Drible da vaca

A coluna Dicionário do Futebol desta semana traz uma breve explicação de como funciona e de onde surgiu o famoso “Drible da vaca“, também conhecido como “Meia-lua” e “Gaúcha”.

O termo é um dos mais conhecidos no dicionário da bola. Isso porque muitos craques já enganaram seus adversários com esse drible. No entanto, poucas pessoas sabem a origem deste nome tão criativo e incomum. Sendo assim, na coluna de hoje, iremos fazer um apanhado da jogada e contar um pouco mais da história por trás do nome. Sabe o que é? Como funciona? Como fazer? O Dicionário do Futebol te explica.

COMO FUNCIONA

Em suma, este drible acontece quando um jogador, ao enfrentar um adversário, chuta a bola para um lado, corre para o outro e consegue recuperá-la em seguida. Desse modo, o jogador adversário se confunde entre buscar a bola ou marcar o adversário.

Durante a jogada é muito importante observar quem está a volta. Havendo outros atletas adversários chegando por atrás do marcador, é provável que eles consigam recuperar a bola. Isso porque, quando o atacante chutar a bola e correr na direção contrária, muito provavelmente será marcado e perderá a bola. Além disso, esse lance depende de muito espaço de campo e agilidade. Para realizá-lo com sucesso, é preciso estar atento a todos esses fatores.

COMO SURGIU

Não existe um jogo, nem um jogador específico que realizou o drible pela primeira vez. A história do nome “drible da vaca” é bem cômica e surgiu no início do século XX, quando o futebol começou a se tornar uma paixão nacional. Na época, as peladas estavam se expandindo das grandes cidades para as pequenas. Desse modo, os moradores do interior começaram a improvisar campos de futebol em áreas de vegetação (pastos) e, consequentemente, ocupar locais onde os animais eram criados.

Como resultado, durante as partidas, era muito comum um animal invadir o campo. Geralmente eram vacas furiosas, estimuladas pela movimentação dos jogadores. Para não perderem a bola, os jogadores buscavam meios para se desviarem dos animais. Foi então que surgiu o termo “drible da vaca”. Posteriormente, os jogadores começaram a realizar o lance contra os adversários. O drible é um dos mais famosos e já foi protagonizado por vários ídolos durante a história, incluindo o rei Pelé, na final da Copa do Mundo de 1970.

“O gol que não foi, mas que deveria ter sido”:

O “quase gol” ficou bastante conhecido como “Drible do Pelé”. No entanto, ele é um dos vários tipos de dribles da vaca. No lance, Pelé se safa do goleiro, realizando a jogada, mas sem tocar na bola. Posteriormente ele chuta para o gol e a bola sai pelo lado esquerdo do gol.

QUEM JÁ FEZ

Vários craques já fizeram o drible. Leandro Damião foi um deles. Na final da Libertadores 2010, o atacante iniciou a jogada do segundo gol do Internacional com esse drible. Assim sendo, o Inter se consagrou campeão sobre o Chivas naquele jogo. Da mesma forma que Damião, em 2011, pela Seleção Brasileira, Neymar também realizou o drible. O jogo foi contra a Argentina, pela final do Superclássico das Américas. Veja como o atacante brasileiro escapou do lateral Emiliano Papa:

O craque Romário também já enganou muitos adversário com o drible. Além disso, vários de seus gols começaram com a jogada. Veja abaixo o top 5 dos dribles da vaca realizados por ele:

COMO FAZER

Pode parecer simples, mas precisa de muita habilidade para realizá-lo:

1°- Leve a bola até o adversário (cerca de um metro);

2°- Observe se não há marcadores atrás dele;

3°- Chute a bola para direita (caso seja destro) ou pela esquerda (caso seja canhoto);

4°- Dê a volta no jogador pelo lado oposto e recupere a bola.

Foto Destaque: Museu da Pelada / Chargista: Eklisleno Ximenes

Isabella Cunha
Sou de Belo Horizonte, tenho 22 anos, estudo jornalismo na PUC Minas, sou cartoleira e apaixonada por um time aí. Admiro a influência do futebol na vida das pessoas e, claro... na minha! Essa paixão me move, eu vivo por esse sentimento. E viverei. Tanto pessoalmente, como profissionalmente.

Artigos Relacionados