Appito: o futebol com os amigos na palma da mão

Imagine você estar em casa e do nada bate aquela vontade jogar futebol com os amigos, mas não os encontra para isso. Imagine ter na palma da sua mão a solução para esse impasse. Pois bem, hoje em dia você pode resolver essa questão em poucos minutos, graças ao Appito, aplicativo para smartphones que vem para revolucionar o conceito da simples pelada. Entrevistamos Rodolphe Timsit, presidente da franquia, que nos informou um pouco mais doa proposta do aplicativo.

A ideia era construirmos um aplicativo onde por meio de um mapa, os jogadores poderiam encontrar jogos próximos e conhecer novas pessoas. Já era isso o que acontecia naturalmente em parques e quadras públicas, mas ainda não existia uma plataforma organizada. Foi a partir dessa ideia que surgiu o Appito e toda a evolução que vemos nele.

(Divulgação/Appito)

Um pensamento simples que aos poucos vem ganhando adeptos entre os amantes do futebol. Até parece coisa de vídeo game, mas se observarmos melhor, a proposta do Appito não chega a ser tão diferente dos famosos consoles de realidade virtual já existentes.

A ideia do Appito é trazer a mesma experiência que a galera tem nos jogos de futebol jogados há muito tempo, no futebol da vida real, sendo uma experiência que até então só era possível para os jogadores profissionais.

Para que isso aconteça, o jogador cria o seu perfil na plataforma do Appito, informando sua posição em campo, gráfico de habilidades, nível de futebol e etc. Feito tudo isso, é possível encontrar por perto ou até mesmo organizar o próprio jogo com o aplicativo, que proporciona ainda relatórios de gols, assistências e até mesmo uma avaliação da atuação dele naquela partida.

Todos esses dados ficam registrados no seu perfil, fazem evoluir a sua pontuação própria, além de gerar rankings como quem foi o melhor da partida, quem é o artilheiro, o melhor goleiro, etc.

(Divulgação/Appito)

Com toda essa modernidade, que antes poderíamos ver somente nos vídeo games ou nas grandes competições da vida real, o Appito sendo bem utilizado e analisado, consegue formar uma nova concepção no que diz respeito a olheiros pelo Brasil.

Acaba sendo uma evolução natural a partir do momento em que ele for adotado em um número alto de jogos de futebol amador ao redor do mundo. Os métodos de avaliação e toda a lógica da gamificação, em larga escala, vão permitir encontrarmos novas jóias por aí.

Apesar de sua grande utilização ser feita dentro do Brasil, já há indícios de que o aplicativo funcione também em outras partes do mundo, pois ele tem a tradução para o inglês e espanhol, duas línguas de maior abrangência no mundo.

Na verdade além do Brasil ele está habilitado para ser usado em qualquer lugar do mundo. Como está traduzido para espanhol e inglês, já vemos jogos acontecendo em lugares que não imaginávamos.

A aceitação do público masculino já é notória e a utilização do app é cada vez mais observada pelos quatro cantos do país, mas as mulheres que também gostam de jogar futebol, estão aderindo não só ao esporte, mas também ao aplicativo, pois elas também querem o seu espaço dentro de campo. A máxima sobre os olheiros no masculino, também pode ser utilizada com as meninas, é uma das boas apostas que o aplicativo pode trazer para as quatro linhas. Para Rodolphe, essa é mais um dos campos em que o app pode atuar e ajudar no crescimento do esporte.

Estamos percebendo um crescimento relevante do futebol feminino e isso está se traduzindo no aplicativo. Entendemos que o Appito pode ter uma papel fundamental nesse fomento, facilitando o encontro das mulheres para a prática do esporte e centralizando essa conexão entre elas. Com a adoção do Appito entre as mulheres, não temos dúvida que a prática do esporte tenderá a aumentar ainda mais, principalmente pelo fato de auxiliarmos nesse encontro entre pessoas com o mesmo interesse de jogar bola em uma determinada região.

Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva e sou de Altamira no Pará. Tenho pós-graduação na área de Letras, mas a paixão mesmo é o futebol e o jornalismo, tenho como ídolos ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning e Vitor Sérgio Rodrigues. Sou deficiente físico, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, Enfim! Sonho em fazer um passo a cada dia, um melhor do que o outro.

Artigos Relacionados