O lado brasileiro dentro do futebol japonês

A evolução do futebol japonês passa por figuras importantes do futebol brasileiro
O lado brasileiro dentro do futebol japonês

Desde que Zico desembarcou no Japão para ajudar a construir uma nova história no futebol japonês, os brasileiros passaram a ser admirados e vistos como exemplos na modalidade. Por isso, depois dele muitos outros jogadores nascidos no Brasil se aventuraram para a terra do sol nascente e também deixaram suas marcas por lá. Nos anos 90, por exemplo, grandes nomes da Seleção Brasileira como o tetracampeão Leonardo, que chegou no Kashima Antlers para ser o substituto de Zico, deixaram a sua história no clube, como Jorginho, Mazinho, Bebeto entre outros.

Alguns se tornaram ídolos e tiveram mais sucesso, outros não causaram tanto impacto assim, mas a verdade é que o japonês está sempre de portas abertas para receber um jogador brasileiro.

(Foto: Kashima Antlers / Divulgação)
(Foto: Kashima Antlers / Divulgação)

ALÉM DE ZICO, QUEM MAIS FOI INFLUENTE?

Dunga também foi uma figura importante no futebol japonês. O capitão do tetra revolucionou o Júbilo Iwata, vestindo a camisa entre 1995 e 1998 quando ainda era titular da Seleção Brasileira. E foi exatamente nesse período que a equipe se firmou como um grande clube no futebol japonês. Além de faturar a J-League em 1997, Dunga foi eleito o melhor jogador da competição.

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Outro brasileiro que foi capaz de mudar a história de um clube no Japão foi Robson Ponte. O jogador que passou por clubes pequenos no Brasil e se destacou na Alemanha com a camisa do Bayern Leverkusen chegou ao Urawa Reds em 2005. Lá ficou cinco anos e meio e com a camisa 10 comandou o clube nas suas maiores conquistas. J-League 2006 e a Champions League da Ásia. No total foram 197 jogos e 48 gols com a camisa do Urawa.

Alcindo Sartori foi outro craque que conseguiu fazer história por lá. Revelado nas categorias de base do Flamengo, o brasileiro é reverenciado e até se tornou personagem de mangá. Com gols e muito estilo, o brasileiro virou febre, tudo em que Alcindo tocava no Japão virava ouro. Além de vestir as cores do Kashima, Alcindo também defendeu o Verdy Kawasaki e o Consadole Sapporo. Do mesmo modo, o Japão também apostou em técnicos brasileiros como Toninho Cerezo, Oswaldo de Oliveira, Paulo Autuori, Jorginho, Levir Culpi, Nelsinho Baptista e o próprio Zico são alguns nomes que trabalharam como treinadores de equipes japonesas.

A INFLUÊNCIA DE ‘CAPITÃO TSUBASA’

Surpreendentemente, o aumento no número de jogadores de futebol no Japão tem relação direta com “Capitão Tsubasa”, que ganhou fama no Brasil nos anos 2000. Publicada no formato de mangá entre 1981 e 1988 e transmitida no Japão como série de TV de 1983 e 1986, contava a história do jovem jogador Oliver Tsubasa, a franquia acompanhava o protagonista em diferentes clubes pelo mundo. Além da seleção nacional, Tsubasa chegou a disputar a Série A do Brasileirão pelo São Paulo, e defender clubes como Barcelona, Hamburgo, além de Reggina e Juventus, ambos da Itália.

Foto destaque: Reprodução/Lance

Fellipe Bras

Sobre Fellipe Bras

Fellipe Bras França já escreveu 13 posts nesse site..

Me chamo Fellipe Bras França, tenho 19 anos e estudo Jornalismo na PUC-GO. Respiro futebol 24hs por dia e sou torcedor fanático do Flamengo. Também acompanho futebol internacional, principalmente as grandes ligas.


 

Rivalo Apostas Esportivas
Fellipe Bras
Fellipe Bras
Me chamo Fellipe Bras França, tenho 19 anos e estudo Jornalismo na PUC-GO. Respiro futebol 24hs por dia e sou torcedor fanático do Flamengo. Também acompanho futebol internacional, principalmente as grandes ligas.

Artigos Relacionados

Topo