Apresentado oficialmente, novo comandante do Ceará fala de Libertadores

O Ceará apresentou, na última terça-feira (15), o seu novo comandante para o restante da temporada. Trata-se de Marquinhos Santos, de 43 anos. Dessa forma, o Alvinegro de Porangabuçu é o 15° clube da carreira do professor. Em sua primeira entrevista, animou o torcedor. Isso porque já falou de um dos objetivos que terá no comando do clube: levar o Vozão até a disputa da Copa Libertadores. O que seria a primeira na história da equipe cearense.

“Do que eu vi do elenco, da estrutura, e conversando com o presidente e seus pares, em especial o grupo de jogadores, o brilho no olhar deles, foi o mesmo de quando assumiu o América. E naquele momento o América não sonhava com a Libertadores, e sim com a permanência na Série A. E o Vozão já passou desse patamar. Chegou a hora do Ceará bater na Libertadores”, iniciou.

Repetir o feito

Ex-América Mineiro, conseguiu uma vaga para a primeira Libertadores do Coelho. Agora, em uma outra equipe que nunca jogou a maior competição da América Latina, terá de repetir o feito. Ainda assim, ressaltou que o Alvinegro tem total capacidade de ir bem em todas as competições que disputa. A saber, garantiu vaga em seu primeiro mata-mata de sul-americana vencendo todas as seis partidas. Inclusive, contra o Independiente na Argentina. Vai jogar as oitavas de finais da Copa do Brasil e está em 13° no Campeonato Brasileiro com 14 pontos.

Nós temos que fazer de tudo nessas três frentes, temos três oportunidades. Brasileiro, Sul-Americana e Copa do Brasil. Nós temos que entregar tudo. Os dias serão mais longos e as noites mais curtas. O empenho, a dedicação e a entrega é para que possa deixar sempre um legado. E falei para o presidente: está na hora de o Ceará bater na Libertadores. Chegou o momento. E fico feliz com essa oportunidade e confiança do presidente, do grupo de jogadores e em especial do torcedor”, concluiu.

 

 

Foto Destaque: Diario do Nordeste 

Caio Santos
Jornalista Esportivo, 23 anos, apaixonado por esportes. Na minha carreira, almejo ser comentarista de futebol e o meu maior sonho é cobrir uma Copa do Mundo.

Deixe um comentário