Goleira Fernanda

Em entrevista exclusiva concedida ao Futebol na Veia, a goleira campeã de 2019 da equipe de futebol feminino do Esquadrão de Aço, Fernanda Berardinelli, contou como surgiu a oportunidade de compor o elenco do time baiano. Ela também afirmou que não aceitou no primeiro convite, já que estava em um período atribulado com os afazeres da faculdade de educação física. No entanto, em 2019, Fernanda aceitou a proposta do então Bahia Lusaca, que depois no mês de setembro veio a se tornar Bahia.

“A oportunidade surgiu a três anos atrás mais como eu estava terminando minha faculdade não fui na primeira oportunidade. Depois passado um ano tive a oportunidade de novamente receber a proposta do Lusaca Bahia, onde assinei um contrato de um ano. Depois de alguns meses a parceria foi desfeita, onde passamos a ser apenas Bahia”.

Trajetória Profissional

Aos 35 anos, Fernanda Berardinelli é uma exímia profissional da bola, tem em seu currículo passagem pelo São José, onde curiosamente exerceu funções como jogadora e  treinadora de goleiras do Sub 20. Além disso, nessa época ela acabou revelando a atual goleira do Flamengo, Gabi Croco.

A goleira foi companheira de equipe de Formiga, Andressa Alves na equipe do tricampeonato da Copa Libertadores de Futebol Feminino, no Mundial e no bicampeonato da Copa do Brasil. Além disso, Fernanda também auxiliou na revelação de outra arqueira de qualidade, a Lelê do Corinthians.

Período de isolamento social

A pandemia do novo coronavírus chegou ao Brasil e mudou totalmente a rotina das atletas, resultando na paralisação dos jogos consequentemente dos treinamentos presenciais também. Entretanto, a arqueira opta por ver o lado positivo das coisas e nesse momento não seria diferente. Para ela, o momento delicado foi útil para manter a boa forma e aprimorar alguns itens que ela acreditava não estar 100%.

Por outro lado, Fernanda conta como vem sendo sua rotina de treinos à distância, além de revelar que todas atividades são todos avaliados pelo preparado físico do clube que dá todo o respaldo necessário para as atletas.

“Todos nós estamos sofrendo com a Pandemia mais não vejo como um lado ruim em relação ao meu desempenho, pelo contrário estou podendo dar ênfase em algumas questões técnicas e físicas da qual eu precisava melhorar e estou tendo êxito. Sim, venho treinando 6 dias da semana 3 no campo e 3 em casa. Campo treinamento específico e em casa trabalho de força e físico direcionado pelo preparador físico Italo Trinchão”.

Goleira Fernanda
Foto: EC Bahia

Segurança nos protocolos do clube

Um dos protocolos de segurança para o retorno das atividades presenciais no centro de treinamento é a realização de testes de Covid-19 nos jogadores, comissão técnica e funcionários do clube a fim de dar maior tranquilidade à todos. Questionada sobre o receio de voltar aos jogos devido o contato físico, ela foi direta ao afirmar que confia nos profissionais do Esquadrão de Aço.

“Não ficarei não pois confio no trabalho dos profissionais que hoje existem dentro dos clubes. O futebol feminino vem em uma crescente da qual todos os profissionais estão ficando cada vez m ais qualificados”.

Retomada das competições

Até o momento não existe uma previsão para retorno das competições, apenas especulações. Dessa forma, perguntada sobre suas expectativas para a volta dos jogos, a arqueira foi breve na resposta, mas revelou que tem fé acima de tudo.

“Eu tenho manter a fé em Deus e minhas expectativas são boas pois estamos vendo que aos poucos os clubes estão retornando”.

Goleira Fernanda
Arquivo Pessoal

Admiração pelo projeto do Bahia

Que o Bahia é um clube positivamente diferenciado não é novidade para ninguém. O presidente Tricolor, Guilherme Bellintani, declarou recentemente que nunca cogitou corte no futebol feminino na pandemia. Assim sendo, a  goleira Fernanda fez questão de exaltar as qualidades do clube que dá todo o apoio e suporte as suas jogadoras, sobretudo destacou que todos deveriam conhecer o projeto.

“Queria que todos conhecessem o que o Clube Bahia vem fazendo pelo Feminino , se é um exemplo a seguir, somos tratadas como profissionais sendo assim só tenho elogios sobre tudo isso”.

Foto Destaque: Natália Ramos

 

 

Avatar
Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

Artigos Relacionados