Acabou a paciência da torcida com o Botafogo?

Antes de mais nada, o Botafogo perdeu para o Goiás na última segunda-feira (6) por 2 x 1. A saber, o jogo foi no Estádio Nilton Santos, casa do Glorioso, no Rio de Janeiro. E pela 1ª vez no Brasileirão 2022, o clube carioca saiu de campo ao fim do jogo sob vaias de mais de 30 mil torcedores que foram ao estádio. Além disso, o Botafogo não vence no campeonato a três partidas, com um empate e duas derrotas. Portanto, a torcida do Botafogo perdeu a paciência com seu time.

Em suma, foi possível observar nas redes sociais muitos botafoguenses irritados com seu time e os erros cometidos pelo mesmo. Porém, a verdade é que o torcedor do Botafogo vivia uma “lua de mel” com a equipe desde a entrada de John Textor e do treinador português Luis Castro. Contudo, a equipe não vem entregando nas últimas partidas, e esta lua de mel parece ter terminado na última segunda-feira (6). E ouvindo as vaias ao fim da partida, o treinador do Botafogo pregou calma na sua coletiva pós jogo:

“Não acabou o mundo, vamos seguir. Estamos desiludidos, mas vamos seguir. Vai haver mais momentos como esse. Estamos em uma fase difícil. O momento de construção é difícil. Precisamos da torcida. Peço muito que não se desmotivem. Os jogadores se esgotam em campo. Não estou ao lado só quando ganham, estou muito mais quando perdem. O Botafogo vai seguir por um bom caminho, com uma excelente administração, com grandes torcedores. Quando acharem que não é comigo, estarei aqui”

Em suma, Luis Castro sabe que o momento não é bom. Mas pede que a torcida não se desmotive. Porém, a equipe precisa dar motivos para que a torcida não se desmotive. E neste momento, a equipe não vem dando estes motivos.

Principais erros do Botafogo

Para não sermos injustos, sim, é possível ver evolução na equipe do Botafogo. Porém, não é na velocidade que o Brasileirão exige. A saber, existe mais entendimento tático dos jogadores, mas o momento da conclusão ainda é, no mínimo, questionável. Além disso, pode se observar, nas partidas em casa do Glorioso, que a equipe começa com uma intensidade para definir rapidamente. Entretanto, a medida que o jogo não se define, a intensidade cai.

O Botafogo tem dificuldade demais para agredir o adversário e, ao mesmo tempo, é facilmente atacado. Apesar do controle da partida ser, na maioria das vezes, da equipe carioca, falta a finalização. Isto dá espaço para que o adversário cresça na partida. Dai, entra o principal motivo de indignação da torcida do Botafogo: a falta de liderança.

Liderança

Liderança, postura‎, cobrança ao time e ao árbitro, imposição ao adversário. Estas características são extremamente cobradas por torcedores, tanto no estádio, quanto nas redes sociais. Em suma, o Botafogo tem jogadores que podem exercer esta liderança. Porém, na partida contra o Goiás, ninguém exerceu esta função. Inclusive, a torcida fez mais o papel de cobrar dos jogadores do que o capitão do Botafogo na partida, o zagueiro Kanu.

Falando em zagueiros, este é outro erro que faz a torcida “arrancar os cabelos”. A saber, os botafoguenses não veem na atual dupla de zaga (Kanu e Victor Cuesta) uma grande segurança. Inclusive, na jogada dos dois gols da equipe goiana, Kanu havia a bola dominada e acabou por perde-la. No primeiro gol, cortou mal de cabeça, podia dominar e tinha três opções de passe. No segundo gol, errou o domínio e deixou Patrick de Paula na fogueira, além de abrir um clarão às suas costas.

Todos estes motivos fazem com que a torcida perca a paciência e desacredite cada vez mais do Botafogo. E para que esta esperança volte, o clube carioca precisa voltar a mostrar bons resultados. Não só vitórias, mas também desempenho.

Foto Destaque: Divulgação/Vitor Silva/Botafogo

João Victor Freire
Alagoano, porém criado no Rio De Janeiro. 21 anos. Tenho pra mim que o Jornalismo é uma das profissões mais belas que existem, e é o que eu sei e gosto de fazer desde pequeno. E aliado a isso, tenho uma paixão por esportes.