Resumão da 1ª rodada da Liga dos Campeões da Ásia: Oriente Médio

Confira como foi a estreia das equipes das equipes do Uzbequistão, Emirados Árabes, Arábia Saudita, Qatar, Irã e Iraque

A maior competição de clubes da Ásia começou. Já tinha acontecido a fase preliminar, mas agora chegamos a fase de grupos da AFC Champions League. Entre segunda-feira (4) e hoje (6), todas as equipes disputaram a 1ª rodada da Champions Ásia. Num âmbito geral, sete brasileiros marcaram na rodada inicial e 33 estiveram em campo na rodada inicial da maior competição de clubes da Ásia. Veja mais detalhes sobre cada partida das equipes do Oriente Médio no resumão do FNV.

Champions Ásia – 1ª rodada (Oriente Médio)

Lokomotiv Tashkent (UZB) 2 x 0 Al-Wahda (UAE)

Em um duelo equilibrado na posse de bola, a diferença foi nas tentativas de gol. Os donos da casa finalizaram 18 vezes, sendo apenas três no alvo, mas duas balançaram o lado de dentro da rede. Uma no começo e outra ao fim do jogo. Aos cinco minutos, o atacante Temurkhuja Abdukholiqov abriu o placar. E aos 93’, acréscimos da segunda etapa, o zagueiro Islom Tukhtakhodjaev selou a vitória uzbeque. A partida contou com o brasileiro Leonardo sendo titular da equipe visitante.

Al Wasl (EAU) 1 x 0 Al-Nassr (KSA)

Com a equipe visitante melhor na partida, tendo mais posse de bola e quase o dobro de passes trocados, os sauditas viram um pênalti estragar sua estreia no torneio. E o gol do jogo, marcado aos 62’, foi do brasileiro Fábio Lima. Além do camisa 10 local, Caio foi outro brazuca que participou do jogo pelo lado mandante. No elenco saudita o lado verde-amarelo era Giuliano, que brilhou na pré-Champions com dois gol e uma assistência.

Zob Ahan (IRI) 0 x 0 Al-Zawra’a (IRQ)

No embate entre iranianos e iraquianos, ninguém saiu vencedor. Foi um jogo de ataque contra defesa, nitidamente. Os donos da casa tiveram 70% de posse de bola, 502 passes trocados, 24 chutes ao gol e 10 no alvo,mas nenhum entrou. Enquanto isso, os visitantes ficaram com os outros 30% de posse de bola, 225 passes trocado, seis chutes ao gol e nenhum no alvo. Este foi um duelo sem brasileiros em campo.

Al-Ittihad (KSA) 5 x 1 Al-Rayyan (QAT)

Num duelo que nos números pareceu equilibrado, na partida até foi, mas o fator casa, aliado à precisão, foram fundamentais para a vitória mandante. Os visitantes abriram o placar com o zagueiro uruguaio Gonzalo Viera, aos 23 minutos. Mas os mandantes, quando chegavam à trave qatari, marcavam. Foram seis chutes e cinco dentro do barbante. No final da primeira etapa, aos 45’, Fahad Al-Muwallad, empatou. Um minuto depois, Abdulaziz Al-Aryani virou.

No complemento, com menos de três minutos veio o terceiro gol caseiro. Ziyad Al-Sahafi anotou o tento. Aos 70’, de pênalti, Abdulrahman Al-Ghamdi adicionou mais um gol ao placar da casa e oito minutos depois Al-Muwallad completou a goleada. No Al-Ittihad, apesar da goleada, o brasileiro Romarinho teve presença discreta e foi substituído no intervalo. No Al-RayyanLucca e Rodrigo Tabata (naturalizado qatari) foram outros que pouco agregaram a partida.

Persepolis (IRI) 1 x 1 Pakhtakor (UZB)

Este foi um jogo de muita paridade, com leve vantagem em números para os iranianos. O duelo começou elétrico e os visitantes marcaram logo cedo. Aos cinco minutos Marat Bikmaev abriu o placar. Mas os donos da casa detinham uma leve superioridade na posse de bola e empataram ainda no 1º tempo, aos 25’, com o croata Mario Budimir. O confronto ainda teve algumas chances, mas nada que mudasse o faltoso jogo, com 36 infrações, sendo 26 dos uzbeques, na tentativa de frear o jogo. Este foi outro embate sem brasileiros.

Al-Duhail (QAT) 3 x 0 Esteghlal (IRI)

Os qataris engoliram os iranianos em casa. O número de finalizações dos mandantes foi de 23 contra oito. Entretanto, nove vezes a bola foi no alvo, mas três vezes ela entrou, sendo que o rival atacou duas vezes no alvo e nenhuma dentro das redes. Melhor para os anfitriões, mas só conseguiram marcar na segunda metade do jogo. Aos 56’, Mehdi Benatia, ex-zagueiro da Juventus, fez o primeiro. Youssef El-Arabi ampliou aos 73’ e Ali Afif fechou a conta aos 91’. Dois brasileiros participaram do jogo pelo lado caseiro: o volante Luiz Ceará (naturalizado qatari) e o atacante Edmílson Júnior (naturalmente belga, mas com ascendência brasileira).

Al Ain (UAE) 0 x 1 Al-Hilal (KSA)

Em mais um duelo de relativo equilíbrio, a leva vantagem foi da equipe visitante. Com 60% de posse de bola, o time saudita teve mais que o dobro de chances que o rival de acertar o gol e colocou seis bolas no alvo, mas apenas uma entrou, sendo o suficiente para a vitória. O tento do jogo saiu dos pés de Mohammad Al-Shalhoub, aos 65 minutos. Os locais tiveram apenas uma bola em direção a meta das visitas, mas não entrou. O único tupiniquim da partida foi Carlos Eduardo, do AlHilal.

Al-Ahli Jeddah (KSA) 2 x 0 Al-Sadd (QAT)

Num jogo com maior domínio dos qataris, os anfitriões é quem se saíram melhor. Os visitantes tiveram mais posse de bola, passes trocadores e chances, mas pecaram na finalização, enquanto os rivais converteram. Foram 9 x 13 em chutes a gol, sendo 3 x 4 no alvo. Porém, dos três que foram a meta das visitas, duas entraram e garantiram a vitória. Ambos com o sírio Omar Al Somah. O primeiro de pênalti, aos 32’, e o segundo aos 76’. O Al-Ahli Jeddah tem o zagueiro brasileiro Aderllan Santos.

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1108 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.


Que tal assistir a final da Libertadores no Chile? Cadastre-se e concorra:

Rexona


Forza Football

 

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo