Palmeiras marca reunião e toma medidas sobre protestos na academia

Clube esteve em reunião na ultima segunda-feira (05), onde discutiu medidas a serem tomadas sobe as recentes ameaças sofridas nos últimos dias
Palmeiras

Eventualmente, o clima nos bastidores do Palmeiras parece não estar dos melhores. De certo ponto, isso se deve ao fato de alguns torcedores intimidarem elenco e comissão técnica no ultimo sábado (03) , antes do embate contra o Corinthians. Nesse ínterim, a equipe foi alvo de diversas manifestações da torcida. Sugere-se que, as críticas sejam consequência dos últimos resultados do clube.

A princípio, a manifestação liderada por integrantes da torcida organizada Mancha Alviverde, foi diante o portão da Academia de Futebol, no centro de treinamentos do clube, pouco antes do clássico  contra o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro. A primeira vista, o técnico da equipe, Luís Felipe Scolari era um dos principais alvos dos torcedores.

Antecipadamente, a manifestação composta por cantoria, intimidava o elenco com letras ofensivas e de cunho ameaçador: “Ôh Felipão, vai se f…, se não ganhar amanhã, é você quem vai morrer“, cantava o grupo em alguns momentos. Simultaneamente, outro coro ecoado foi: “Bando de c…, ganhar dos gambás não é mais que obrigação“. Desse modo, nos cartazes, frases como “Diretoria omissa“, “Felipão, dono do Verdão?“, “Clássico vale vida e ninguém morreu ainda?“, completavam o protesto.

Sobe o mesmo ponto de vista, uma das principais estrelas do elenco palmeirense, o goleiro Fernando Pras, já passou por situações perigosas com torcedores maldosos em 2013. Na ocasião, Pras chegou a se ferir com um corte de estilhaços. Embora sobe restrição, o goleiro resolveu comentar sobre o ocorrido no sábado:

A única coisa que podemos falar é que surpreendeu. Nós não queremos comentar isso muito porque não é legal, não faz bem. Temos de pensar no jogo e nos problemas que temos em campo. Isso aí infelizmente acontece – disse o goleiro

PALMEIRAS ESTÁ TOMANDO MEDIDAS

Posteriormente, em suas redes sociais, o clube resolveu falar sobre o caso. Em suma, após emitir nota oficial em suas redes sociais, o clube afirmou estar tomando todas medidas possíveis sobre o ocorrido. Antes das ameaças de sábado, a organizada do Verdão, já havia protestado em Fortaleza, em Mendoza e em São Paulo, após a partida contra o Vasco.

Dessa forma, o clube decidiu privar declarações de jogadores, membros da comissão e diretoria. A primeira vista, em silêncio na saída de Itaquera, após o empate em 1 a 1 com o Corinthians, o presidente Maurício Galiotte seguiu o esquema ao não ceder entrevista. Entretanto, Felipão falou, mas ao ser questionado sobre o ocorrido, tratou de desviar do assunto.

Contudo, após o Dérbi, o volante Bruno Henrique e o atacante Dudu, mesmo sobe insistência da imprensa, não exitaram e mantiveram o discurso palmeirense de não dar detalhes sobre o caso.

Esses assuntos aí eu prefiro não comentar. Prefiro falar do jogo e da partida que fizemos. Tem gente que pode falar melhor do que eu dessas coisas que a torcida fez. Meu papel é dentro de campo. – disse Dudu.

Do mesmo modo, o capitão Bruno Henrique complementou:

–  Nós, atletas e comissão técnica, não vamos falar sobre isso. Vamos falar do jogo, da equipe, do que estamos buscando fazer. Queremos fazer nosso trabalho, aquilo que o Palmeiras espera que a gente faça, brigando pela ponta da tabela, na Libertadores. – completou.

Karine Gomes

Sobre Karine Gomes

Karine Gomes já escreveu 83 posts nesse site..

Olá, me chamo Karine Gomes. Sou paulista, estudante do 4º semestre de jornalismo pela Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo.


 

365 Scores

 

Karine Gomes
Karine Gomes
Olá, me chamo Karine Gomes. Sou paulista, estudante do 4º semestre de jornalismo pela Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo.

Artigos Relacionados

Topo