Copinha 2022 - Santo André

Após o apito final da partida contra o Joinville pela Copinha 2022, que aconteceu na sexta-feira (7). O goleiro Gabriel, do Santo André falou com exclusividade para o Futebol na Veia sobre o desempenho defensivo do time que subiu de nível. Contudo, apesar do empate, fica a menção honrosa para os defensores, incluindo o próprio jogador, que fez excelentes defesas, não podia ficar de fora.

“A gente no segundo jogo entrou bastante ligado sabendo da importância do jogo contra o Joinville, sabemos que era um time forte e ágil na frente. A vontade da nossa zaga foi espetacular para esse segundo jogo do começo ao fim da partida”.

Contudo, o desemprenho defensivo foi fundamental para que o Santo André saísse com um resultado, que mantivesse o Ramalhinho vivo na Copinha 2022. Agora a equipe vem pro tudo ou nada contra o Camaçariense, e precisando que o Joinville não vença o Audax.

PARTIDA CONTRA O AUDAX PELA COPINHA 2022

Sendo assim, falando sobre a partida contra o Audax, na estreia da competição, Gabriel comentou que a equipe sentiu um pouco o peso da estreia. Além de que a desatenção provocou os dois gols do adversário. O Santo André perdeu na estreia pelo placar de 2 x 0.

O primeiro gol aconteceu no final da primeira etapa, a bola ficou viva na entrada da área, e Borges girou bonito e finalizou no canto esquerdo. Enquanto o segundo, na rebatida, a bola ficou com Borghetti, que finalizou de longe por cobertura.

Por fim, o jogador falou um pouco sobre suas inspirações, e quando perguntado se tinha algum outro goleiro como espelho, o camisa 1 disse que, desde pequeno, acompanhou muito o Paulo Vitor, que teve passagens pelo Flamengo e pelo Grêmio, mas hoje atua pelo Marítimo, de Portugal.

Foto destaque: Divulgação / Twitter/ Santo André

Ivan Garcia
Me chamo Ivan Garcia. Tenho 21 anos, sou estudante do 8º semestre de jornalismo na Faculdade Paulus de Tecnologia e comunicação - FAPCOM. Fanático por todos os esportes, o futebol é algo que sempre esteve comigo, e desde criança sonhava em fazer parte do ramo esportivo. Acredito que não existe emoção maior que não seja no esporte, você fica feliz e triste em questão de minutos, e é isso que me faz gostar cada vez mais.

Deixe um comentário