Com a paralisação dos campeonatos por conta da pandemia do COVID-19, os jogadores e os torcedores estão em casa fazendo isolamento social. Por conta disso, as grandes emissoras de televisões estão reprisando jogos importantes dos clubes para a torcida pode matar um pouco de saudades de assistir seu time em campo. Assim, para a galera do Timão é sempre bom lembrar a vitória sobre o Boca Juniors por 2 a 0, na final da Libertadores de 2012, com dois gols de Emerson Sheik.

CARINHO PELO CLUBE

Naquela ocasião, o ex-jogador foi herói de um título inédito e virou ídolo para a torcida. Com isso, no último domingo (17), participou de uma live com Benjamin Back, apresentador da Fox Sports, e contou sobre qual é a sensação de vestir a camisa do Corinthians.

“Eu tenho um hábito de dizer sempre aos amigos que eu joguei no Corinthians porque assinaram um contrato profissional, onde ia prestar os serviços e receber por isso. Cheguei em 2011 e me aposentei. Criei um sentimento de carinho e respeito. Em algum momento eles talvez tenham reclamado de alguma maneira, mas eles sabem perfeitamente que essa parte profissional passou”.

Eternamente no coração da torcida pelo feito conquistado, o ex-atacante se aposentou no clube e foi dirigente do Timão. A função era de integração dos jogadores da base com o departamento profissional, mas ficou pouco tempo no cargo. Foi demitido em 2019, depois de uma polêmica com a diretoria na época. Mesmo sendo um jogador bastante questionável, ele gosta desse carinho da torcida que tem até hoje.

“Hoje é uma parte que envolve amor, carinho e respeito. Quero deixar meus agradecimentos aos torcedores por tanto amor e carinho. As pessoas mandam mensagem agradecendo, Eu fiz de coração, e ainda recebia pra isso. Eu amo todos vocês. Dentro de campo era um enorme prazer”, relatou Sheik.

LIBERTADORES 2012

Naquela ocasião, a equipe do Corinthians não era candidata ao título da américa. Foi campeão Brasileiro de 2011 com folga e por isso conquistou a vaga para disputar o caneco inédito. Na primeira fase a equipe paulista ficou no Grupo 6 com Deportivo Táchira, Nacional e Cruz Azul. Os primeiros jogos foi bom para o Timão, jogou seis vezes e venceu quatros jogos e dois empates. Conquistando 14 pontos e acabou ficando em primeiro do grupo.

Nas oitavas pegou o Emelec, do Equador, no sorteio. O primeiro jogo fora de casa e terminou empatado em 0 a 0. Por outro lado, o jogo de volta foi um baile do Corinthians vencido por 3 a 0. Nas quartas de final, a equipe paulista fez um clássico nacional com o Vasco. Na ocasião, o primeiro jogo foi empate novamente sem gols. E no segundo confronto, deu Timão por 1 a 0.

LANCE HISTÓRICO

Vale lembrar que, na segunda partida teve um lance que ficou marcado na história, protagonizado por Diego Souza, jogador do Vasco na época, e o goleiro do Corinthians, Cássio. O meia vascaíno roubou a bola do adversário no meio de campo e correu livre até o gol. Ao chegar perto, decidiu chutar no canto, mas Cássio estava esperto e conseguiu se esticar todo para fazer a defesa. Muitos acham que o erro foi do jogador, outros supõem que foi totalmente méritos do goleiro em ter realizado a defesa.

Assim como nas quartas o Corinthians fez outro clássico. Desta vez, o adversário era o Santos de Neymar, um clássico estadual. Por outro lado, venceu o primeiro jogo por 1 a 0 e saiu na frente pela vaga na final daquele ano. A segunda partida foi empate em 1 a 1, mas o Timão levou a melhor por conta do critério de gol fora de casa.

FINAL

Com isso, o Corinthians chegou à final invicto e tinha pela frente o Boca Juniors, um dos times mais copeiro da competição. O adversário tinha seis títulos como campeão da América, enquanto o Timão lutava pelo seu primeiro. À primeira vista, muitos torcedores rivais davam como certo a vitória do Boca naquela edição, mas não foi isso que aconteceu.

O primeiro duelo aconteceu na Argentina, no Estádio La Bombonera. Com a torcida rival fazendo pressão, o time brasileiro jogou de igual para igual contra os argentinos e empatou por 1 a 1. Os gols foram marcados por Roncaglia, para o Boca, e Romarinho para o Timão. Assim, o Corinthians foi com a vantagem do empate para o segundo jogo, por conta do feito fora de casa. E foi aí que brilhou a estrela de Sheik.

O ex-atacante marcou os dois gols da vitória, contra um Boca de Riquelme, onde todos falavam que o time argentino iria levantar o caneco. Por outro lado, o Timão, que era desacreditado nessa edição, foi lá e fez seu dever de casa. Passando por dois clubes brasileiros, sendo uma partida clássico estadual contra o Santos de Neymar. Vale lembrar, que o Corinthians foi campeão invicto na Libertadores de 2012, um feito que não era conquistado desde 1978 realizado pelo Boca Juniors.

https://www.instagram.com/p/B5s0srXg9vp/

Foto Destaque: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians 

Avatar
Gabriel Gonçalves
Formado em jornalismo, escolhi esse caminho pois gosto de contar histórias para as pessoas. Apaixonado por esportes, agradeço ao meu avô por ter colocado o futebol na minha vida.

Artigos Relacionados