Atualmente, o futebol feminino brasileiro terá mais uma competição no calendário, a partir de 2022. Refere-se à Supercopa do Brasil de Futebol Feminino, que se inicia ano que vem, abrindo a temporada. O torneio vai reunir as oito melhores equipes classificadas no Brasileiro Feminino A1 e A2 de 2021, com disputa prevista para os meses de fevereiro e março.

Em suma, com a criação de uma nova competição, o futebol feminino vai ter seis campeonatos nacionais. Dessa maneira, são três profissionais (Brasileirão A1, A2 e a Supercopa do Brasil) e três de base (Brasileirão Feminino Sub-18, Sub 16 e a Liga de Desenvolvimento Sub-16 e Sub-14).

Rogério Caboclo, presidente da CBF, comentou sobre o torneio:

Esse é mais um passo no fomento e na valorização do futebol feminino, que é uma prioridade da nossa gestão. Com a criação da Supercopa do Brasil, atendemos à constante demanda por um calendário cada vez mais encorpado para nossos clubes. Esse é um dos grandes desafios no desenvolvimento da modalidade. Permitir que as atletas joguem em alto nível durante toda a temporada”.

Assim, a Supercopa do Brasil funcionará em formato mata-mata com as oito melhores equipes. Distribuirão as vagas entre os 12 melhores classificados entre o Brasileirão Feminino A1 e os quatro melhores do nacional A2.

Antes de tudo, os duelos terão a decisão  por meio de sorteio. O clube com a melhor posição no Ranking Nacional de Futebol Feminino de 2021 terá o mando de campo. Assim, a primeira fase da competição vai ser feita por partidas únicas. Por outro lado, a semifinal e a final acontecem em jogos de ida e volta.

Foto destaque: Reprodução/Mariana Sá/CBF

Carolina Lipares
Carolina Lipares
Desde pequena sempre me interessei pela parte da comunicação, em especial o jornalismo. Escolhi esta área, porque é algo que leva entretenimento para as pessoas, orienta e ajuda a formar opiniões. Meu objetivo é trabalhar com esporte(redatora, apresentadora, repórter...)