Pênalti garante vitória sueca em cima dos sul-coreanos

Com mais chances de gol, Suécia vence seu jogo de estreia contra os asiáticos

O confronto entre Suécia e Coreia do Sul pelo grupo G, no estádio Níjni Novgorod, ofereceu de um lado uma seleção conhecida por trabalhar mais ofensivamente, e do outro um time famoso pela velocidade em campo.

A partida foi definida graças a uma das novidades dessa Copa do Mundo: o uso da tecnologia com o árbitro de vídeo.

1º TEMPO

Já nos primeiros momentos de jogo, o time Sul-Coreano era o que mais contra-atacava, mantendo um ritmo acelerado contra um mais moderado da Suécia.

Após o primeiro cartão amarelo para o camisa 9 da Coreia do Sul, Kim Shimwook, a Seleção da Suécia começou a se soltar e fazer seus contra-ataques mantendo o maior posse de bola até o final do primeiro tempo. Aos 20′, a primeira grande oportunidade de gol no ataque da Suécia, que resultou em uma excelente defesa do goleiro sul-coreano Cho Hyun-Woo.

A primeira substituição da partida foi logo aos 28′, após o zagueiro sul-coreano Park Joo-Ho sentir a parte de trás da perna ao fazer um cruzamento. Entrou Kim Min-Woo em seu lugar.

Aos 42′, ótima chance de gol para a Suécia: pequena área livre, mas sem nenhum sueco para emplacar.

Dois minutos de acréscimo e o primeiro tempo continuou como começou: sem gols. Faltas somadas em 25 (Suécia 11 x 14 Coreia do Sul) e 10 chutes a gol, sendo apenas um sul-coreano. O resultado não favorecia nenhum dos times.

Suécia x Coreia do Sul no estádio Níjni Novgorod. (Reprodução/Internet)

2º TEMPO

Na tentativa de ajustar as falhas do primeiro tempo, o jogo começou mais equilibrado, com maiores contra-ataques dos Tigres Asiáticos.

Aos 6′, boa chance do primeiro gol da partida a favor da Coreia do Sul em uma jogada de Kim Shin-Wook, mas a bola balançou a rede pelo lado de fora.

O segundo cartão amarelo do jogo, também para os sul-coreanos, veio aos 9′ para o camisa 11, Hwang Heechan.

Na chegada dos 17′, uma jogada de ataque de Viktor Claesson, interrompida pelo Kim Min-Woo, pareceu penalidade. O árbitro da partida não deu nada e o lance seguiu normal. Segundos depois, o árbitro de vídeo (VAR) entrou em cena e interrompeu o andamento do jogo. O árbitro salvadorenho Joel Aguillar assistiu ao vídeo e assinalou a penalidade máxima. Conclusão: gol da Suécia marcado pelo capitão Andreas Granqvist.

Camisa 4 da Suécia converte pênalti. (iwcp.co.uk/Reprodução)

Duas substituições coreanas feitas aos 66′ (sai Kim Shin-Wook, entra Jung Woo-Young) e aos 72′ (sai Koo Ja-Cheol, entra Lee Seung-Woo) e três suecas aos 71′ (sai Albin Ekdal, entra Oscar Hiljemark), aos 77′ (sai Ola Toivonen, entra Isaac Thelin) e aos 81′ (sai Sebastian Larsson, entra Gustav Svensson).

Quatro minutos de acréscimo e pressão sul-coreana, mas quem leva a vitória é a Seleção Sueca.

Suécia 1 x 0 Coreia do Sul, placar que leva os suecos à primeira posição do Grupo F juntos com o México.

 

PRÓXIMOS JOGOS

Seleção Sul-Coreana enfrenta o México no próximo sábado (23) às 12 na Arena Rostov e a Seleção da Suécia tem como adversária a Alemanha, jogando no mesmo dia, no Estádio Olímpico de Fisht.

Beatriz do Vale

Sobre Beatriz do Vale

Beatriz do Vale já escreveu 396 posts nesse site..

Comunicativa desde pequena, graduada em Rádio e TV e também em Jornalismo pela FIAM, e pós-graduada pela Cásper Líbero.Tudo o que envolva pesquisa, escrita, locução, entrevista e criação, busco me aprimorar e fazer o melhor. Futebol na Veia surgiu sem qualquer pretensão e, hoje, me proporciona uma verdadeira imersão neste mundo esportivo, com ensinamentos pessoais e profissionais a cada dia. Sou paulistana, 30 anos, não sou parente do Luciano, mas vou experimentando...

Forza Football

 

Rivalo Apostas Esportivas
Beatriz do Vale
Beatriz do Vale
Comunicativa desde pequena, graduada em Rádio e TV e também em Jornalismo pela FIAM, e pós-graduada pela Cásper Líbero.Tudo o que envolva pesquisa, escrita, locução, entrevista e criação, busco me aprimorar e fazer o melhor. Futebol na Veia surgiu sem qualquer pretensão e, hoje, me proporciona uma verdadeira imersão neste mundo esportivo, com ensinamentos pessoais e profissionais a cada dia. Sou paulistana, 30 anos, não sou parente do Luciano, mas vou experimentando...

Artigos Relacionados

Topo