Alexandre Campello, presidente do Vasco, reuniu-se com Rodolfo Landim, mandatário do Flamengo e com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, na última terça (19). Assim sendo, o ajuntamento gerou repercussão na imprensa brasileira. Na última quarta feira (20) o cartola vascaíno participou do programa Troca de Passes, do canal SporTV. Desse modo, Campello deu explicações e se aproveitou para se desculpar pelo fato de ter tirado uma foto sem o uso da máscara ao lado do líder político brasileiro.

Entretanto, Alexandre ressaltou a importância da reunião para a criação de um protocolo de segurança que visa o retorno seguro dos treinamentos no Brasil. Por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), as competições esportivas do futebol brasileiro foram suspensas.

Entretanto, alguns times já voltaram a treinar e algumas federações cogitam o retorno dos seus torneios. Porém, em um momento de curva ascendente no número de casos da doença no Brasil, os dirigentes se mobilizam para que diretrizes sejam criadas a fim de evitar mais contaminações.

“Fizemos várias reuniões por videoconferência com cerca de 30 médicos, de clubes e outros de for. O sentido é de criar um protocolo para, no momento em que fosse autorizada a volta do futebol. E nós estamos falando em voltar aos treinamentos, ninguém está pensando em jogar. O que queremos é estar preparados para.”, afirmou Alexandre Campello durante entrevista.

O presidente do Vasco acredita que o retorno aos treinamentos, seguindo os protocolos sanitários, proporcionaria aos atletas condições melhores de prevenção contra o vírus do que o cenário atual vivenciado em suas casas.

“O preparador vem, traz equipamentos, estão treinando, mas sem acompanhamento médico, sem testagem. Esse atleta não tem risco? Tem, maior do que se estivesse dentro do clube, com fiscalização, apoio, higienização. Todos sob cuidados, com protocolo muito tem estabelecido”, observou Campello.

Alexandre Campello questionou o não uso de máscaras no estúdio da Globo

Ao final da entrevista, Campello foi ousado e questionou porque os jornalistas Rodrigo Rodrigues e Ana Thaís Matos não estarem usando as máscaras de proteção no estúdio do “Troca de Passes”.

“Aliás, eu não vi vocês de máscara também. Eu conheço o estúdio, é fechado. E por que não estão de máscara? Assim como jogador vai estar trabalhando. Nós temos condições, dentro do protocolo, de manter o distanciamento. Você poderia usar a máscara, não iria diminuir o seu programa por isso”, questionou o presidente vascaíno.

Entretanto, Rodrigues aproveitou para explicar que a TV Globo utiliza de rígidos critérios de segurança para manter sua programação. Redações estão praticamente vazias, na bancada dos programas, na qual trabalhavam três, tiveram seu número reduzido a duas pessoas. Além disso, a higienização dos estúdios feito constantemente e a grande maioria dos programas feito de casa são outras medidas tomadas pela emissora. Sobre o uso da máscara, Rodrigo disse que em nenhum outro país, os âncoras de jornais tem usado.

Foto em Destaque: reprodução/Globoesporte

Lucas Vinícius Souza
Lucas Vinícius Souza
Meu nome é Lucas Vinicius de Souza. Tenho 24 anos sou formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, apaixonado por esportes, encaro o jogo como a vida, muitas coisas que acontecem no mundo das competições podemos fazer um paralelo com nossa vivência. No ramo da comunicação tenho experiência como Assessor de Imprensa do Sindicato da Construção Civil de São Paulo, Assessor de Imprensa na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e como redator freelancer na Agência 3xceler. Acredito que a escrita é uma arte, a arte de trazer informação, conselho e direcionamento aqueles que buscam conhecimento.

Artigos Relacionados