Visitantes indigestos

Na rodada de ida das quartas-de-final na Lampions, com exceção ao Sport, os visitantes fizeram a festa e abriram boa vantagem para a rodada de volta

As equipes de melhor campanha na primeira fase e também favoritos a chegar às semis começaram com o pé direito na fase de quartas-de-final, confirmando o favoritismo. Em Itabaiana, agreste sergipano, Anderson Salles (de falta) marcou o gol da vitória do Santa Cruz sobre os donos da casa. Após o gol, o tricolor sergipano teve 70 minutos para furar a zaga do Santinha, mas não conseguiu. Parou no goleiro Júlio César nos chutes de fora de André Beleza e também na trave depois do chute de Diego Neves. Além, claro, dos vários cruzamentos na área, principalmente do lateral-direito Magno. O Santa também teve chances nos contra-ataques, mas não aproveitou. Com a vitória fora de casa, a cobra-coral leva uma boa vantagem para o jogo de sábado, às 18:15, no Arruda. O clube sergipano precisa vencer pelo menos por uma margem de 2 gols de diferença ou placar de 2×1, 3×2 e assim sucessivamente.

No pequeno estádio Lindolfo Monteiro, de capacidade para pouco mais de 10 mil pessoas, a torcida do River transformou num caldeirão. Mas mesmo assim, não foi páreo para a forte equipe do Vitória. Os baianos venceram fora de casa por 3 a 2. O jogo começou frenético e já nos primeiros sete minutos, dois gols. Kieza abriu o placar com um minuto de jogo para o rubro-negro. Aos 7, o zagueiro Brizuela empatou para o galo carijó. Ao longo do primeiro tempo, o jogo ficou truncado sem muitas chances de gol. As emoções ficaram guardadas para o segundo tempo, onde o penta-campeão do Nordeste conseguiu impôr seu jogo e criar várias chances. Após vários gols perdidos, principalmente por Kieza, o Vitória voltou a ficar na frente do marcador com Alan Costa, após cobrança de falta na área. Aos 35, David praticamente matou o confronto marcando o terceiro. Mas, logo depois, os mandantes diminuíram com Negueba (não é aquele) e ainda mantém vivo o sonho da classificação. O River precisa – assim como o Itabaiana – vencer por 2 ou mais gols de diferença fora de casa para se classificar. Jogo de volta será no Barradão, sábado (1), às 4 da tarde.

Na capital sergipana, a linda Aracaju, o Sergipe mais uma vez não foi páreo para o Bahia. Assim como na Copa do Brasil, os baianos não tiveram conhecimento dos rivais sergipanos e fizeram a festa em pleno Batistão. Com o belo placar de 4 tentos a 2, o tricolor praticamente selou sua classificação às semifinais, só um milagre para o Sergipe se classificar. Apesar do resultado, foi a equipe colorada que abriu o placar. Hélton, de falta, bateu direto no gol sem chances para o goleiro Anderson. A partir daí, só deu Bahia, logo após o tento sofrido, a equipe de Guto Ferreira imprimiu um ritmo forte no jogo, e após pênalti sofrido por Régis, Hernane empatou o marcador. Já no segundo tempo, após boa trama pelo lado direito, Zé Rafael vira para o bicampeão brasileiro. O Sergipe já não dava muitos sinais de reação e logo após, aos 16, o lateral Matheus Reis (ex-São Paulo) ampliou para o Bahia. O quarto também não demorou muito para acontecer. Após passe de Edgar Junio, Régis ampliou, 4 a 1 para os baianos. E nos descontos do jogo, Fabiano Tanque diminuiu para o Sergipe, mantendo o resquício de esperança. Para classificar, é preciso de uma goleada na Arena Fonte Nova por pelo menos 3 gols de diferença. Jogo é no domingo (2), às 18:30.

Como toda regra tem sua exceção, na Copa do Nordeste não seria diferente. No único jogo da quinta-feira (30), o mandante venceu. O Campinense, atual finalista, não teve conhecimento do Sport e abriu 3 a 1 no estádio Amigão, em Campina Grande. A equipe de pernambuco estreou o treinador Ney Franco na partida. E começou bem, pressionando a equipe paraibana no seu campo e criando boas chances, obrigando o goleiro Glédson a trabalhar. Mas aos 25, o Campinense acordou e impôs seu jogo. O nome do jogo foi Reinaldo Alagoano, estreante pela Raposa. Primeiro foi dele a cabeçada para a defesa antológica de Magrão, a la Gordon Banks; Logo após, ele faz o pivô e toca para Magno atirar um chutaço de fora da área, no cantinho de Magrão: 1×0. Na sequência, após o rebote do chute do camisa 9 do Campinense, Augusto tava esperto e colocou para dentro: 2×0. No segundo tempo, o Sport acordou. Aos 35, com Juninho (saindo do banco) marcou o gol que pode ser decisivo para a classificação, já que gol fora vale por 2. Mas logo na sequência, aos 38, Reinaldo Alagoano finalmente marcou o seu, 3 a 1 para os raposeiros. Com esse resultado, o Sport precisará de uma vantagem de 3 gols de diferença ou ao menos um placar de 2×0 para se classificar às semis. Jogo é na Ilha do Retiro, no domingo (2) às 16 horas.

Breno Siqueira

Sobre Breno Siqueira

Breno Siqueira já escreveu 4 posts nesse site..

Sou Breno Siqueira, tenho 19 anos, natural de Aracaju-SE, mas residente em Niterói-RJ. Estudante da Universidade Federal Fluminense - UFF (Jornalismo).


 

365 Scores

 

Breno Siqueira
Breno Siqueira
Sou Breno Siqueira, tenho 19 anos, natural de Aracaju-SE, mas residente em Niterói-RJ. Estudante da Universidade Federal Fluminense - UFF (Jornalismo).

Artigos Relacionados

Topo