Ademir pelo América-MG

Antes de mais nada, o atacante Ademir vive impasse na renovação com o América-MG. Com vínculo válido até dezembro, o atleta já pode assinar com qualquer time e deixar o Coelho de graça a partir de 2022. Contudo, aos 26 anos, ainda não definiu seu destino.

Sendo assim, segundo o GE, até o momento, não houve proposta oficial de renovação por parte do América. Ademais, também não houve proposta por parte do Galo, somente uma consulta formal. Mas a intenção do time alvinegro seria contar com o velocista ainda nessa temporada. Entretanto, o atleta já disputou cinco partidas pelo Brasileirão. Assim, caso dispute mais duas partidas pelo Coelho, não poderia jogar a competição por outro time. Pela Copa do Brasil, não poderia atuar pelo Galo.

Em sequência, segundo a apuração, o América-MG tem interesse pela renovação, mas não houve avanços nas negociações até aqui. Outras equipes já tiveram interesse em Ademir, com destaque para o Palmeiras, que chegou a negociar valores de salário com o atleta, porém, a negociação não vingou. Inclusive, desde lá, o jogador caiu bastante de rendimento e não repete as mesmas atuações da temporada anterior.

No Atlético-MG, o atacante chegaria para ser alternativa para substituir Savarino, pois o venezuelano é convocado com frequência para a seleção. Em contrapartida, mesmo em fim de contrato, não seria um negócio considerado fácil, visto que a equipe americana não costuma facilitar em suas negociações, ainda mais para um rival.

Números de Ademir pelo América-MG

A saber, em 2021 o atleta fez 18 partidas e marcou dois gols. No ano passado, atuou em 24 jogos e fez oito gols, sendo peça importante da equipe na Série B, na época comandada por Lisca, e na ótima campanha pela Copa do Brasil, onde o Coelhão chegou nas semifinais da competição. No momento, Ademir se recupera de uma lesão, sendo que, entrou em campo pela última vez contra o Palmeiras, no dia 20 de junho.

Foto destaque: Divulgação/Mourão Panda/América-MG

Alex Ferreira
Sou o Alex, graduando em Jornalismo pela Uninove. Escolhi o jornalismo para ficar mais perto da minha maior paixão: o futebol. E nada melhor que juntar as duas coisas que mais amo. Acredito que a comunicação pode mudar e melhorar o mundo. Meu objetivo é dar voz para quem não tem, ouvir e contar histórias.