Paulo Pezzolano: técnico do Liverpool Montevideo vem fazendo história com apenas 36 anos

Estando apenas em seu terceiro ano de carreira como técnico, já conquistou um título pelo modesto Torque e levou o Liverpool ao favoritismo do Intermedio
Paulo Pezzolano

Neste domingo (8), às 15h (horário de Brasília), acontece a grande final do Intermedio Uruguaio 2019 entre Liverpool Montevideo e River PlateE nenhuma das equipes, até então, tem um título de expressão em sua história. Ambas já venceram mais de uma vez  a 2ª divisão, mas ainda falta a afirmação. Assim, ela pode vir neste domingo. Para alimentar ainda mais o interesse por esta final, vamos conhecer um pouco mais do técnico Paulo Pezzolano, do Liverpool, que enfrenta o experiente Jorge Fossati, do River Plate. O duelo Pezzolano x Fossati põe em campo um confronto de estilos. Enquanto os Negriazules fazem uma campanha focada num forte ataque, os Darseneros optaram por uma solidez defensiva. Ambos os estilos deram muito certo, mas só há um vencedor. Portanto, o FNV trouxe um pouco mais da história do jovem técnico, estilo de jogo e campanhas para enriquecer o repertório desta final.

Paulo Pezzolano

Com apenas 36 anos de idade, Paulo César Pezzolano Suárez foi jogador de futebol uruguaio com passagens por Rentistas, Defensor Sporting, Peñarol, Liverpool Montevideo, Mallorca (ESP), Hangzhou Greentown (CHN), Necaxa (MEX), Athletico-PR (BRA) e Torque, este último onde encerrou sua carreira em 2016. E começou sua carreira como treinador no mesmo clube onde pendurou as chuteiras.

E já entrou para a histórica do clube no primeiro ano de trabalho. O Torque fora fundado em 2007 e pertence ao City Football Group, dos mesmos donos do Manchester City e cia. Porém, diferentemente da maioria as “afiliados”, a empresa não investe dinheiro no clube, ou seja, é tudo por conta própria. Assim, em sua primeira temporada, Pezzolano foi campeão da 2ª Divisão Uruguaia em 2017 e levou o time à elite uruguaia com apenas 10 anos de história. Contudo, imediatamente após a conquista, ele anunciou sua saída do clube celestial. Teria um desafio maior em 2018: o Liverpool.

O atual comandante teve três passagens pelo Liverpool como jogador, ou seja, é sua casa. No primeiro ano de trabalho manteve a sina de bons resultados em classificou o time para a Copa Sul-Americana de 2019, terminando o Uruguaio 2018 na 6ª posição geral, com 58 pontos, um a menos que o Defensor Sporting (4º), primeiro na zona de classificação para a Libertadores, ou seja, foi por muito pouco. Passaram pelo Bahia na 1ª fase com um 1 x 0 em Salvador e um empate sem gols em Montevideo. Na 2ª fase, encararam o Caracas, da Venezuela, e venceram no Uruguai por 1 x 0, mas perderam na Venezuela por 2 x 0 e foram eliminados.

Temporada atual

Os Negriazules vem de quatro vitórias consecutivas e marcando 13 gols nestes jogos. Têm o melhor ataque disparado do Intermedio, com 18 gols, e também da tabela geral com 47. Não a toa contam com o artilheiro do Campeonato, Ignácio Ramírezautor de 17 gols em 19 jogos. O time ainda contam com Federico Martínez como sétimo melhor marcador com 10 tentos. Sua defesa sofreu muitos gols no início do Apertura, mas nos últimos 10 jogos sofreram apenas oito gols, enquanto fizeram 22. Chegaram a final por liderarem o Grupo B, com 18 pontos, sendo seis vitórias e um empate.

Estilo de jogo

Paulo Pezzolano é um técnico que tem mentalidade ofensiva e enxerga o arco rival como sua meta, não importando se vai sofreu um gol, contanto que faça dois, três ou mais. Sua equipe pratica um futebol moderno e dinâmico. Um estilo europeu que outros treinadores mostraram, mas não conseguiram demonstrar em campo. Pezzolano, por outro lado, demonstra isso com qualidade, pelo menos em território uruguaio. Seu goleiro é quase um líbero e, como pede o figurino do “goleiro moderno” sai jogando com os pés. Laterais bem abertos e meio-campistas que tratam a bola com carinho. Para finalizar, no duplo sentido, excelentes atacantes que não desperdiçam chances.

Estudo na Europa

No ano passado, o “Papa”, como é conhecido, viajou à Europa para acompanhar treinamentos e se atualizar:

“Eu gostaria de poder ir todos os anos. Ser atualizado é muito importante. Espero ter 70, 80 anos e continuar. Na Europa, você se compara com o que faz e percebe que não está tão longe. E o que você não gosta, não aceite, não importa o quanto eles façam no melhor time do mundo”, explicou Pezzolano.

O adversário por Paulo Pezzolano

Por esse futebol dinâmico, muitos acreditam que o Liverpool é o favorito para a final. Mas Pezzolano discorda e aproveitou para exaltar a qualidade não só da equipe rival, como também do técnico adversário, de quem parece ter bastante admiração:

“River é uma equipe sólida, muito bem trabalhada. E nem vou falar sobre o treinador. Um excelente técnico com uma experiência espetacular. Estamos cruzando o treinador mais experiente com o mais jovem. Para mim, será uma experiência inesquecível”, reconheceu o Papa. “No River as coisas são claras, eles sabem o que querem e assim jogam. É uma equipe compacta e sólida, com jogadores muito bons. River não é apenas a defesa, apesar de nessa área acumular muitos jogadores e formar uma linha muito forte de cinco. Não devemos apenas trabalhar em como entrar neles, mas também saber como nos defender. São chutes muito bons, jogadores rápidos e um meio-campo intenso. Há muitos detalhes para tratar no jogo de domingo. Temos que ir com nossas armas. É uma final e não há amanhã. É hoje!”

O Liverpool visto pelos adversários

“O Liverpool é um time muito forte, não perde as chances que tem. Se já marcaram três gols, querem fazer mais três”, disse Juan Alvez, zagueiro do Fénix, derrotado pelo negriazules. Tem jogadores muito apimentados, como Ramírez e Martínez. E Figueredo e Guastavino podem abrir o placar numa cobrança de falta. Os atacantes são rápidos e também definem muito bem. E têm uma grande dinâmica. Começam a jogar pelo goleiro e a prioridade é jogar com bola rasteira. Percebemos nos dois jogos que os enfrentamos: no Apertura, foi 4 x 4. Já no Intermedio não estávamos tão bem, eles aproveitaram as chances e fizeram 5 x 1, acrescentou. “Acho que a final será um jogo muito estudado. River não vai desistir de procurar a partida contra o Liverpool que, se você negligenciar, já está perdendo de 1 x 0, porque eles não perdoam”, insistiu Alvez.

Foto destaque: Reprodução/Twitter

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1084 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.


 

365 Scores

 

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo