Captador de talentos do Boston City FC “descobriu” Fred, Mayke e goleiros para rivais mineiros

- Grandes talentos já estiveram nas mãos de Ademir Carvalho
Captador de talentos do Boston City FC "descobriu" Fred, Mayke e goleiros para rivais mineiros

Com boas passagens por times renomados no Brasil, Ademir Carvalho hoje é coordenador do Departamento de Captação de jovens atletas do Boston City FC Brasil. Aliás, Fortaleza, Ceará, Ituano e América-MG contaram com os trabalhos de quem está nos bastidores.

Sendo assim, Ademir já descobriu jogadores que estão atuando por grandes clubes nacionais. Os casos dos goleiros Kauã (base do Atlético-MG) e Vitor Eudes (profissional do Cruzeiro), além do atacante Samuel, que também está na Raposa, são alguns nomes.

Como chegou ao Boston?

Em suma, ele está desde 2015 no Boston City FC, quando Renato Valentim, CEO do clube, já planejava abrir uma filial no Brasil. Ademir chegou ao projeto após um convite feito por Palhinha, campeão da Libertadores e do Mundial pelo São Paulo.

“Eu joguei com o Palhinha na adolescência. Ele já conhecia o meu trabalho como técnico e captador de atletas”, disse Ademir.

Quando o clube passou a funcionar oficialmente na cidade de Manhuaçu (MG), em 2018, Ademir assumiu o comando técnico da equipe Sub-17. Desse modo participou da Taça Cidade de BH, conquistando o Módulo II do Campeonato Mineiro da categoria, o que garantiu o acesso do time à elite do Estadual.

“Começamos o projeto no Brasil sem nenhum atleta. Tivemos que fazer uma captação em todo o Brasil. Visitamos muitas cidades, observamos muitos jovens e levamos alguns para o clube. Fizemos um filtro até ficarmos com os jogadores que acreditávamos ter a qualidade necessária e o perfil do Boston City FC”, explicou o coordenador.

Caráter acima de tudo

Ademir também destacou, em primeiro lugar, que conversou com as famílias dos jovens para conhecê-los melhor antes de levá-los para Manhuaçu.

“Esse é o nosso grande diferencial. Analisamos tudo no atleta: qualidade técnica, comprometimento tático, capacidade de trabalhar em grupo e, principalmente, o caráter”, ressaltou.

Com a pandemia, o coordenador não pôde observar novos talentos in loco. No entanto, mesmo de casa, ele continuou trabalhando na captação com as ferramentas disponíveis.

“Se Deus quiser voltaremos às atividades presenciais. No entanto, estou reunindo muitas informações para municiar o trabalho das comissões técnicas e da diretoria quando retornarmos às competições”, afirmou.

Fred, Mayke e outros talentos

Antes do Boston City FC, Ademir trabalhou como técnico da base e captador de talentos em outros clubes, como Atlético-MG, América-MG e Cruzeiro.

No Galo, ele descobriu o meio-campista Fred, convocado para a último Mundial e atualmente no Manchester United. Além dele, João Pedro atacante do Cagliari, e Paulo Henrique, ex-atacante do Palmeiras e fez sucesso no futebol belga.

Do mesmo modo, Ademir também foi o responsável por descobrir o lateral direito Mayke, que começou no Siderúrgica. O atleta hoje defende o Palmeiras.

“Fico muito satisfeito por tudo o que estes jogadores conquistaram aqui e fora do país. Agora, a ideia é repetir esse sucesso no Boston City FC. O Renato já disse que seu maior sonho é ver um atleta nosso vestir a camisa da Seleção Brasileira. Vamos trabalhar para transformar esse sonho em realidade”, finalizou Ademir.

Ruan Silva
Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Topo