Top 10 – Maiores jogadores do Santos no século XXI

- Uma era de Meninos da Vila, pois a base sempre salva
TOP 10 - Maiores jogadores do Santos no século XXI

“Agora quem dá bola é o Santos” não faz parte do hino oficial do Peixe. Entretanto, se você está acostumado a acompanhar o futebol brasileiro pela televisão, certamente ouviu essa música algumas vezes no século XXI. Desse modo, confira o Top 10 dos jogadores responsáveis por conquistas inesquecíveis na história do Alvinegro Praiano, como Campeonato Brasileiro e Copa Libertadores, nos últimos 19 anos.

10 – ALEX

Após se destacar no Juventus, da Moóca, Alex foi contratado pelo Santos em 2001. Porém, ainda pelas categorias de base, se tornando um Menino da Vila. Sendo assim, subiu para a equipe principal em agosto do ano seguinte, onde ganhou a oportunidade e não largou mais. Além disso, conquistou o Campeonato Brasileiro de 2002 e o posto do zagueiro com o maior número de gols com a camisa santista, marcando 20 gols em pouco menos de dois anos, jogando ao lado de André Luiz, protagonizando a dupla “Torre Gêmeas, pela estatura de ambos. O defensor ficou conhecido pelos fortes chutes, nas faltas cobradas de longe, e os gols de cabeça.

9 – RAFAEL CABRAL

“Olha no meu olho, nós vamos classificar”. Essa foi a frase dita por Rafael Cabral, no Chile, depois do Santos ser derrotado de virada para o Colo-Colo, na Copa Libertadores de 2011. Desse modo, o Peixe finalizava a 3ª rodada da competição com apenas dois pontos. Entretanto, as palavras do goleiro se concretizaram e o Alvinegrou não apenas passou de fase, como se tornou campeão da América naquele ano, com Rafael sendo um dos principais nomes do título, principalmente nas oitavas de final, diante do América, do México, com uma exibição formidável do arqueiro.

Rafael viveu 10 anos da sua vida dentro do Santos, sendo sete como Menino da Vila. Sua estreia aconteceu em amistoso diante do New York Red Bull. Já em partidas oficiais, a primeira partida foi contra o Cruzeiro, no Campeonato Brasileiro de 2010. A partir disso, a meta santista não trocou seu responsável até sua saída em julho de 2013. As taças erguidas foram do Campeonato Paulista, em um tricampeonato (2010, 2011 e 2012), da Copa do Brasil (2010), Libertadores (2011) e Recopa Sul-americana (2012).

8 – RICARDO OLIVEIRA

Apesar de rápida, a passagem de Ricardo Oliveira pelo Santos, em 2003, foi o suficiente para que o centroavante conquistasse o posto de artilheiro da Copa Libertadores daquela temporada, com nove gols, ao lado de Delgado, do Boca Juniors. Entretanto, o Peixe acabou derrotado na final justamente para os argentinos. Outro vice do camisa 9 foi do Campeonato Brasileiro, do qual o Cruzeiro ergueu a taça.

Em contrapartida, seu retorno à Vila Belmiro, em 2015, com muitos desacreditando do seu futebol, foi para que o atleta se firmasse como homem gol do Peixe. Com diversos gols em clássicos paulistas, Ricardo foi artilheiro do Campeonato Paulista e Brasileiro da temporada em que retornou. Além disso, entrou para a seleção do Brasileirão, e foi convocado para a Seleção Brasileira, depois de oito anos. Com o manto alvinegro, conquistou o bicampeonato Paulista em 2015 e 2016, além dos vices da Copa do Brasil, em 2015, e Campeonato Brasileiro, em 2016. Ao todo, somando as duas passagens, foram 173 partidas e 92 gols.

7 – LÉO

Não, o maior momento de Leonardo Lourenço Bastos com a camisa do Santos não foi a frase sobre o Barcelona, mas, sim, um chute na gaveta, diante do Corinthians, na final do Campeonato Brasileiro de 2002, tirando o Peixe de uma fila quase interminável. Desse modo, em sua primeira passagem na Baixada Santista, conquistou o Brasileirão de 2002 e 2004, além do vice em 2003, no Brasileirão e Libertadores.

Se transferiu para o Benfica, de Portugal, em 2005. Entretanto, voltou para o Alvinegro Praiano em 2009, onde conquistou o tricampeonato paulista de 2010, 2011 e 2012, além da Copa do Brasil de 2010, com o time que encantou o Brasil na época, além da Copa Libertadores de 2011 e a Recopa Sul-americana no ano seguinte. Sendo assim, o Guerreiro da Vila, como é chamado pelos santistas, se tornou o 10º jogador com mais partidas usando a camisa do Santos, após a Era Pelé, com 455 jogos.

6 – FÁBIO COSTA

O arqueiro chegou à Vila Belmiro em 2000, após negociação com o Vitória. Desse modo, com boas atuações, foi convocado para a Copa das Confederações, em 2001. Entretanto, sua primeira glória com a camisa do Santos foi em 2002, conquistando o Campeonato Brasileiro diante do Corinthians, ajudando a equipe com importantes defesas na decisão. Em 2003, em uma partida contra o Nacional, do Uruguai, na Libertadores, defendeu três pênaltis. Contudo, após o vice no torneio sul-americano, o goleiro foi jogar pelo rival Corinthians. Três anos depois, retornou ao Peixe e continuou escrevendo sua história.

Conquistou o bicampeonato paulista de 2006 e 2007. Em suma, pelo Alvinegro, disputou 345 partidas e marcou muitas canelas adversárias com o seu excesso de vontade.

5 – RENATO

Renatinho, como era carinhosamente chamado pelo torcedor do Santos, atuou com a camisa do bicampeão mundial com extrema elegância. Ou seja, jogava de terno na posição de segundo volante. Inclusive, por duas vezes, Renato concluiu um Campeonato Brasileiro sem sequer ser suspenso por três cartões amarelos, em 2002 e 2016. Inclusive, foi um dos destaques do hepta, no segundo ano do século. Conquistou o bi em 2004 e se transferiu para o Sevilla, da Espanha, abrindo mão de uma quantia em dinheiro para que o valor continuasse com o Peixe.

Retornou à Baixada em 2014, onde permaneceu até sua aposentadoria, em 2018. Entretanto, ainda conquistou mais um bicampeonato, porém, dessa vez, do Campeonato Paulista, em 2015 e 2016. Ao todo foram 425 jogos e 34 gols.

4 – ELANO

Em 2011, ano em que o Santos voltou a disputar a Copa Libertadores, depois de duas temporadas longe da competição sul-americana, o Peixe repatriou o ídolo Elano. Desse modo, o meia se tornou a principal contratação daquele elenco, em busca do “tri da Liberta”. Entretanto, a história do garoto de Limeira com o Alvinegro Praiano começou muito antes disso.

Em 2001, Elano chegou para a base do Santos, justamente em negociação com a Inter de Limeira. Porém, rapidamente ganhou destaque e subiu para a equipe principal. Sendo assim, participou do Brasileirão conquistado em 2002, sendo peça crucial do técnico Emerson Leão, marcando um gol diante do rival Corinthians na final do torneio. Além disso, esteve presente no vice da Libertadores, em 2003, e voltou a vencer o Campeonato Brasileiro, em 2004, ganhando o apelido de Coringa da Vila, pois atuava em várias posições.

Em suma, seu retorno em 2011 também conteve títulos. Com mais experiência, foi fundamental no terceiro título da Liberta na história do Peixe, assim como nos estaduais de 2011 e 2012. Entretanto, após um desentendimento com a diretoria da época, Elano acertou sua transferência para o Grêmio, em troca pelo atacante argentino Miralles. Contudo, anos mais tarde, em 2015, se tornou Menino da Vila pela terceira vez na carreira. Conquistou o Paulista daquela temporada e, na sequência, foi emprestado para o Chennaiyin, da Índia. Porém, acertou seu retorno ao Peixe, em 2016, para se aposentar.

Ergueu mais uma taça do Campeonato Paulista e se aposentou em dezembro daquele mesmo ano. Desse modo, Elano fechou sua carreira com 324 partidas pelo Santos e marcou 71 gols.

3 – GANSO

Um dos melhores jogadores que o futebol brasileiro viu no século XXI. Entretanto, em um ano específico. Paulo Henrique Lima, o Ganso, foi sinônimo de futebol arte, em 2010. Porém, chegou ao Santos antes disso, mais precisamente em 2005, graças ao ídolo Giovanni, pois o meia é do mesmo estado de Messias (apelido de Giovanni). Subiu para a equipe principal em 2008, mas a má fase do Peixe impossibilitava o brilho do atleta.

Em contrapartida, em 2010, se tornou o melhor meio campista do país, conquistando o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil. Porém, as lesões o atrapalharam. Mesmo assim, teve papel importante no tri da Libertadores, em 2011, apesar de não atuar em todos os jogos. Além disso, venceu o Paulistão novamente, assim como em 2012. Mas suas atuações já não brilhavam os olhos dos adeptos. Encerrou sua passagem pelo Alvinegro em setembro de 2012, com uma saída pelas portas dos fundos. Apesar disso, Ganso brilhou como poucos com o manto santista, e merece o top 3 do século. Foram 162 jogos e 36 gols.

2 – NEYMAR

Chegou a hora de falar sobre o melhor jogador do Santos Futebol Clube no atual século. Não vai existir jogador como Neymar Junior tão cedo, seja no Peixe ou em qualquer outro clube do esporte. Desse modo, não tem como não falarmos sobre títulos. Com isso, foram seis taças, sendo três estaduais, uma Libertadores, do qual o atacante foi o principal nome e, além disso, conquistou o Rei da América, uma Copa do Brasil e uma Recopa Sul-americana. Sendo assim, apenas em 2009 e 2013, sua primeira e a última temporada pelo Alvinegro, Neymar não gritou “é campeão”.

Entretanto, logo em seu primeiro ano como profissional, após seis anos na base dos Meninos da Vila, Neymar já demonstrava algo diferenciado, decidindo partidas como gente grande. Em 2010, formou uma dupla memorável com Ganso, causando pesadelo nos adversários. O torcedor santista cantou “Olê, olê, olê, olá… vai pra cima deles, Neymar” em 230 partidas e comemorou gol do craque em 138 oportunidades, se tornando o maior artilheiro pós Era Pelé.

1 – ROBINHO

“Olê, lê! Olá, lá… o Robinho vem aí, e o bicho vai pegar!”. Esse era o canto das arquibancadas da Vila Belmiro, para o responsável do sorriso santista, depois de tantos anos na fila. O maior jogador do Santos, pós Era Pelé, também é conhecido como Robson Arantes do Nascimento, em alusão ao Rei. Desse modo, pode-se ter noção da importância de Robinho para o clube da Baixada Santista.

Chegou ao clube em 1995 para atuar no futsal. Entretanto, um ano depois já estava nos gramados. Sendo assim, em 2002 foi efetivado à equipe principal pelo técnico Emerson Leão, onde protagonizou a “Eterna Pedalada”, no dia 15 de dezembro de 2002, na final do Campeonato Brasileiro, diante do Corinthians, onde sangrou-se campeão. Deixou o Peixe em 2005. Porém, com mais uma conquista de Brasileirão, em 2004. Além disso, o camisa 7 foi vice-campeão da Libertadores e do nacional de 2003.

Contudo, para delírio do torcedor santista, Robinho voltou em 2010 para fazer parte do time mais encantador daquele ano, no Brasil. Conquistou o Campeonato Paulista e ergueu a taça da Copa do Brasil, como capitão da equipe, deixando o time logo na sequência. Entretanto, o bom filho a casa torna. Desse modo, o eterno menino da vila acertou seu retorno em 2014, onde permaneceu até junho de 2015, e comemorou o título do Paulistão de seu último ano, dentro da Vila Belmiro, de novo com a faixa no braço.

Em suma, foram 245 partidas e 109. Desse modo, ocupa o posto de segundo maior artilheiro pós Era Pelé, atrás apenas de Neymar.

Imagem destacada: Reprodução Trivela

Edson Guimarães

Sobre Edson Guimarães

Edson Guimarães já escreveu 230 posts nesse site..

Meu nome é Edson Guimarães, tenho 24 anos e sou estudante de Jornalismo. Minha paixão pelo futebol vem desde 2002, juntamente do amor pelo meu clube do coração, vulgo Santos Futebol Clube. Meus espelhos da comunicação social esportiva são Rafael Oliveira (DAZN) e André Hernan (Sportv).

365 Scores

BetWarrior


Edson Guimarães
Edson Guimarães
Meu nome é Edson Guimarães, tenho 24 anos e sou estudante de Jornalismo. Minha paixão pelo futebol vem desde 2002, juntamente do amor pelo meu clube do coração, vulgo Santos Futebol Clube. Meus espelhos da comunicação social esportiva são Rafael Oliveira (DAZN) e André Hernan (Sportv).

Artigos Relacionados

Topo