A Sports Value, empresa especializada em marketing esportivo, avaliação de marcas e propriedades esportivas, divulgou uma prévia de seu estudo anual do futebol brasileiro. Com o intuito de analisar as finanças dos clubes, a análise mostra números recordes em receitas e dívidas, além de destacar o controle no orçamento de Flamengo e Athlético-PR.

A análise conta com 16 clubes que representam mais de 90% do volume gerado pelas maiores agremiações do futebol brasileiro. O estudo foi baseado no balanço financeiro das equipes depois que divulgados pelas próprias.

Campeão carioca, Brasileiro e da Libertadores da América em 2019, o Flamengo foi além da competência dentro das quatro linhas. O rubro-negro teve uma alta de 75% nas receitas, que eram de R$ 543 milhões em 2018 e passaram a ser de R$ 950 milhões. Desse modo, o campeão da América foi a equipe de maior receita em 2019, com cerca de R$ 309 milhões a mais do que o Palmeiras, segundo colocado no quesito.

Com R$ 62 milhões, o Flamengo também foi o clube com o 2º maior superávit no Brasil. Dessa forma, também teve um ativo total de R$ 879 milhões e patrimônio liquido de R$ 128 milhões. Nos últimos cinco anos, o Rubro-Negro acumulou R$ 551 milhões em lucros, mais do que qualquer outra equipe do futebol brasileiro.

Outro exemplo de destaque positivo dentro e fora de campo foi o Athlético-PR. Campeão da Copa do Brasil em 2019, o furacão teve uma alta impressionante de 100%, as receitas passaram de R$ 195 milhões em 2018 para R$ 390 milhões. A equipe paranaense teve um superávit de R$ 63 milhões, ou seja, o maior de todo o país. O clube ainda alcançou um ativo total de R$ 904 milhões e patrimônio líquido de R$ 488 milhões.

O OUTRO LADO

Apesar do bom desempenho financeiro dos rubro-negros campeões nacionais em 2019, os 16 clubes analisados apresentam um déficit de R$ 257 milhões, frente a um superávit de R$ 82 milhões em 2018. São Paulo Corinthians são as equipes com o déficit mais pesados, de R$ 156,1 e R$ 177 milhões, respectivamente.

O trio carioca , Vasco Fluminense também estão em situações alarmantes. O Alvinegro possui R$ 822 milhões em dívidas e é o clube mais endividado do estudo, além de ter um déficit de R$ 20,8 milhões. Já o cruz-maltino tem R$ 638,7 milhões em dívidas e um déficit de R$ 5,1 milhões, enquanto o Tricolor Carioca apresenta R$ 642,5 e R$ 9,3 milhões nos mesmos quesitos.

Rebaixado para a Série B, o Cruzeiro foi outro clube com um balanço financeiro negativo em 2019. As receitas da raposa foram de R$ 342,2 milhões, mas as dívidas chegaram R$ 534 milhões e o déficit apresentado foi de R$ 74 milhões.

RECORDE POSITIVO E NEGATIVO

Em 2019, o mercado brasileiro atingiu pela primeira vez na história R$ 6,8 bilhões em receitas, alta de 18% em relação a 2018. As dívidas, no entanto, também atingiram o valor recorde de R$ 7,3 bilhões. Os custos com futebol dos maiores clubes brasileiros também foram altos, chegando a R$ 4,7 bilhões.

Foto destaque: Reprodução/Futebol na Veia

Vitor Eduardo Simões Lima
Jornalista e apaixonado por futebol. Quando criança tive o sonho de ser jogador de futebol. Com o passar dos anos, tendo a responsabilidade de dividir a vida de atleta com os estudos, optei por deixar meu sonho de infância de lado e seguir outro caminho, mas jamais quis me desapegar do futebol. Entrei na faculdade de jornalismo com esse objetivo que levo até hoje depois de formado, trabalhar com jornalismo esportivo.

Artigos Relacionados