Atlético-PR e Santos se enfrentam na noite de hoje, às 19h15, na Vila Capanema, pela primeira partida das oitavas de final da Libertadores. Um dos duelos mais equilibrados desta fase, o confronto torna-se ainda mais imprevisível por conta do momento das equipes: se tecnicamente o elenco alvinegro pode ser considerado superior, a fase do Furacão é melhor.

Nos últimos cinco jogos do campeonato brasileiro, o Atlético-PR conquistou 12 pontos, tendo vencido quatro jogos e sofrido apenas uma derrota. Na Libertadores, o Furacão se classificou na segunda colocação, com dez pontos. Foram três vitórias, um empate e duas derrotas. No Brasileirão, o Santos, por sua vez, venceu duas partidas, empatou outras duas, e foi derrotado em uma oportunidade. No torneio continental, classificou-se na primeira colocação, de forma invicta, com três vitórias e três empates.

Quem avançar de fase enfrentará o vencedor do confronto entre Palmeiras e Barcelona de Guayaquil, que se enfrentam na noite de hoje, no Equador.

Atlético-PR

Durante a semana, Eduardo Baptista não confirmou a equipe titular, mas a base certamente será mantida. Uma alteração confirmada é a volta de Paulo André. Wanderson, que vinha atuando ao lado de Thiago Heleno, foi expulso na última rodada da fase de grupos, e está suspenso. Para o comando de ataque, há a dúvida quanto a escolha de Grafite ou Éderson.

A força do Furacão é bastante associada ao fator casa. Porém, nesta quarta, o Atlético mandará o jogo no estádio do Paraná, a Vila Capanema, já que sua Arena recebe as finais da Liga Mundial de Vôlei. Mesmo assim, os comandados de Eduardo Baptista devem propor o jogo para ir á Vila Belmiro com maior tranquilidade.

Escalação provável: Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto e Lucho González; Douglas Coutinho, Nikão e Grafite.

Lesionado: Guilherme

Santos

O Peixe não vence há três jogos: pelo Brasileirão, perdeu para o Sport, na Vila, e empatou com o Atlético-GO, na última rodada, em Goiás; na Copa do Brasil, foi derrotado pelo Flamengo. O ataque, inclusive, vive um péssimo momento: o último gol marcado por um dos homens de frente aconteceu na 9ª rodada, quando Copete anotou dois tentos contra o Vitória. Contra um mandante indigesto, o Santos deve comportar-se de forma semelhante ao que ocorreu no último confronto contra os paranaenses: marcação forte e aposta nos contra-ataques.

Além de preocupar-se com a criação de jogadas de seu time, Levir Culpi sofre também com a expressiva quantidade de jogadores no departamento médico. Não bastasse as já conhecidas ausências, Vitor Bueno rompeu um dos ligamentos do joelho, Caju sofreu uma lesão de grau 1 na panturrilha e Rodrigão está fora por amigdalite.

Escalação provável: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Motta; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Bruno Henrique, Copete e Kayke.

Lesionados: Vitor Bueno (ruptura de ligamento do joelho), Caju (lesão muscular na panturrilha), Cleber (edema na panturrilha), Gustavo Henrique e Luiz Felipe (recondicionamento físico após cirurgias no joelho), Zeca (trabalho de reforço muscular depois de lesão muscular), Ricardo Oliveira (em recuperação de pneumonia) e Rodrigão (amigdalite).

Retrospecto: na Libertadores, em dois confrontos, o Furacão tem 100% de aproveitamento. Em 2005, o time paranaense venceu os dois jogos – 3 a 2 e 2 a 0 – das quartas de final. No último duelo, contudo, o Peixe levou a melhor – vitória por 2 a 0.

Arbitragem: o trio chileno será composto por Roberto Tobar (árbitro), Marcelo Barraza e Claudio Rios (assistentes).

Transmissão: Fox Sports

André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

Artigos Relacionados

Comments are closed.