Superclássico: revanche ou ratificação?

- Dentro de um Monumental de Núñez abarrotado, River Plate e Boca Juniors voltam a enfrentar pela Libertadores
Superclássico

É mais que um River Plate e Boca Juniors. Aliás, é mais que um Superclássico pela Copa Libertadores da América. Mesmo que seja menos que a épica final da temporada passada, a nova epopeia da noite desta terça-feira (1), ou melhor, a série inteira, também é conjuntamente um duelo de estilos apaixonantes.

De um lado da cancha está o River de Marcelo Gallardo, a equipe mais vitoriosa da história do clube. Do outro, o até agora invencível Boca de Gustavo Alfaro, o time impenetrável montado após o recente desastre. Curiosamente, ambos os técnicos já foram comparados mais de uma vez com Carlos Bianchi. Muñeco pelos títulos, por transformar o River, sobretudo, em uma equipe copeira; Lechuga pelos números que saltam aos olhos. Além disso, pela filosofia de jogo pragmática fazendo do Boca um time intransponível na defesa e efetivo no ataque. No entanto, apesar da comparação com o Virrey ser eloquente de ambos os lados, Gallardo e Alfaro são como água e azeite. O último clássico no Monumental, pela Superliga Argentina, definitivamente ressaltou os estilos incompatíveis.

Não chega a ser, um Guardiola-Mourinho, porém não estão longe disso. Independentemente das circunstâncias, da competição, do adversário e da cancha em que atue, o River faz um culto ao futebol ofensivo. Dessa maneira, assume risco, tenta tomar às rédeas das partidas a partir da posse de bola sempre buscando o arco rival. Por sua vez, o Boca encara cada desafio de um modesto para o espetáculo, no entanto inteligente para conseguir atingir o objetivo final. Logo, joga mais para destruir do que construir e o faz bem, mas também estuda minuciosamente os elos fracos de Deus adversários e, assim, tenta exprimi-las no campo ofensivo.

SUPERCLÁSSICO REVANCHE OU CONFIRMAÇÃO?

Algo é inegável: é o Superclássico da identidade. Do River, no que pese os pontos de interrogação, jogue ou não De La Cruz, sejam quatro ou três defensores, se espera uma equipe que atue da mesma maneira que atuou a exatamente um mês. Entretanto, sairá mais caro se nesta terça-feira não atingir o fundo do arco rival. Do Boca, ainda não está clara qual será a postura assumida. Dificilmente jogará francamente, contudo custa imaginar que prescindirá do ataque como da última vez. Neste, o primeiro da era Alfaro, a intenção foi não perder e assim foi. Desta vez, mesmo que o empate deixe a série aberto para definir em casa, o valor do gol como visitante é algo que pode atiçar o Boca.

Superclássico com sabor de revanche? Para alguns de certo modo sim, para outros não: o que aconteceu no Santiago Bernabeú ficou no Bernabeú. Hoje, o Boca enfrentará um rival que carrega no peito o patch de campeão da Libertadores 2018. Entretanto, se o Boca eliminar o River e depois sagrar-se campeão em Santiago estará plenamente recuperado. Para o River, é a possibilidade de estar novamente na final. Além disso, estender o tabu contra o maior rival que, com Muñeco no banco, é histórica.

 

Pedro Ferri

Sobre Pedro Ferri

Pedro Rodrigues Nigro Ferri já escreveu 354 posts nesse site..

Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

365 Scores

BetWarrior


Pedro Ferri
Pedro Ferri
Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

Artigos Relacionados

Topo