América continua com desfalques para encarar Fluminense

América segue com problemas no Departamento Médico. Às vésperas da partida contra o Fluminense, pela 12ª rodada do Brasileirão, o Coelho ainda tem jogadores importantes ausentes. Assim, será mais um jogo no qual o técnico Vágner Mancini não terá 100% do seu elenco à disposição. Portanto, confira quem fica de fora desse confronto, e os detalhes das lesões de cada atleta.

A maioria dos problemas físicos do América são no ataque. A saber, o time possui hoje dois atletas da posição no Departamento Médico. A saber, ambos jogadores de velocidade. Em suma, Matheusinho não atua há mais de um mês, desde 7 de maio. Bem como Paulinho Bóia, que está fora da equipe por lesão desde 3 de maio, quando jogou o clássico com o Atlético-MG na Libertadores.

América
Índio Ramírez também segue fora (Foto: Divulgação / América FC)

O meia colombiano Índio Ramírez continua tratando de lesão que o tirou da partida contra o Botafogo, no dia 21 de maio. Além disso, a defesa também tem desfalques. A saber, o zagueiro Iago Maidana continua entregue ao DM desde que se machucou no empate do América com o Corinthians.

Já o goleiro Matheus Cavichioli, que vinha de um período parado por conta de uma cirurgia cardíaca, voltou a se lesionar. O América anunciou que o goleiro segue em tratamento de uma lesão muscular.

“O goleiro Matheus Cavichioli, que sentiu uma fisgada na posterior da coxa esquerda durante o aquecimento do jogo contra o Ceará-CE, passou por exames que diagnosticaram uma lesão muscular no local. O atleta segue em tratamento no departamento médico do Clube”, atualizou o Coelho.

Recuperados no América

O atacante Pedrinho foi diagnosticado com uma amigdalite antes da partida contra o Ceará. Mas já se recuperou e deve ser opção para Vágner Mancini diante do Flu. Bem como o lateral-direito Eduardo que vem de longo tempo parado, está curado e treinando normalmente.

Foto destaque: Divulgação / América FC

Caian Oliveira
Minha paixão sempre foi o futebol. Mas, nunca sonhei em ser jogador. Não, meu sonho de moleque era levar o futebol às pessoas através da Comunicação. E aqui estou, realizando meu sonho.