Qual dos brasileiros chega mais forte para às oitavas da Libertadores?

Cruzeiro, Palmeiras, Grêmio, Internacional, Flamengo e Athletico Paranaense representam o Brasil na maior competição do continente

Libertadores da América e Riquelme, um casamento perfeito. O ídolo Xeneize, símbolo máximo de um Boca Juniors soberano, conquistou três vezes a maior competição do continente. Certa vez, o craque passou a fórmula para o sucesso na competição:

“O importante é se classificar na fase de grupos. Acreditamos que a Copa começa a partir das oitavas de final” afirmou.

Então, para a alegria do meia-campista, a Libertadores começará. Na última quinta-feira (9), todos os classificados às oitavas de final foram definidos. Dentre as 16 equipes, seis brasileiros avançaram aos mata-matas, são eles: Palmeiras, Cruzeiro, Internacional, Flamengo, Grêmio e Athletico Paranaense. Vale lembrar que, o Atlético Mineiro, 3º colocado no grupo E, disputará a Copa Sul-Americana e o São Paulo, que foi eliminado na fase pré-Libertadores.

Posto isso, a pergunta que não quer calar é: qual brasileiro chega mais forte às oitavas de final? Os Palestras Itália largam na frente. Com campanhas idênticas Palmeiras e Cruzeiro somaram 15 pontos, venceram cinco vezes e sofreram apenas uma derrota. Desse modo, terminaram a classificação geral como e 2º colocados, respectivamente. Ambas as equipes jogam à moda de seus treinadores. Luiz Felipe Scolari e Mano Menezes moldam suas equipes a partir do sistema defensivo, pois entendem que ao estarem protegidos estarão mais próximos da vitória.

Os números defensivos de ambos os times impressionam. O Palmeiras detém a melhor defesa da competição com apenas um gol sofrido, ao passo que o Cruzeiro foi vazado duas vezes, porém todos os tentos foram sofridos na última partida da fase de grupos, diante do Emelec, em que Raposa já havia assegurado sua classificação. A equipe Alviverde precisa sofrer incríveis 53,0 finalizações para ser vazada, enquanto o time Azul e Branco necessita de 33,0. Para furar a defesa paulista são necessários impressionante 2587 passes, já a defesa mineira precisa ser envolvida 1.099 vezes para ser vazada. Vale lembrar que, a zaga palmeirense formada por Gustavo Gómez e Luan está invicta a 790 minutos.

Se na fase defensiva o Palestra de São Paulo está ligeiramente a frente do de Belo Horizonte, no momento ofensivo a situação, por mais que os números mostrem 13 e 11 tentos, respectivamente, se inverte. Respaldado pelas conquistas recentes e com elenco farto nos aspecto técnico Mano Menezes, técnico a mais tempo a frente de um clube de futebol no país, resolveu sair de sua zona de conforto e passou a ser mais audacioso. Desse modo, o Cruzeirão Cabuloso começou a praticar um futebol mais coletivo. 84,5% das finalizações são construídas com assistência, que faz a equipe líder do quesito na competição.

Por sua vez, o Palmeiras é apenas o 9º, com 61%. Isso decorre do entendimento de futebol de Felipão que o interpreta mais como disputa física e psicológica do que técnica e tática, por isso pauta seu sistema ofensivo em um jogo vertical e individual. Os 23,2 passes necessários para uma conclusão a gol ocorrer, bem como os 140 precisos para chegar ao fundo do gol rival também corroboram para isso. Os últimos campeões da América, River Plate, Atlético Nacional, Grêmio e novamente o clube argentino, praticavam um futebol mais próximo do exibido pelos mineiros.

Foto: Diário online

Atrás estão, nessa ordem, a dupla Grenal,  Athleticanos e Rubro-Negros. O Grêmio quer colocar em prática a receita de seu carrasco em 2007. Depois de um início péssimo, com um ponto conquistado em nove possíveis, a equipe de Renato Portaluppi venceu os três últimos jogos e avançou como 2º colocado. Portanto, existe uma possibilidade em oito do primeiro Grenal da história da Libertadores ocorrer, já que os Colorados foram líderes no grupo A e terminaram com a 3ª melhor campanha geral, somando 14 pontos, com quatro vitórias e dois empates.

O estilo gremista moderno e ousado, de envolvimento do adversário e marcação alta é conhecido. O Tricolor é a equipe que mais troca passes por jogo, 497, possuí mais a bola, 59% e mantém mais a bola no terceiro terço do campo, 28%. Porém, a consistência defensiva da equipe foi inexistente, já que a cada 14 finalizações sofridas, o Imortal tomava um gol. Nesse aspecto, o Inter foi o time que mais interceptou durante toda a fase de grupos, com média 4,3 por jogo. Ofensivamente, a equipe de Odair Hellmann liderou as estátisticas de dribles e demostrou uma grande efetividade.

Mais uma vez o Flamengo flertou com a eliminação precoce. As estatísticas apontam que equipe de Abel Braga necessita de sete finalizações para anotar um tento, o que fazem do Mengão a 8ª melhor equipe nesse sentido. Porém, esse dado é enganoso, uma vez que é inflacionado após a goleada aplicada no modesto San José-BOL. A impressão é completamente oposta. O Flamengo não consegue transformar as oportunidades que cria em gols, por isso não transmite confiança e não mostra subsídios para que se possa acreditar em uma campanha longa, além de ser frágil defensivamente.

Diferentemente do Furacão. Tiago Nunes comanda a segunda equipe em posse de bola, 58%. A que mais acerta passes, 93% de precisão. A 2ª que mais acerta finalizações, 6,8 por jogo. Que é imbatível jogando na Arena da Baixada, onde aplicou um sonoro 3 x 0 no Boca Juniors, atual vice-campeão do torneio. Todavia, a pedra no sapato do Athletico são as partidas fora de casa, onde dificilmente a equipe não perde e em se tratando de mata-mata isso é crucial.

Pedro Ferri

Sobre Pedro Ferri

Pedro Rodrigues Nigro Ferri já escreveu 39 posts nesse site..

Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

1X Bet
Pedro Ferri
Pedro Ferri
Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

Artigos Relacionados

Topo