Prass tenta, mas Jesus não salva

Em partida sem brilho, o Palmeiras perdeu o título do torneio de verão para o Nacional, do Uruguai.

O primeiro tempo foi morno, com poucas chances e uma de Dudu, que perdeu cara-a-cara com o goleiro. No segundo as chances começaram a aparecer, mas nada que fizesse alterar o placar.
Nos pênaltis:

Fernando, do Nacional começou batendo e o goleiro palmeirense Fernando Prass, à lá São Marcos, pegou a primeira cobrança, já empolgando o torcedor. 0x0.

Zé Roberto bateu com categoria o primeiro pênalti do lado alviverde e converteu. 0x1.

O zagueiro Polenta coloca a bola no ângulo, sem chances para Prass. 1×1.

Rafael Marques vence Mejía que ainda toca na bola. 1×2.

Ignacio González faz uma cavadinha linda, “matando” o goleiro palmeirense à lá Djalminha. 2×2.

Dudu perde o pênalti, perdendo a vantagem palmeirense. 2×2.

Mas Fernando Prass coloca o time paulista em vantagem ao pegar o pênalti de Ramirez. 2×2

Entretanto, Allione tenta tirar do goleiro Mejía e isola pra fora. 2×2

Fucile pega pouca distancia e bate no lado oposto de Prass. 3×2.

Prass vai bater o quinto pênalti e garante as alternadas com um chute forte. 3×3.

Nas alternadas, Barcia abre a série marcando. 4×3.

Gabriel Jesus perde o pênalti e o título do torneio de verão. 4×3.

NACIONAL-URU CAMPEÃO DO TORNEIO DE VERÃO.

OPINIÃO: É certo que o jogo era apenas um “teste” que valia título, mas um empate em 0 a 0 não empolga o torcedor e ainda mais, perder no pênaltis, para um time que também disputa Libertadores, menos ainda. Mas, no tempo normal, a dinâmica do time alviverde foi boa. Bastante velocidade e estreias no elenco, como Moisés, que aproveitou a oportunidade para mostrar trabalho e deixar uma boa impressão. Já Erik não conseguiu a mesma boa estreia. A entrada de Gabriel Jesus deu uma movimentada no jogo. Os espaços que o Palmeiras dava no ano passado, começaram a ser corrigidos, mas a transição de defesa até o ataque ainda deixa a desejar. Mesmo com a derrota, o teste valeu para o alviverde ver o que enfrentará em 2016, na Libertadores da América.

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1077 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.


 

365 Scores

 

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo