Bahia

Na noite deste sábado (7), o Bahia empatou com o Cuiabá, fora de casa, por 1 x 1. Portanto, o técnico Dado Cavalcanti comentou o jogo na coletiva, dizendo que faltou intensidade. Mas, elencando os motivos da queda de performance do time. Além disso, o professor tricolor falou sobre a situação do clube no Brasileirão e outros assuntos que foram pauta da entrevista. Então, confira os principais pontos.

Situação do Bahia no Brasileirão

Primeiramente, Dado discorreu sobre a situação do Tricolor na Série A. A saber, o time já soma um total de cinco partidas sem vencer, sendo quatro derrotas e um empate. Assim, o último triunfo do Esquadrão aconteceu há um mês atrás, contra o Juventude, por 1 x 0.

“O Brasileirão é cercado de alçapões e desafios grandes. Todas as equipes passam por oscilações. E nós estamos passando, talvez, pela pior delas. Nosso time não se encontrou, perdeu muitos pontos. Espero ter pontuado hoje e ter passado de vez por esse momento ruim que o Bahia teve. Torço para que a gente não repita uma sequência tão dolorosa como aconteceu nesses últimos jogos. A gente voltou a marcar no Brasileiro, e isso é bom. Somamos um ponto. Mas não estou satisfeito, longe disso. Deixamos muito a desejar nestas últimas partidas. Já passou da hora de voltar a vencer”, disse Dado Cavalcanti.

Dado comenta sobre o desempenho do Bahia

Por outro lado, Dado Cavalcanti analisou a forma como o time atuou diante do Cuiabá. De acordo com as suas palavras, o Tricolor não teve intensidade em nenhum momento do jogo, e explicou os motivos.

“Não faltou intensidade só após o gol, mas no jogo inteiro. A partida aqui no estádio foi muito mais difícil do que aparentou em casa. Nós fizemos um jogo absurdo de intenso, na quarta-feira a noite. Chegamos em Salvador 2h30, e às 14h já estávamos em Pituaçu para juntar os cacos (a verdade é essa), e encarar uma viagem extremamente desgastante para Cuiabá. Então, hoje não tivemos nenhum jogador com 100% da sua forma. Por isso, eu acho que a gente não perdeu intensidade após o gol, porque ela já não existia antes de fazê-lo, avaliou o treinador.

Além disso, ainda aproveitou para explicar o motivo de não ter escalado o artilheiro Gilberto como titular. A saber, o jogador começou o jogo no banco de reservas.

“O estilo não mudou do jogo contra o Atlético para esse. Nos fomos com dois atacantes hoje de novo, sendo eles Oscar Ruíz e o Rossi. O que mudou é que Gilberto está muito desgastado, e eu tive que poupá-lo. Aliás, em condições normais, o Gilberto nem teria viajado. Mas, ele quis estar com a delegação, fez um esforço para acompanhar os companheiros. Ainda mais neste momento difícil dentro do campeonato”, revelou o técnico.

Briga contra rebaixamento?

O técnico ainda foi perguntado sobre os maus resultados diante de equipes que, teoricamente, seriam adversárias diretas na briga contra o Z4. A saber, o Tricolor perdeu em casa para América-MGSport. Assim, o treinador admitiu os erros, e projetou uma melhora nos próximos jogos.

“Eu acho que merecíamos até o triunfo hoje, jogamos para vencer. Não fomos tão superiores assim, mas tivemos um pouco mais de controle das ações do que eles. Então sim, estamos perdendo muitos pontos contra adversários diretos na luta contra o rebaixamento. Poderíamos ter vencido o América-MG, o Sport e hoje o Cuiabá. Porém, vamos nos reorganizar nos próximos jogos. Agora temos um jogo em casa, contra o Atlético-GO, adversário que a gente entende que é direto na tabela”, projetou Dado.

Bahia entra em campo só no próximo domingo (15), quando encara o Atlético-GO em Pituaçu. Assim, Dado Cavalcanti terá uma semana livre para treinar pensando no adversário. Ademais, o time ocupa a 10ª colocação, com 18 pontos. No entanto, pode perder posições ainda nesta rodada, a depender dos resultados de complemento.

Foto destaque: Divulgação/EC Bahia

Caian Oliveira
Siga-me no Twitter: @caiansoliveira