Chiquinho celebra classificação e prega concentração nos jogos das oitavas da Série D

Na noite da última segunda-feira (1), o Santa Cruz venceu o Retrô, por 2 v 1, em partida válida pelo jogo de volta da segunda fase do Campeonato Brasileiro da Série D e garantiu sua vaga nas oitavas de finais da competição. A partida de ida, no Arruda, havia terminado empatada, por 0 x 0. O meia Chiquinho, um dos jogadores que chegaram para a fase decisiva da competição, avaliou a partida e falou sobre a classificação do Tricolor.

Foi um jogo muito duro. Nós já sabíamos que iríamos encontrar grandes dificuldades, mas o nosso time é muito forte e guerreiro, então não desistimos nunca. Soubemos jogar o jogo e, graças a Deus, conseguimos conquistar essa classificação para a próxima fase. Estamos totalmente focados na busca pelo acesso para, aos poucos, ir colocando o Santa Cruz de volta entre os melhores”, disse.

Chiquinho foca nas oitavas de final

Apesar da euforia pela grande classificação, o Santa Cruz não tem muito tempo para comemorar. A equipe coral já conhece o seu adversário nas oitavas de finais e já começa a sua preparação para os dois próximos jogos. Nas oitavas, a equipe Pernambucana enfrentará o Tocantinópolis. Chiquinho contém a euforia e projeta os dois próximos duelos decisivos visando uma vaga nas quartas de finais.

Lógico que temos que comemorar, mas agora já passou. Vamos focar na preparação para os dois próximos jogos que irão definir o nosso futuro na competição. Agora toda partida é uma final e temos que jogar dessa forma, com sangue nos olhos e como se fosse o último jogo das nossas vidas. Sabemos da qualidade da equipe do Tocantinópolis, respeitamos muito eles, mas vamos buscar a nossa classificação para a próxima fase”, concluiu.

A saber que o próximo desafio da equipe Coral acontece neste domingo (7), contra o Tocantinópolis, às 16h (horário de Brasília), no estádio do Arruda. Ao passo que a partida é válida pelo jogo de ida das oitavas de final da Série D.

Foto destaque: Evelyn Victoria/Santa Cruz 

Tity Marx
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

Deixe um comentário