Confiança passa em branco nos primeiros jogos da Série C 2022

Na preparação para 4ª rodada da Série C do Brasileirão, o Confiança terá que superar uma estatística ruim nesse começo. Assim, depois de três jogos, o clube é ainda não marcou gols na competição. Logo, o sistema ofensivo passou em branco em todas as partidas, sendo um dos piores, junto com o Atlético-CE, ataque até o momento. O time tentará quebrar essa marca contra o Remo, no próximo domingo (1).

Ataque do Confiança em branco nos jogos

Primeiramente, o Confiança atuou em três jogos na 3ª edição nacional. Com um ponto somado, busca ainda sua 1ª vitória na competição. Desse modo, o setor ofensivo da equipe passou em branco nesses primeiros duelos. Os jogos foram nas derrotas para Floresta (1 x 0) e Botafogo-PB (1 x 0), e no empate contra o Ypiranga (0 x 0). Decerto, o Dragão do Bairro Industrial liderar a estatística negativa, ao lado do Atlético-CE.

Ademais, o Confiança teve duas escalações de ataque diferentes durante esses três jogos. Na estreia, ainda sobre o comando de Luizinho Lopes, o time teve Matheusinho, Pedro Oliveira e Renan Gorne de titulares. Nas outras duas partidas, sobre a regência de Bibi e Felipe Maestro, Ítalo ganhou a posição de Pedro Oliveira, sendo escalado ao lados dos outros dois companheiros.

Durante a semana o Confiança ganhou novos reforços para buscar o 1º gol na competição. Assim, com semana livre de trabalho para Felipe Maestro, foram anunciadas as chegadas de Roberto Baggio, Raí Lopes, Carlos Eduardo, Marquinhos e, por fim, Bruno Camilo. Todos já trabalham no clube e podem serem escalados na próxima partida.

Compromisso do Dragão

Desse modo, o Confiança volta a campo em uma data especial para o clube. No próximo domingo (1), completa 86 anos de história, com as comemorações acontecendo ao longo do dia. A noite, às 19h (horário de Brasília), diante do torcedor na Arena Batistão encara o Remo, em busca dos primeiros pontos na Série C do Brasileirão.

Foto destaque: Divulgação/Guilherme Drovas/Botafogo-PB

Victor Castro
Sou de Sergipe e sempre tive o sonho de trabalhar na área dos esportes. Acredito que esse mundo mexe com um dos sentimentos mais nobres de cada um, a paixão. E o jornalismo, o meio de eternizar grandes momentos através de roteiros que cativam as pessoas. Assim, cheguei ao jornalismo esportivo, onde procuro transmite os momentos dos esportes através das palavras.