AMÉRICA-MG

Antes de mais nada, na tarde desta terça-feira (6), o América-MG  finalizou a preparação para o confronto contra o Fortaleza. Assim, a partida ocorre pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 18h (horário de Brasília), no Castelão. A princípio, o treinamento foi feito no Estádio Franze Morais, na capital do Ceará.

PREPARAÇÃO FECHADA

Em suma, no começo do treino, os jogadores fizeram exercícios de força e ativação, além de toques rápidos na bola. Ademais, os goleiros fizeram um trabalho à parte com o preparador Marcos Gontijo.

Logo em seguida, Vagner Mancini dividiu os atletas em dois grupos. Com isso, aprimorou a parte técnica e tática, a fim de melhorar o rendimento da equipe para a sequência da competição. Além disso, ajustou o posicionamento defensivo e ofensivo do time. Na sequência, houve um treino de bola parada. Por fim, os jogadores treinaram faltas e cobranças de pênalti, e a preparação foi concluída.

PROVÁVEL ESCALAÇÃO E DESFALQUES

Por fim, o América-MG deve contar com: Matheus Cavichioli, Eduardo, Anderson, Bauermann, João Paulo; Zé Ricardo, Juninho Valoura, Marcelo Toscano; Felipe Azevedo, Ribamar e Rodolfo.

Entretanto, o Alviverde não vai ter à disposição o atacante Bruno Nazário e o zagueiro Lucas Kal. Assim, segundo a assessoria do time mineiro, Nazário sentiu uma indisposição, porém já está treinando normalmente. Por outro lado, o desfalque de Kal é por opção da comissão. Contudo, não é a primeira vez que o defensor fica de fora da lista de relacionados, visto que não foi selecionado para a partida contra o Bahia.

Sendo assim, segundo o Coelho, é provável que o Coelhão leve três zagueiros nas viagens. Dessa forma, Anderson, Ricardo Silva e Eduardo Bauermann agradam mais o treinador.

Foto destaque: Divulgação/América-MG

Alex Ferreira
Sou o Alex, graduando em Jornalismo pela Uninove. Escolhi o jornalismo para ficar mais perto da minha maior paixão: o futebol. E nada melhor que juntar as duas coisas que mais amo. Acredito que a comunicação pode mudar e melhorar o mundo. Meu objetivo é dar voz para quem não tem, ouvir e contar histórias.