Spezia Calcio: o time de bombeiros que conquistou a Serie A 1943-44 durante a Segunda Guerra Mundial

- Time da pequena cidade da Itália venceu a divisão de elite, numa competição marcada pelos conflitos pela Europa
Spezia Calcio

A Itália tem uma paixão imensa por futebol. Dessa maneira, seus adeptos amam o glorioso Calcio, como é chamado o esporte na Terra da Bota. Entretanto, com períodos de conflitos em qualquer país, dificilmente a modalidade não deixa de ser afetada, pela proximidade do jogo com a política. Com isso, na temporada 1943-44, tivemos um modelo diferente da Serie A disputada, que foi vencida pelo Spezia Calcio. Entretanto, foi muito mais do que apenas um campeonato e uma conquista, e são essas páginas que a Calciostoria irá abordar nesta coluna.

Acontecimentos anteriores a Serie A 1943-44

No final do verão de 1943, a Itália estava dividida. Primeiramente, o norte do país lutava contra as forças aliadas que viriam a invadir o território. Por outro lado, ao sul, exércitos liderados pelos Estados Unidos ganhavam mais espaço na Terra da Bota. Dessa forma, visto os acontecimentos, era muito improvável que naquela época seria realizado o Campeonato Italiano. Além disso, ou os habitantes eram a favor do governo fascista, ou eram perseguidos e presos.

Com isso, vários dirigentes da FIGC (Federação Italiana de Futebol) eram presos políticos, contra o regime autoritário. Entretanto, alguns diretores da entidade já tinham conseguido a liberdade na época. Dessa forma, transferiram a sede da Federcalcio para Milão, ao norte e começaram a organizar uma liga nacional independente, para aquele ano. Enfim, o campeonato seria disputado com as regras da edição 1942/43 da Serie A. Enquanto isso, ao sul da Itália, se realizavam outros torneios de maneira própria.

Leia Mais

Como funcionou este campeonato misto?

Com a divisão entre o norte e o sul do país, não tinham equipes suficientes para se realizar uma competição apenas com clubes da primeira divisão. Dessa forma, times da Serie A, B e C, do norte, do Lácio (onde fica Roma) e da Toscana, disputaram o torneio. Com isso, as agremiações que participariam do campeonato foram separados em grupos, de acordo com suas regiões.

Os melhores classificados iriam para a disputa de um inter-regional e assim, os ganhadores dessa fase da competição se enfrentariam num playoff final com três clubes para definir quem seria o campeão italiano. Primeiramente, entraram 64 clubes no campeonato, separados em cinco grupos de diferentes regiões: Piemonte e Ligúria, Lombardia, Veneto, Romagna e Emilia. Enfim, o La Spezia entraria neste última chave, equivalente a letra D. Juventus, Ambrosiana-Inter (atual Internazionale), Milan, Torino, grande potência da época, entre outros estavam nessa disputa.

Spezia Calcio: Um time de bombeiros que fez a Itália pegar fogo

 A cidade de La Spezia vivia uma crise, em 1943. Primeiramente, o município italiano tinha sido bombardeado pelos aliados durante a Segunda Guerra Mundial. Além disso, o presidente do clube Coriolano Perioli havia sido deportado para os campos de concentração na Alemanha. Dessa forma, a equipe local não tinha para aonde correr e ainda estava longe dos grandes jogadores do país. Então, a FBC Spezia, uma empresa da região, assumiu as atividades do time, localizados num corpo de bombeiros, formados pelos trabalhadores. O técnico Ottavio Barbieri foi o encarregado de comandar essa iniciativa.

Técnico Ottavio Barbieri Foto: Divulgação

Apesar de vários nomes terem sidos contratados de outras equipes como Napoli, Livorno e Genoa, todos os jogadores foram colocados como bombeiros para a lista da competição. Além disso, outros atletas conseguiram driblar o serviço militar e fazerem parte do elenco.

A Campanha

Na primeiras duas fases, o Spezia Calcio (na época, La Spezia), não teve dificuldades perante seus adversários. Primeiro, enfrentou e passou sem esforços por Suzzara, Fidentina Parma e Orlandi Busseto, no quadrangular regional. Já no inter-regional, duelou contra Suzzara, Carpi e Modena e nas semifinais contra o Bologna. Entretanto, mesmo com grande campanha, foi derrotada uma vez, mas se classificou para o playoff final da competição, onde jogaria contra Torino e Venezia.

Primeiramente, os Aquiles enfrentaram o Venezia em Milão. A partida terminou em 1 x 1. Renato Tori marcou para os Bianconeri, enquanto Astorri empatou para os Neroverdi. Após este duelo, o Spezia partiu para enfrentar a grande potência da época: o Torino. A derrota do clube de bombeiros para o Toro era dada como certa, visto que enfrentariam uma máquina de ganhar títulos na Itália, no momento em questão, reforçados por Silvio Piola, que tem história no Pro Vercelli, que você pode conferir em colunas passadas da Calciostoria.

Entretanto, os franco-atiradores surpreenderam a todos quando aos 16′, Angelini abriu o placar. O craque da época Piola empatou para o Torino, aos 31′, mas o empate durou pouco. Dessa forma, o La Spezia, fez mais um novamente com Angelini, vencendo por 2 x 1. Com isso, o time de bombeiros desbancava o melhor time do país na época. Depois, diante de mais uma vitória contra o Venezia por 5 x 2, os Aquiles se sagravam campeões italianos pela 1ª e única vez na sua história. Entretanto, seus torcedores só puderam comemorar o feito 58 anos depois.

Título do Spezia Calcio reconhecido apenas em 2002

O feito do clube da pequena cidade de La Spezia só foi reconhecido oficialmente como Campeonato Italiano em 2002. Isso porque após a derrota do Torino no playoff final da competição, a Federcalcio decidiu que os vencedores do Campeonato receberiam apenas um título de Copa Federal e não o Scudetto, como previsto do regulamento da competição.

Após muita luta, a FIGC reconheceu somente neste século o título italiano do Spezia Calcio. Mesmo assim, o clube não possui um Scudetto em sua sala de troféus. Entretanto, hoje, podem estampar o feito de campeão italiano de 1944 nas suas camisas, jogando na Serie B italiana, na qual disputa na temporada 2019/20.

Alusão ao título italiano de 1944 em camisa do Spezia Calcio Foto: Divulgação

Foto destaque: Reprodução/Store di Calcio

Caíque Ribeiro

Sobre Caíque Ribeiro

Caíque Ribeiro já escreveu 390 posts nesse site..

Olá, eu sou Caíque Ribeiro, tenho 19 anos e a paixão por esportes corre em minhas veias, sobretudo, o futebol. Um amante do futebol tanto brasileiro, quanto europeu e ainda sim, do alternativo. Tendo como maior jogador que vi jogar, Ronaldinho Gaúcho e grandes memórias futebolísticas. Estou cursando jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi. Quando criança,sonhava em ser jogador de futebol,mas a vida me planejou outros rumos. Desde então, decidi juntar duas paixões: a paixão por escrever e a paixão pela pelota, e seguir nessa jornada,sempre disposto a trazer a informação de forma correta e apurada ao público. Além de futebol, escrevo e sou comentarista sobre basquete na Rádio Poliesportiva. Instagram: @caiqueribero, Twitter: @CRSousa5

365 Scores

BetWarrior


Caíque Ribeiro
Caíque Ribeiro
Olá, eu sou Caíque Ribeiro, tenho 19 anos e a paixão por esportes corre em minhas veias, sobretudo, o futebol. Um amante do futebol tanto brasileiro, quanto europeu e ainda sim, do alternativo. Tendo como maior jogador que vi jogar, Ronaldinho Gaúcho e grandes memórias futebolísticas. Estou cursando jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi. Quando criança,sonhava em ser jogador de futebol,mas a vida me planejou outros rumos. Desde então, decidi juntar duas paixões: a paixão por escrever e a paixão pela pelota, e seguir nessa jornada,sempre disposto a trazer a informação de forma correta e apurada ao público. Além de futebol, escrevo e sou comentarista sobre basquete na Rádio Poliesportiva. Instagram: @caiqueribero, Twitter: @CRSousa5

Artigos Relacionados

Topo