Walter Martínez, ex-Beijing Guoan e Seleção Hondurenha, morre aos 37 anos e recebe homenagens dos torcedores

Meia-atacante hondurenho teve duas passagens pelo Guoan, mas também passou por Chonqing, da China, Alavés, da Espanha, e até Seleção Hondurenha
Walter Martínez é homenageado

No último domingo (11) o meia-atacante Walter Martínez, apelidado de Pery, morreu vítima de um ataque cardíaco. Martinez tinha ido para os EUA para começar uma nova vida com sua família. O ex-atleta saiu com o também ex-jogador Jose Chepo Fernandez. Ambos tinham ido ao clube El Copaneco, na região do Bronx, em Nova York, onde teriam festejado até o amanhecer. Após a diversão, foram para a casa de Chepo, onde Martinez foi encontrado pelo anfitrião caído no chão horas depois. O dono da casa ficou desesperado e tentou reanimar seu amigo, sem sucesso:

“Eu estava dentro do meu quarto e quando saí, encontrei-o no chão. Tentei reanimá-lo, mas não consegui. Imediatamente liguei para a ambulância e minutos depois eles estavam lá, mas nada podia ser feito.”

Carreira

Durante sua carreira passou por nove clubes diferentes e incluiu três passagens pelo Beijing Guoan, onde jogou por um total de três anos. Iniciou sua jornada em 2001 no hondurenho Deportivo Victoria. Posteriormente foi contratado pelo Marathón, passou rapidamente pelo Vida, ambos de Honduras, antes de partir para a China para conquistar fãs e independência financeira. Passou duas temporadas no Beijing Guoan, onde fez 14 gols em 44 jogos. Em 2009 teve uma ligeira passagem pelo Alavés, da Espanha, mas foi pouco aproveitado. Porém, regressou ao Marathón no mesmo ano, para retomar sua boa forma. Assim, fez mais uma boa temporada e em 2010 voltou ao Guoan. Nesta segunda passagem ficou mais um ano e anotou mais 13 gols em 37 jogos.

Em 2012 continuou na China, mas no Chongqing Dagdai. De um emergente para o outro, em 2013 foi para o San Jose Earthquakes. Sem sucesso, passou ao futebol alternativo em 2014-15, onde defendeu o guatemalteco o Deportivo Xelajú Mário Camposeco, comumente conhecido como Xelajú MC ou apenas Xela e apelidado de Superchivos. Mas também não ficou muito tempo, retornando mais uma vez ao Marathón, em 2015. Antes de se aposentar, fechou com o FAS, de El Salvador. Voltou da aposentadoria e chegou a acertar para defender o Beijing Guoan uma terceira vez em 2018, mas não jogou. Dessa forma, no total, foram 81 jogos pelo gigante chinês e 27 gols. O suficiente para ser homenageado.

Walter Martínez é homenageado pós-morte
(Reprodução/Sports Sina)

Seleção Hondurenha

Pela seleção de seu país marcou 12 gols em 49 partidas. Martínez fez sua estreia por Honduras em um amistoso de novembro de 2002, contra a Colômbia. Ele representou o seu país em oito jogos de qualificação para a Copa do Mundo e jogou em todos os três jogos do seu país na Cpa de 2010. Ele também jogou em 2003 e 2009 a UNCAF Nations Cups, e em 2011 a Copa Centroamericana, bem como em 2009 e 2011 a CONCACAF Gold Cups. Seu último jogo pela seleção foi na Copa Centro-Americana de junho de 2011, quando foram campeões em cima da Costa Rica.

Fãs do Bejiing Guoan expressaram as mais sinceras condolências à família de Martínez. Entende-se que nas três temporadas em que jogou para Guoan manteve uma boa meta de eficiência e foi um dos mais longos jogadores estrangeiros na história de Guoan. Às 14h (horário de Pequim), no dia 12, os fãs espontaneamente colocaram flores, camisas e lenços sob a escultura do Portão Norte dos Trabalhadores de Beijing para homenagear. Começou a chover em Pequim naquela tarde, adicionando uma atmosfera triste a essa cerimônia espontânea de comemoração.

A federação hondurenha confirmou seu falecimento em um tweet que dizia: “Com tristeza que assola a família do futebol hondurenho, lamentamos a morte de Walter Julian Martinez. Solidariedade e um bálsamo de paz divina para sua família e amigos. RIP.”. Martinez, que ajudou Honduras a chegar à Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, pela segunda vez, nasceu em Tegucigalpa, Honduras.

Foto destaque: Reprodução/Sports Sina

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1047 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.


 

365 Scores

 

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo