Pelé: o lendário Rei do Futebol

O novo longa sobre a história do Rei do Futebol “Pelé: Birth of a legend” (“Pelé: O nascimento de uma lenda”) é uma das atrações do Festival de Tribeca, em Nova York (EUA), evento que começou no dia 13 de abril e segue até o próximo domingo, 24. Dirigido e escrito por Jeff Zimbalist e Michael Zimbalist (conhecido pelos documentários Favela rising” e “The two Escobars”) e estrelado por vários atores brasileiros como Rodrigo Santoro, Milton Gonçalves e Seu Jorge, o filme conta como foi a trajetória de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, desde sua infância até a sua participação na Copa do Mundo da Suécia, em 1958, da qual saiu consagrado.

Visando agradar ao público norte-americano, “Pelé: Birth of a legend” é todo falado em inglês, o que pode causar estranheza aos brasileiros que assistirem ao filme. Mas vamos deixar a análise técnica cinematográfica de lado, pois o que mais impressiona é como a lenda Pelé se mantém viva até hoje.  Diversos carques surgiram ao longo dos anos, mas jamais apareceu – e talvez nunca apareça – alguém com a mesma grandeza do Rei, que ocupou o torno do futebol aos 17 anos de idade, quando disputou a sua primeira Copa do Mundo, e sustenta o posto até hoje.

Ver a história do Rei perpetuar me faz lembrar da primeira crônica que Nelson Rodrigues, que foi um dos maiores cronistas do Brasil, escreveu sobre Pelé, em fevereiro de 1958, após o jogo do Santos contra o América, no Maracanã, que o time da Vila Belmiro venceu por 5 a 3.  No texto, que foi republicado no Blog de Robson Morelli, do Estadão, em 2010, Nelson Rodrigues exalta a classe e a majestade do ainda jovem camisa 10 dentro de campo, prenunciando seu sucesso no Mundial daquele ano, na Suécia:

“O que nós chamamos de realeza é, acima de tudo, um estado de alma. E Pelé leva sobre os demais jogadores uma vantagem considerável: — a de se sentir rei, da cabeça aos pés. Quando ele apanha a bola e dribla um adversário, é como quem enxota, quem escorraça um plebeu ignaro e piolhento”…. “Na Suécia, ele não tremerá de ninguém. Há de olhar os húngaros, os ingleses, os russos de alto a baixo. Não se inferiorizará diante de ninguém. E é dessa atitude viril e mesmo insolente que precisamos. Sim, amigos: — aposto minha cabeça como Pelé vai achar todos os nossos adversários uns pernas-de-pau”, escreveu Nelson Rodrigues em sua crônica.

Em uma época em que o “futebol arte” é cada vez mais coisa de ficção – salvo algumas raras exceções –, o filme de Pelé vem bem a calhar, sobretudo para esta nova geração saber quem foi o Rei do futebol. E, desse modo, talvez o Pelé retratado nas telonas do cinema possa servir de referência para a molecada de hoje em dia, acostumada com a falta de trato com a bola dos “plebeus ignaros e piolhentos” que entram em campo atualmente.

O filme “Pelé: Birth of a legend” estava previsto para estrear em 2014, mas, devido a problemas de produção, a estreia teve que ser adiada para 2016.  Após ser exibido no Festival de Tribeca, o longa entrará em cartaz nos cinemas dos Estados Unidos no dia 06 de maio. Não há previsão de estreia no Brasil.

Assista ao Trailer do filme:

https://www.youtube.com/watch?v=gcN8ZmYyJVY

Renan Amaral

Sobre Renan Amaral

Renan Amaral já escreveu 16 posts nesse site..

Apaixonado por esporte, Renan Amaral percebeu que tinha o futebol na veia quando foi a um estádio pela primeira vez. Anos depois, descobriu no jornalismo a oportunidade de estar envolvido de alguma forma com esportes, principalmente com o futebol, sua velha paixão, que nasceu quando ainda era um moleque que esticava o pescoço para ver melhor os jogos da arquibancada.

BetWarrior


Renan Amaral
Renan Amaral
Apaixonado por esporte, Renan Amaral percebeu que tinha o futebol na veia quando foi a um estádio pela primeira vez. Anos depois, descobriu no jornalismo a oportunidade de estar envolvido de alguma forma com esportes, principalmente com o futebol, sua velha paixão, que nasceu quando ainda era um moleque que esticava o pescoço para ver melhor os jogos da arquibancada.

Artigos Relacionados

Topo