Afastado do Fluminense, Celso Barros detona Ganso: "Sonso"

Na noite do último deste sábado (17), o Grêmio venceu o Fluminense, por 1 x 0, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Maracanã. A saber, o técnico Roger Machado poupou muitos titulares no confronto, Assim, Ganso iniciou a partida pelo Tricolor das Laranjeiras, mas uma declaração do atleta rendeu críticas de Celso Barros, vice geral afastado do Fluminense.

Nesse hiato, ao ser substituído, Paulo Henrique Ganso reclamou da decisão de Roger Machado. Assim, o camisa 10 disse que ‘sempre é substituído’ pelo comandante do time. Com isso, o vice-presidente, afastado do Fluminense desde o fim de 2019, se manifestou nas redes sociais.

Em uma postagem, Celso Barros falou sobre as atuações de Ganso no Time de Guerreiros. Além disso, o vice geral do clube chamou o meia de “sonso” e apontou indisposições causadas pelo atleta no clube.

“E mais uma vez, o meia Ganso reclamou ao ser substituído. Quem deveria reclamar é a torcida do Fluminense, porque o atleta em dois anos e meio de contrato não jogou nada. Além disso Ganso é um sonso”.

“Gosta de derrubar técnicos e até dirigentes. Quando estive no futebol do Flu, ele procurou me indispor com o grupo, porque não se conformava com a saída do técnico Fernando Diniz. Estavam juntos com ele Danielzinho e Gilberto”.

Outras declarações do vice geral afastado do Fluminense

Da mesma forma, o dirigente afastado do Fluminense criticou o presidente Mário Bittencourt e o executivo de futebol Paulo Angioni. Bem como, analisou a derrota do Flu para o Grêmio e falou sobre a disputa do time pela Libertadores.

“Evidentemente, tudo isso aconteceu sob o olhar complacente do presidente “bitcoin”. E também do executivo de futebol Paulo Angioni, pessoa de quem gosto, mas que como empregado do clube, se submete às ordens do reizinho”.

“Aliás o jogo Flu x Gremio, foi de uma pobreza técnica impressionante. Enfim, agora é aguardar o jogo contra o Cerro, quando iremos confirmar o que disse em outro post, a nossa classificação para as quartas de finais da Libertadores. ST”.

Foto Destaque: Divulgação/ Fluminense

Juliana Veiga
Estudante de Jornalismo, carioca, 22 anos. Escolhi o jornalismo, pois é uma profissão admirável, que apresenta uma amplitude de áreas para atuação e possui a missão de informar e formar opiniões. Desde a minha infância sonhava em ser comunicadora, e a paixão pelo futebol sempre esteve presente em minha vida. Assim, tornando o jornalismo esportivo a primeira certeza que tive na profissão. Redatora em sites jornalísticos e apaixonada por esportes, escrita e fotografia.

Deixe uma resposta