Dado Cavalcanti lamenta eliminação do Bahia, mas faz ressalvas

Nesta quarta-feira (4), o Bahia venceu o Atlético-MG na partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Mas, mesmo assim, o Tricolor não segue na competição, já que tomou 2 x 0 no Mineirão. Assim, em entrevista coletiva após o jogo, o técnico Dado Cavalcanti aproveitou para defender os seus comandados. Bem como, elogiou o elenco por ter superado a sequência ruim. Além disso, o treinador comentou sobre outros assuntos ligados ao desenvolvimento da partida.

Dado Cavalcanti elogia o elenco do Bahia

O técnico do Bahia, Dado Cavalcanti, lamentou a eliminação na Copa do Brasil diante do Atlético-MG. Ainda que o time tenha conseguido vencer por 2 x 1, não foi o suficiente. No entanto, o treinador fez questão de fazer algumas ressalvas.

“Sabemos o quanto nossos atletas são valentes, procuramos sempre estar motivando, tentando tirar algo deles que possa contribuir mais. Hoje foi uma resposta muito boa do nosso elenco. Foi com esse elenco aí que colocamos o Atlético ‘nas cordas', e fizemos a classificação deles ficar em risco. Por muito pouco não passamos. Mas, lógico que eu lamento e fico triste pela eliminação, queria ter continuado na Copa do Brasil”, disse Dado.

E sobre as mudanças?

Durante a partida, foi notório nas redes sociais a torcida reprovando as mudanças do treinador. Mas, uma em especial gerou muitas críticas: a entrada de Lucas Araújo no lugar de Patrick de Lucca. A saber, o volante saiu por motivos físicos.

“Qualquer escolha naquela oportunidade, ganhando de 2 x 0, traz uma diferença muito grande. O Patrick é um primeiro volante, que tem a característica completamente diferente de todos os outros jogadores que eu tenho à disposição. Mas, eu tinha duas opções naquele momento: era Lucas Araújo ou Edson. Nem pensei no Galdezani, porque já tínhamos o placar a nosso favor. Além disso, não entendo que é uma entrada que comprometa o jogo. Acho que a saída foi mais decisiva, pois a gente perdeu muito”, analisou o técnico.

Além disso, Dado falou sobre as dificuldades que o clube vem tendo para reforçar o elenco.

“Eu sei, e já deixei claro isso para todos, que a gente tem dificuldade no mercado. Nós temos um pouco de problemas para reforçar mais o elenco, então vamos procurar fazer o melhor com o grupo que temos aqui. Acho que eles estão dando conta, e já deu muitas respostas anteriormente, e eu espero que a gente continue dando”, admitiu Dado.

Dado Cavalcanti explica queda de Rodriguinho e Gilberto

Ao ser questionado sobre a queda de rendimento de RodriguinhoGilberto nos últimos jogos, Dado foi categórico. Falou sobre a maratona de jogos e a idade dos atletas. De acordo com o técnico, a parte física está pesando.

“Sequência de jogos! São dois jogadores experientes, mais velhos, que estão dando tudo dentro de campo. Gilberto hoje fez o 4° jogo seguido atuando os 90 minutos. O Rodriguinho vem sendo substituído. Até tivemos um período que ele fez trabalhos específicos para conseguir aguentar sem se lesionar. Hoje Giba lutou, como sempre, deu o melhor dele. Porém, a maratona de partidas é muito difícil de aguentar para esses dois jogadores. Ainda mais pro Gilberto que não tem sido substituído, e isso acaba comprometendo um pouco o rendimento”, explanou o treinador.

Mudança de esquema tático

Dado falou, durante a semana, que precisava “pensar fora da caixa” para conseguir sair da má fase. Então, ao ser questionado na coletiva, o técnico explicou as drásticas mudanças táticas que promoveu diante do Atlético-MG.

“Depois do último jogo eu falei que precisávamos ‘pensar fora da caixa'. E quem assistiu ao jogo, viu que eu mudei completamente nosso desenho. Nós entramos com um 4-4-2. O Rossi não era extremo, inclusive o gol dele foi numa jogada por dentro. Além disso, haviam dois meias. E não tenho dúvida que isso fez o encaixe de marcação do Atlético ser comprometido. Em síntese, tínhamos Rossi e Gilberto caindo nas costas dos defensores adversários. E também Mugni e Rodriguinho fazendo uma dupla de meias. Lembrando até os anos 90, época do meia direita e esquerda. Jogadores que participam mais próximos dos atacantes”, explicou Dado.

Agora, o Bahia “muda a chave”, e já pensa no Brasileirão, única competição a ser disputada pelo Tricolor até o fim da temporada. Assim, o time treina em Pituaçu nesta quinta-feira (5), e já viaja no mesmo dia para o Mato-Grosso. Lá o Esquadrão faz outro trabalho no estádio Dito Souza, para enfrentar o Cuiabá no próximo sábado (7), às 21h (horário de Brasília).

Foto destaque: Divulgação/Felipe Oliveira/EC Bahia

Caian Oliveira
Minha paixão sempre foi o futebol. Mas, nunca sonhei em ser jogador. Não, meu sonho de moleque era levar o futebol às pessoas através da Comunicação. E aqui estou, realizando meu sonho.