Tévez decide e Boca Juniors é campeão da Superliga Argentina

- Ajudado pelo empate entre Tucumán e River Plate, os Xeneizes fizeram a festa no La Bombonera
Boca Juniors e agora

Neste sábado (7), Boca Juniors e Gimnasia y Esgrima entraram em campo em jogo válido pela última rodada da Superliga Argentina. Assim, no La Bombonera, o roteiro foi perfeito para os torcedores Xeneizes. Após uma homenagem ao ídolo Diego Maradona, técnico do adversário, com direito a selinho em Tévez, o Azul y Oro fez um jogo intenso. No entanto, o gol só saiu na etapa final através de outro ídolo, Carlitos Tévez, ex-Corinthians. Dessa forma, com o empate de Tucumán e River Plate, o icônico estádio explodiu com mais um título argentino de um dos maiores clubes da América Latina e do Mundo.

1º TEMPO

Assim, conforme esperado, a etapa inicial foi de domínio do Boca Juniors. Logo aos 4′, após boa troca de passes pelo flanco direito, Sebastián Villa deu passe próximo a pequena área para Carlitos Tévez chegar batendo e mandar por cima do gol. Em seguida, aos 19′, Gimnasia y Esgrima teve sua melhor chance na jornada em uma bola parada com Victor Ayala. No entanto, ele tirou muito da barreira e mandou à esquerda do goleiro Andrada. Mas foi só, pois na sequência, os Xeneizes passaram a criar mais. Portanto, aos 23′, Tévez encontrou Eduardo Salvio que finalizou para boa defesa de Broun.

Em seguida, em escanteio cobrado por Carlitos Tévez, sempre ele, Carlos Zambrano cabeceou baixo e o goleiro fez a defesa para o Gimnasia y Esgrima. Assim, em nova descida do Boca Juniors, foi a vez de Villa servir Tévez que arriscou de fora da área, mas parou nas mãos do arqueiro de El Lobo. Aos 32′, Salvio cruzou, Franco Soldano mandou de cabeça e Broun defendeu. Já na reta final, os Xeneizes tentavam descer, mas os lances eram travados pela defesa visitante. Dessa forma, as equipes foram para o vestiário com o placar zerado, resultado que era ruim para ambos.

2º TEMPO

Na etapa final, apesar do Boca Juniors precisar da vitória para comemorar, foi o Gimnasia y Esgrima que voltou melhor e entrou no jogo. Assim, após saída errada, Lucas Licht roubou a bola e Leandro Contín arrematou da entrada da área e Andrada fez uma grande defesa, evitando o gol dos visitantes. Em seguida, em nova investida de El Lobo, Matías Garcia deu passe na direita para Pablo Cuadra que mandou à esquerda do goleiro. Logo, o Basurero seguia na pressão e, aos 16′, os Xeneizes deram outro espaço pelo meio e Licht experimentou de longe para nova defesa do arqueiro mandante.

Somente perto da metade da etapa final, Boca Juniors voltou para o jogo. Assim, Villa experimentou da entrada da área, mas mandou para fora. Em seguida, em contra-ataque, Tévez deu passe para Eduardo Salvio, livre pela direita, mandar à esquerda de Broun. Aos 23′, Fabra levantou na área para Salvio, mas o goleiro se antecipou e saiu para afastar a bola. No entanto, tamanha pressão deu resultado. Aos 26′, Ramón Ábila deu passe na entrada da área para Carlitos Tévez mandar uma bomba e fazer o gol do título para explosão do La Bombonera. Na reta final, El Lobo ainda tentou empatar, mas sem sucesso.

E AGORA?

Dessa forma, somado ao empate entre Atlético Tucumán e River Plate, Boca Juniors se sagrou, pela 34ª vez, campeão do Campeonato Argentino. No entanto, é o segundo título no formato Superliga Argentina, o outro havia sido conquistado na temporada 2017-2018. Enquanto que Gimnasia y Esgrima terminou a competição na lanterna dos promédios e aguarda o desempenho na Copa Argentina para confirmar o rebaixamento. Logo, competição esta que se tornou a prioridade para El Lobo. Já os Xeneizes dividem as atenções com a Copa da Superliga e a Libertadores da América.

MELHORES MOMENTOS

Foto Destaque: Reprodução / Fox Sports

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 338 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

365 Scores

BetWarrior


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados

Topo