cuca

Em suma, ao fim da partida contra o Internacional, Cuca tirou um peso das costas. Decerto, o treinador sabia a importância daquela vitória para a sequência do Galo no ano. O time, líder da competição, sentiu a eliminação na Libertadores e precisava virar a chave rapidamente, para não desandar no torneio nacional.

Portanto, com grande campanha, Cuca comentou sobre os momentos pré partida e tudo que poderia acontecer, se o time não conseguisse os três pontos:

“Hoje a gente tem mais de 80% em casa, quase 70% de aproveitamento fora, uma invencibilidade dentro do Campeonato Brasileiro de 15 jogos, com 12 vitórias. São números expressivos, números que dificilmente o Galo teve no passado, se é que teve. Eu acho que nem teve. E é posto em cheque numa partida”.

Logo no começo do jogo, a torcida do Atlético-MG pediu raça ao time como demonstração de entrega, para conseguirem avançar ainda mais no Brasileirão. Portanto, Cuca também comentou sobre a postura da torcida na partida:

“A gente tem a melhor campanha na Libertadores, uma invencibilidade, e você é eliminado dentro dos critérios da competição. Você é posto em cheque quatro dias depois. O emocional não vai estar tranquilo, vai estar instável. Não é abalado. É instável. E não só o do jogador, mas do torcedor também. O jogo começou com a torcida pedindo raça para o time. E geralmente isso acontece quando ela não está plenamente satisfeita”.

Foto destaque: Reprodução/Atlético-MG
Robert Ferreira
Sou o Robert! Fiz jornalismo para vivenciar histórias, estar dentro dos fatos e o principal, ter acesso a verdade, sempre! O esporte sempre esteve na minha vida, e unir a escrita com o futebol seria é o ideal de vida. Escrevi para redação do jornal universitário além de atuar fortemente nas redes sociais com posicionamentos sobre cultura negra. Sujeito calmo com o objetivo de ganhar o mundo!