Com experiência internacional, treinador avalia Série D no Brasil: “O nível é muito equilibrado”

A Série D está em seu momento decisivo. Com os jogos de ida das quartas de final já realizados, apenas a Aparecidense saiu em vantagem, tendo vencido o primeiro jogo diante do Uberlândia por 1 x 0, mesmo jogando fora de casa.

Enquanto isso, os confrontos entre Caxias x ABC e América-RN x Campinense terminaram sem gols. Assim também, Atlético-CE x Ferroviária ficaram no 1 x 1.

Assim, convidado pela TV Brasil para comentar algumas partidas da competição, o treinador Márcio Máximo falou sobre o nível do torneio:

“Vejo uma série com bons jogadores, com potencial. A estrutura (campos, estádios e etc) poderia ser melhor, mas é uma oportunidade para os clubes e jogadores com menor visibilidade mostrarem seu trabalho. Pode ser também uma ótima oportunidade de observação para clubes de séries mais elevadas. O nível é muito equilibrado o que eleva o nível de competição. Como treinador convidado, tenho observado vários jogadores de bom nível que no futuro podem integrar algum time que dirija. Além de ver alguma inovação tática, que os treinadores podem mostrar”, avaliou.

Qualidade do torneio

Com vasta experiência no futebol internacional, por já ter treinado equipes do Reino Unido e da África, além de seleções africanas e americanas, Márcio deu sua perspectiva em relação a qualidade apresentada com torneios nacionais de outros países:

“Difícil comparar, porque temos que avaliar diferentes aspectos tais como cultura, característica, clima e intensidade de jogo dos diferentes países. Mas poderíamos comparar a grosso modo com a Liga 1 da América Central como Honduras, Costa Rica e similares”, disse.

Assim, os jogos de volta das quartas de final da Série D acontecem no próximo final de semana. Dessa forma, Aparecidense x Uberlândia e Campinense x América-RN decidem os primeiros semifinalistas já no sábado (16). Enquanto isso, ABC x Caxias e Ferroviária x Atlético-CE definem os últimos classificados.

Foto destaque: Arquivo Pessoal

Lauren Berger
Lauren Berger, gaúcha e apaixonada por futebol. Cresci vendo grandes nomes do Brasil em campo e um sentimento especial cresceu em mim. Vi Ronaldinho Gaúcho, Fernandão, Cristiano Ronaldo, Iniesta e foi amor à primeira partida. Estudo na Universidade Luterana do Brasil-RS.