libertadores’. Eu falei, vou contratar um cara para dar um tiro nesse filho da p…, mas talvez eu acabe na cadeia. O Diego foi ser gentil, ele disse que o Diego era bundão, que não podia ganhar a Libertadores. Vai tomar no c…, Lucas Pratto, desculpa o meu francês”, ironizou o dirigente.

Logo depois, já em tom mais calmo, BAP afirmou que tinha em mente poder fazer algo, um dia, para mudar a mentalidade da equipe e do clube. Ao final daquele ano, o dirigente participou da campanha com o presidente Rodolfo Landim, que acabou sendo eleito.

“Talvez eu trabalhe duro e mude a vergonha na cara de quem está no Flamengo, contratar cara que fica puto de perder par ou ímpar. Hoje tem alinhamento entre diretoria e elenco. Aí dá certo e a gente dá sorte”, completou.

Foto destaque: Reprodução/Getty Images

Avatar
Vitor Eduardo Simões Lima
Jornalista e apaixonado por futebol. Quando criança tive o sonho de ser jogador de futebol. Com o passar dos anos, tendo a responsabilidade de dividir a vida de atleta com os estudos, optei por deixar meu sonho de infância de lado e seguir outro caminho, mas jamais quis me desapegar do futebol. Entrei na faculdade de jornalismo com esse objetivo que levo até hoje depois de formado, trabalhar com jornalismo esportivo.

Artigos Relacionados