Confronto entre Cruzeiro e CSA e marcado por confusão, polícia e spray de pimenta nos jogadores

Desde 2019, Cruzeiro e CSA vêm formando uma rivalidade entre seus elencos e torcidas. Nesse sentido, após o jogo deste domingo (26), uma confusão entre as equipes se formou e necessitou de intervenção da polícia, que lançou spray de pimenta nos jogadores envolvidos no tumulto.

Após o fim do jogo, na vitória do clube alagoano por 2 x 1 de virada, uma confusão entre as delegações tomou conta do gramado e jogadores do Cruzeiro tentaram invadir o vestiário do CSA. Logo, a polícia interveio e se viu na necessidade de utilizar spray de pimenta nos jogadores.

A rivalidade entre CSA e Cruzeiro

No ano de 2019, quando Cruzeiro e CSA estavam na Série A do Brasileirão, um áudio enviado de Thiago Neves para o então Gestor de Futebol da Raposa, Zezé Perrella, vazou cobrando o pagamento e apontando insatisfação dos jogadores com a situação do clube. 

Contudo, uma frase dita por Thiago no áudio alterou totalmente o clima entre o Azulão e o Cabuloso. Diante da situação do clube, e ao tentar demonstrar empenho, o meia disse: “Se não ganhar do CSA pelo amor de Deus, pô” para Zezé. Assim, o futebol brasileiro ganhou uma nova rivalidade. 

Segue transcrição completa do áudio:

“Fala Zezé, bom dia, cara, deixa eu te falar uma coisa. Eu estou pensando aqui, sei que está difícil para vocês aí arrumarem recursos, sei que está correndo atrás, mas estou falando por mim, não falei com ninguém tá, do time. Vê se você não consegue pelo menos pagar esses outros 60% antes do jogo de quinta-feira, que aí não precisa nem ter bicho, entendeu, para ganhar jogo. É uma motivação a mais para a gente cara, acertar o salário aí. Aí você não precisa arrumar uma premiação para ganhar o jogo, porque a obrigação nossa é ganhar esse jogo. Tá louco! Se a gente não ganhar do CSA, pelo amor de Deus. Pô, faz esse esforço para a gente aí, até quinta-feira, tentar acertar esses 60% que estão atrasados do salário.”

O fato é que desde a fala do jogador, o Cruzeiro não vence o CSA: são dois empates e quatro vitórias Azulinas

A confusão

A princípio, na partida deste domingo, o Cruzeiro começou vencendo e terminou a primeira metade à frente no placar. Contudo, o time alagoano voltou melhor para o 2º tempo e conseguiu a virada.

Assim, o estopim da confusão foi quando o clube alagoano marcou o gol da virada, e Iury comemorou simulando um telefone e gritando “Fala Zezé” em referência ao áudio de Thiago Neves.

Dessa maneira, o clima esquentou no Independência, Rafael Sóbis chegou a ser expulso aos 40′ do 2º tempo. Assim, após o apito final, Adriano, do Cruzeiro, e Cristovam, do CSA, se desentenderam e deram início à confusão. Nesse sentido, a briga se estendeu e os jogadores cruzeirenses tentaram invadir o vestiário do Azulão, foi aí que a polícia interveio e disparou spray de pimenta nos jogadores.

Segundo a assessoria cruzeirense, o meia Giovanni, um dos mais exaltados na confusão, chegou a discutir com a polícia por conta do uso de spray de pimenta nos jogadores. O batalhão de choque foi acionado para tentar controlar a situação. O elenco do CSA precisou permanecer no gramado por um longo período após o apito final, por conta do gás de pimenta ateado no vestiário.

Após a resolução da situação em campo, a conta oficial do CSA no Twitter levou a rivalidade para as redes sociais e provocou o time cruzeirense em seu perfil.

Como resultado, em sua súmula, o árbitro Flávio Rodrigues de Souza relatou a expulsão de Adriano e Cristovam por “trocarem socos”. Além disso, mencionou “tumulto generalizado” e citou a expulsão de Rafael Sóbis por reclamação.

Foto destaque: Divulgação/Fernando Moreno/AGIF

Breno Araújo