Lev Yashin é o melhor goleiro de todos os tempos?

Chegamos na terceira e última edição do ‘Eis a Questão‘ com as comparações em sequência de goleiros. A primeira contou com o duelo entre Marcos, O Santos, e Rogério Ceni, o M1T0. A segunda, teve o embate épico entre Iker Casillas e Gianlugi Buffon. Assim, chegamos numa definição e o vencedor deste confronto gigante passa a enfrentar Lev Yashin, considerado o maior goleiro do século XX. Portanto, vamos, em primeiro lugar, falar um pouco sobre esse histórico goleiro soviético.

A HISTÓRIA DE YASHIN

Lev Ivanovich Yashin foi eleito pela a FIFA o melhor, consequentemente o maior goleiro do século XX. O Aranha/Pantera Negra como é conhecido, por sempre jogar com uniforme preto, nasceu em Moscou, na Rússia, em 22 de outubro de 1929. Defendeu apenas uma equipe em toda sua carreira entre 1949 a 1971: o Dínamo de Moscou. E por sua seleção, na ocasião, a União Soviética, esteve presente em quatro Copas do Mundo – 1958, 62, 66 e 1970.

Entretanto, o futebol não era a prioridade de Lev ainda jovem. Isso porque aos 14 anos de idade, ele era goleiro de uma equipe de Hóquei no Gelo, de uma fábrica de ferramentas em que seu pai trabalhava. E por conta de suas boas atuações foi levado de vez ao futebol. Mas não é fácil ter tantos detalhes da carreira de Yashin, porque seu auge foi durante o período da Guerra Fria, em que o mundo estava dividido politicamente entre aliados dos Estados Unidos e aliados da URSS.

Com isso, os vídeos do campeonato soviético não chegavam ao ocidente (por falta de interesse do ocidente ou por falta de abertura da URSS). Dessa forma, fica difícil afirmar se de fato Yashin ficou entre 1953 até 1958 (cinco anos) sem tomar um único gol, sendo, ao todo, 270 jogos sem ser vazado, além de ter defendido nada mais nada menos que 150 pênaltis. Com isso, cabe você, caro leitor, acreditar ou não.

O GRANDE FEITO PELA UNIÃO SOVIÉTICA

Fato é que o mito sobre o goleiro do século XX ganhou visibilidade no mundo com suas aparições por sua seleção. Sendo assim, após participação discreta nos Jogos Olímpicos de 1952, Yashin liderou seu país na conquista do ouro das Olimpíadas de 1956. Além disso, também levantou a taça da primeira Eurocopa da história, em 1960. Um feito e tanto.

Lev Yashin, segurando o título de Eurocopa
O histórico goleiro segura a taça da Eurocopa de 1960. Foto: In My Ear

Ele também defendeu a União Soviética nas boas campanhas das Euros seguintes: prata em 1964 e o 4º lugar em 1968. Por outro lado, na Copa do Mundo seu melhor resultado foi o 4º lugar em 1966. E também chegou às quartas de final em 1958, 62, e, como reserva, perto de se aposentar, esteve presente na Copa de 1970. Na Copa de 1962, Yashin falhou nos dois gols do Chile, sendo o principal responsável pela eliminação por 2×1 diante dos anfitriões.

Nesta Copa o soviético também tomou aquele que é o único gol olímpico em Copas até hoje, anotado pelo colombiano Marcos Coll, no empate em 4×4 ainda na primeira fase. O goleiro soviético voltaria a retomar sua reputação na Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra. Após uma primeira fase perfeita, a URSS superou por 2×1 uma ameaçadora Hungria (que dias antes havia aplicado 3 x 1 sobre o Brasil de Garrincha, Tostão e Jairzinho). Com Yashin muito exigido, mas seguro, esta talvez tenha sido uma das melhores partidas do goleiro numa Copa do Mundo.

https://twitter.com/fnvbr/status/1253320683976720389?s=20

A LENDA

Uma lenda se formou sobre a frieza de Yashin em sua meta. Até então, o goleiro teria defendido 150 pênaltis em sua carreira, além de acumular centenas de jogos sem sofrer sequer um gol. Certa vez, perguntado, Lev atribuiu sua tranquilidade ao “ritual” que fazia antes de todos os jogos: fumava um cigarro “para acalmar os nervos” e bebia uma dose de vodca “para tonificar os músculos”. E nos dias de sol, era comum que usasse uma boina.

No futebol, atacantes e meio-campistas costumam ser os mais aplaudidos, mas o goleiro soviético rompeu esse padrão. Em 1963, ganhou a Bola de Ouro – concedido pela Revista France Football ao melhor atleta do ano no futebol europeu – e desde então continua sendo o único goleiro a ter vencido o prêmio. Especialistas da FIFA e IFFHS (do inglês, Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol) classificaram Yashin como o melhor goleiro do século 20. E obviamente, o melhor jogador russo da história.

Apesar de nunca ter sido eleito o melhor goleiro de uma edição de Copa do Mundo, em 1994 Lev Yashin passou a ser o nome da Luva de Ouro, prêmio de melhor goleiro da Copa do Mundo. A homenagem durou 4 edições do mundial, até 2006. Sua última partida pela Seleção Soviética foi em 16 de julho de 1967, numa vitória sobre a Grécia por 4 x 0, pela Eurocopa.

UM TRISTE FIM QUE REFORÇA O PERSONAGEM

Com pouco mais de 60 anos, Lev já sofria com problemas circulatórios, e em 1986 teve uma perna amputada devido a complicações da diabetes. Em seguida, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC). Dessa forma, o exagero no cigarro e na vodca o acometeu de um câncer no estômago que acabou levando-o a morte em 20 de março de 1990, um ano antes da desintegração do país que defendera durante toda a vida.

Assim foi um desfecho da história do goleiro que revolucionou sua posição. Com todo o seu 1,89m de altura, era um goleiro ágil e técnico, que saía para interceptar cruzamentos, corria para fechar o ângulo dos atacantes, se lançava sobre a bola nos pés dos adversários antes que eles pudessem chutá-la, enquanto boa parte dos atletas de sua posição mal saíam da pequena área. Historiares do futebol afirmam que Yashin já fazia em seu tempo como jogador o que hoje sempre foi uma das principais características de Manuel Neuer.

EIS A QUESTÃO: CASILLAS OU YASHIN?

Vale lembrar que na edição anterior, Iker Casillas venceu Gianluigi Buffon na comparação entre os melhores goleiros do atual século. Com isso, o espanhol automaticamente – como se fosse uma semifinal e final – passa a enfrentar Lev Yashin, unanimidade como o melhor goleiro do século passado Isso porque, o soviético era, disparadamente, o melhor de sua posição entre 1949 e 1971.

Entretanto, para esse que vos escreve, não podemos se prender a essas grandes histórias de décadas passadas, sem um olha crítico, mas claro, entendo todo o contexto à época. E não é diminuindo o tamanho de Yashin na história do futebol, afinal, ele foi responsável pela revolução da posição, a qual estamos fazendo esta comparação. Mas houve uma evolução drástica (e positiva) dos goleiros, digamos que de 1980 até os anos atuais.

Com isso, o melhor goleiro de todos os tempos não pode estar no século passado. Porque, desde então, os ‘guarda-redes' são mais ágeis e melhores tecnicamente, muito por conta de toda a tecnologia, estudos específicos, treinamentos e tudo mais que está envolvido. Portanto, Casillas permanece como o melhor goleiro da história do futebol (lembrado, a opinião é do autor deste texto, e o mesmo reconhece que a grande maioria prefere Buffon, tal escolha super compreensível).

O espanhol com apenas 19 anos esteve em campo em uma final de Champions representando o Real Madrid, por qual conquistou três orelhudas. Anos depois fez parte da maior Seleção Espanhola do mundo, por qual, como capitão, ergue duas taças de Eurocopa consecutiva (2008 e 2012) e o título inédito da Copa do Mundo em 2010, sendo peça chave no torneio, defendendo pênalti no mata-mata e parando Robben na grande final. E embora Buffon tenha sido mais regular e longevo, Iker Casillas foi melhor no auge e conquistou mais títulos importantes.

https://twitter.com/ofutebolnews/status/1211308499197669383?s=20

Foto destaque: Revista Manchete de Julho de 1971

Thiago Lopes
Thiago Lopes, 20 anos. Estudante de jornalismo - 6º semestre.

Artigos Relacionados